Buck Tick: Para o deleite dos(as) fãs!

Resenha - Atom Miraiha #9 - Buck Tick

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rafael Carnovale
ENVIAR CORREÇÕES  

Nota: 8

Se você curte J-Rock, Visual Key e a música japonesa em geral você já tem o novo trabalho do Buck Tick em mãos. "Atom Miraha #9" é lançado após quatro anos do não tão popular "Yume Miru Uchuu", e vem para provar que a banda formada em 1985 por Sakurai Atsushi (vocais), Yagami Toll (bateria), Hoshino Hideiko (guitarras), Imai Hisashi (guitarras, teclados, efeitos) e Higuchi Yutaka (baixo) continua firme em sua proposta de misturar estilos, com muita extravagância musical e muito visual forte e chocante em fotos e apresentações (características que norteiam a banda e o próprio estilo de Visual Key).

Álbuns: Mike Portnoy revela os seus 10 favoritosHistóricas: Fotos de encontros inusitados entre rockstars

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Algumas semanas antes do lançamento de seu novo trabalho a banda liberou o vídeo de "New World - begining" para delírio dos fãs. A música trazia um Buck Tick flertando com o pop e criava boas expectativas. Ao ouvir "Cum uh sol Nu – Frasco no Besshu", com seu toque oriental e boas incusões acústicas, seguida da industrial "Pinoa Icchio -Odoru Atom ", percebe-se que a banda atira sem medo no mosaico de influências que sempre lhe caracterizou."Devils Wings" remete a "New World – begining", sendo mais acessível. O lado industrial e gótico dá as caras em "El Dorado", "Bi NEO Universe" e "BOY sepptem peccata mortalia". Os que torcem o nariz para sons mais industriais poderão se satisfazer com "Jukai" e "The Seaside Story" (com um ótimo andamento e refrão"). A bana se mantém coesa, com boas guitarras (Imai vem solando muito bem), e com os vocais de Sakurai bem afinados, adepto da escola de David Bowie.

Muitas influências são encontradas neste trabalho: new age em "Manjusaka", e um rock mais pesado em "Cuba Libre". No geral um trabalho bem elaborado que satisfará os fãs da banda e os fanáticos mundo afora (que participam do fã clube "Fish Tank". A banda retorna a Victor, consagrada gravadora japonesa com um bom trabalho.

Resta apenas lançarem o show comemorativo "Climax Together III" (feito poucas semanas ao lançamento de "New World", e que o guitarrista Imai perca seu medo de avião para eles saírem do Japão, tendo em vista que em 30 anos de banda (celebrados em 2016) o mais próximo que vieram do Brasil foi ao Nepal.

VICTOR ENTERTAINEMENT - 2016




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Álbuns: Mike Portnoy revela os seus 10 favoritosÁlbuns
Mike Portnoy revela os seus 10 favoritos

Históricas: Fotos de encontros inusitados entre rockstarsHistóricas
Fotos de encontros inusitados entre rockstars


Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor