Nightwish: A Paixão Sombria de Tuomas Holopainen

Resenha - Dark Passion Play - Nightwish

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Vitor Sobreira
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 10

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Quando Tarja Turunen foi demitida do Nightwish, ninguém sabia quais os rumos que a banda tomaria – se continuaria, ou terminaria. Mas, eis que após um período de pausa, e outro em busca de uma substituta, foi revelado ao mundo, a vocalista sueca Anette Olzon, que por sua vez, em nada remetia a Tarja, e infelizmente, desagradou a muitos com seu estilo vocal (principalmente com seu histórico em grupos de Pop/Rock) e algumas performances ao vivo. Apesar de tudo, ela se saiu muito bem, e registrou um dos melhores trabalhos da banda finlandesa!

1697 acessosTarja: "From Spirits And Ghosts" sai em novembro; ouça prévia5000 acessosIron Maiden: Bruce Dickinson revela sua "canção de merda"

‘Dark Passion Play’ foi lançado em 26 de setembro de 2007 pelo selo Spinefarm Records (relacionado à Universal Music Group), e é o sexto álbum da banda, em um hiato de três anos após o aclamado ‘Once’ (2004). Soando mais pesado, moderno e sombrio (refletido pelo estado emocional abalado, de Tuomas), o álbum não possuí faixa alguma abaixo da média, mas sim, muita qualidade e composições fortíssimas e inspiradas!

Para a divulgação, foram lançados, os ‘singles’: “Eva”, e quase que simultaneamente, os vídeos, das excelentes músicas “Amaranth” e “Bye Bye Beautiful” (uma clara despedida à vocalista anterior), que foram filmados em Los Angeles. “The Islander” (uma antiga composição da banda de Marco Hietala, o Tarot, que nunca havia sido utilizada), também foi ‘single’ e ganhou um vídeo oficial, que saiu apenas em 2008. Outra que ganhou vídeo, que não foi ‘single’ e nem saiu no ‘track list’ do álbum, foi “While Your Lipes Are Still Red”, composta para ser tema de um filme finlandês, conta com Marco, Tuomas e Jukka.

Diversidade, também será algo que o ouvinte não poderá reclamar aqui, pois desde a abertura, com “The Poet and the Pendulum” e seus quase 14 minutos de duração (dividida em 5 partes), vemos a grandeza do disco, indo de partes orquestradas e sentimentais ás mais pesadas e diretas. Por falar em peso, a já citada “Bye Bye Beautiful” também pode surpreender aos desavisados, juntamente com “Master Passion Greed”, e suas passagens agressivas (algo até então, inédito), retratando o ódio causado pelas experiências ruins enfrentadas anteriormente, além de fazer referencia a Tarja e seu marido, o argentino Marcelo Cabuli, sendo cantada somente por Marco.

Ainda como provas da diversidade, temos faixas também diferentes do usual, optando pela modernidade, como as envolventes “Amaranth” e “The Cadence of Her Last Breath”, que assim como as demais, possuem refrões bem bacanas e profundos. A balada “Eva” e “For the Heart I Once Had”, podem possuir um discreto acento “comercial”, mas não deixam a petaca cair. As misteriosas “Sahara”, “Whoever Brings the Night” e “7 Days to the Wolves”, mantém o peso, as orquestrações e o clima de pompa, dinamismo e grandiosidade. Finalizando... “The Islander”, sinceramente, é a que menos agradei, e a que menos ouvi, nestes quase dez anos que conheço este disco, mas não que seja uma música ruim – já que possui um andamento mais Folk, mas, apenas nunca me agradou mesmo. A instrumental “The Last of the Wilds”, é um show de interpretação, também caminhando pelos verdes campos do Folk, e conta com a presença, do músico inglês Troy Donocley, que firmaria sua parceria com os finlandeses e anos mais tarde, seria efetivado como membro. “Meadows of Heaven”, encerra com chave-de-ouro, este espetacular registro, também como uma espécie de balada, bem emocional e pura, que começa bem tranqüila – descrevendo lembranças de uma infância (provavelmente de, pasmem, Tuomas!), e aos poucos, vai ganhando força, muita força mesmo, tanto no instrumental, como nos vocais, que inclusive, os coros, remetem aqueles corais gospel (tanto é que no encarte, é definido como “The Gospel Choir”). Nada mais a dizer, apenas ouça... Simplesmente isso!

