Crowbar: Mantendo-se firme no trono do Sludge Metal

Resenha - Serpent Only Lies - Crowbar

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Bruno Rocha
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Os norte-americanos do CROWBAR retornaram recentemente às notícias com seu 11º álbum de estúdio, "The Serpent Only Lies", pela gravadora Steamhammer. Considerados os pioneiros do Sludge Metal, a interação do Doom Metal com algumas características do Hardcore, a banda de Kirk Windstein (vocais, guitarra, ex-DOWN) se mantém relevante no seu gênero com o novo trabalho.

Contra-baixo: as melhores introduções do Heavy MetalHetfield: egos, Mustaine, Load e homossexualidade no Metallica

Durante a estadia de Kirk no DOWN, banda de Phil Anselmo e de outros nomes importantes da cena Stoner/Sludge, sua dedicação ao CROWBAR se manteve sempre em segundo plano. Com sua decisão de deixar o DOWN em 2013, o vocalista e guitarrista passou a se dedicar exclusivamente à banda que capitaneia desde 1988. Uma ótima e sábia decisão, por sinal. Com o lançamento de "Symmetry In Black", em 2014, o CROWBAR voltava em definitivo ao seu lugar de destaque na cena Doom, e "The Serpent Only Lies" é uma continuação natural do álbum de 2014.

Pesadíssimo, o novo trabalho não reinventa a roda e nem surpreende. Se o leitor conhece o CROWBAR, já sabe o que vai encontrar aqui. É o Sludge Metal em sua essência, com o peso absurdo dos riffs, os vocais berrados de Kirk e os andamentos que alternam entre a marcha lenta do Doom e o ritmo frenético do Hardcore. A faixa "Falling While Rising" abre os trabalhos com um riff Doom de tremer a terra, tendência seguida na faixa seguinte, "Plasmic And Pure", que nos faz lembrar dos primeiros álbuns da banda de New Orleans.

Durante a progressão do álbum, alternam-se momentos mais rápidos, encontrados em "I Am The Enemy" e na faixa-título, e fases mais lentas, como em "Surviving The Abyss", "The Enemy Beside You" (esta com forte influência do BLACK SABBATH) e "Song Of The Dunes", esta com um pé no Gótico. Outro destaque é "On Holy Ground" com seu clima soturno e o criativo trabalho de guitarras.

A ótima decisão de Kirk de deixar o DOWN tem sido bastante proveitosa e de muito deleite para os fãs do CROWBAR. Vale a pena correr atrás deste álbum e atestar o porquê deste grupo se manter no trono do Sludge Metal.

The Serpent Only Lies - Crowbar (2016, Steamhammer)

Tracklist:

01. Falling While Rising
02. Plasmic And Pure
03. I Am The Storm
04. Surviving The Abyss
05. The Serpent Only Lies
06. The Enemy Beside You
07. Embrace The Light
08. On Holy Ground
09. Song Of The Dunes
10. As I Heal

Line-up:

Kirk Windstein - vocais, guitarra
Matthew Brunson - guitarra
Todd "Sexy T." Strange - baixo
Tommy Buckley - bateria




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Crowbar"


MetallicaMetallica
Capa de Hardwired foi inspirada em álbum do Crowbar?

DownDown
Kirk Windstein: "Se Gene Simmons peidar, eu compro!"


Contra-baixoContra-baixo
As melhores introduções do Heavy Metal

MetallicaMetallica
Hetfield fala sobre Dave Mustaine, Load e homossexualidade

MetallicaMetallica
Lars Ulrich comenta sobre seu maior erro

Total Guitar: os 20 melhores riffs de guitarra da históriaHard Rock: as 25 melhores músicas acústicas do gêneroSlipknot: o que o DJ Sid Wilson faz na banda?Jackdevil: Extremistas, homofóbicos e xenofóbicos deveriam largar o metal

Sobre Bruno Rocha

Cearense de Caucaia, professor e estudante de Matemática, torcedor do Ferroviário e cafélotra. Entrou pelas veredas do Heavy Metal na adolescência e hoje é um aficionado e pesquisador de todos os gêneros mais tradicionais desta arte e de suas épocas. Tem como forte o Doom Metal, não obstante o sol de sua terra-natal.

Mais matérias de Bruno Rocha no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336