Ainda em tempo, o trabalho gráfico (desde a capa ao encarte todo), ficou lindo, condizendo como a atmosfera sombria, em tons mais escuros, sendo que cada música, recebeu uma imagem diferente, retratando seu conceito. O álbum teve as partes orquestrais, gravadas no lendário estúdio inglês, Abbey Road Studios, e contaram ainda, com mais de 130 músicos convidados da Orquestra Filarmônica de Londres, em colaboração com o The Metro Golden Choir. Para conduzir a orquestra, foi convocado Pip Willians, que havia trabalhado no disco anterior - assim como o faria, nos outros discos futuros! Por fim, especula-se, que foram gastos aproximadamente 500 mil euros, sendo então, o trabalho musical mais caro da história musical da Finlândia!

Formação:
Anette Olzon (vocal);
Tuomas Holopainen (teclados);
Emppu Vuorinen (guitarra e violão);
Marco Hietala (baixo, vocal e violão);
Jukka Nevalainen (bateria)

Faixas:
01 - The Poet and the Pendulum
02 - Bye Bye Beautiful
03 - Amaranth
04 - Cadence of Her Last Breath
05 - Master Passion Greed
06 - Eva
07 - Sahara
08 - Whoever Brings the Night
09 - For the Heart I Once Had
10 - The Islander
11 - Last of the Wilds
12 - 7 Days to the Wolves
13 - Meadows of Heaven

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Dark Passion Play - Nightwish

5000 acessosNightwish: o mais apoteótico disco da banda?5000 acessosNightwish: recomeçando em alto estilo5000 acessosResenha - Dark Passion Play - Nightwish

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 01 de março de 2017

TarjaTarja
"From Spirits And Ghosts" sai em novembro; ouça prévia

2165 acessosMulheres que cantam Metal: estúdio/ao vivo, expectativa e realidade32 acessosEm 26/09/2007: Nightwish lança o álbum Dark Passion Play0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Nightwish"

NightwishNightwish
Seria esse cara o maior fã de todos os tempos?

Tarja TurunenTarja Turunen
Uma declaração de amor pelo Brasil

Em 21/10/2005Em 21/10/2005
Tarja Turunen é dispensada do Nightwish

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Nightwish"

Iron MaidenIron Maiden
Bruce Dickinson revela sua "canção de merda"

NirvanaNirvana
Site elege as dez melhores músicas do grupo

GibsonGibson
Os 50 melhores covers da história do rock

5000 acessosSlayer: fãs hardcore dão (literalmente) o sangue pela banda5000 acessosZakk Wylde: O assassinato atribuido à "seita" do guitarrista5000 acessosFotos de Infância: Kurt Cobain, do Nirvana5000 acessosÁlbuns: Mike Portnoy revela os seus 10 favoritos5000 acessosCorey Taylor: seria melhor se a mídia nem falasse de Metal5000 acessosGene Simmons: ele pode provar que passou o ferro em 5 mil mulheres?

Sobre Vitor Sobreira

Moro no interior de Minas Gerais e curto de tudo um pouco dentro do maravilhoso mundo da música pesada, além de não dispensar também uma boa leitura, filmes e algumas séries. Mesmo não sendo um profissional da escrita, tenho como objetivos produzir textos simples e honestos, principalmente na forma de resenhas, apresentando e relembrando aos ouvintes, bandas e discos de várias ramificações do Metal/Heavy Rock, muitos dos quais, esquecidos e obscuros.

Mais matérias de Vitor Sobreira no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online