Carnifex: Fugindo dos cliches do deathcore

Resenha - Slow Death - Carnifex

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Junior Frascá
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

O CARNIFEX é um das bandas mais brutais da cena deathcore, pois embora traga em sua sonoridade elementos mais modernos, prima muito mais pelo peso e pela agressividade em suas composições, com fortes influências do death metal old school, e do brutal death metal.

Europe: toco de Lemmy, pito de Freddie, mijada com Axl RoseA História Impopular dos Rolling Stones - Livro 2 - Mick Taylor

Porém, em "Slow Death", seu sexto álbum de estúdio, que acaba de ser lançado no Brasil, via Shinigami Records, a banda ousou.

E, desta forma, o trabalho, sem qualquer dúvida, é o mais coeso dos caras até o momento, com uma sonoridade bem mais intensa e variada, transitando entre momentos de pura velocidade, e outros mais cadenciados, que acabam por prevalecer aqui, mas sem jamais abrir mão do peso e da agressividade.

Fica claro, assim, que a banda procurou fugir dos padrões do estilo, criando uma identidade mais abrangente, refinando sua sonoridade e criando algo mais épico e marcante, com mais elementos melódicos incorporados, e até a utilização de orquestrações, de forma nunca antes utilizada em seus discos anteriores.

Nao se trata de metal sinfônico ou coisa do tipo, como, por exemplo, o FLESHGOD APOCALYPSE, mas sem dúvida este lado mais atmosférico e épico se mostra marcante por aqui.

Já na faixa de abertura, "Dark Heart Ceremony", podemos perceber essa mudança na sonoridade do CARNIFEX, com melodias bem mais evidentes, um peso cavalar, e andamento mais cadenciado.

Os solos na faixa título, os licks em "Palm Ghost" (que Groove!) e o clima épico de "Six Feet Closer to Hell" são outros pontos que mostram bem essa nova proposta sonora dos caras.

Portanto, eis aqui o disco mais variado da carreira do CARNIFEX, que deu uma bela renovada em sua sonoridade, e até por isso talvez leve um tempo maior para ser absorvido pelos fãs. Mas após o ser, deverá ser reconhecido com um de seus grandes álbuns.

Slow Death - Carnifex
(2016 - Shinigami Records)

1. Dark Heart Ceremony
2. Slow Death
3. Drown Me In Blood
4. Pale Ghost
5. Black Candles Burning
6. Six Feet Closer To Hell
7. Necrotoxic
8. Life Fades To A Funeral
9. Countess Of The Crescent Moon
10. Servants To The Horde


Outras resenhas de Slow Death - Carnifex

Carnifex: Entre o deathcore e o black metal sinfônico




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Carnifex"


EuropeEurope
Toco de Lemmy, pito de Freddie, mijada com Axl Rose

A História Impopular dos Rolling StonesA História Impopular dos Rolling Stones
Livro 2 - Mick Taylor

Os SimpsonsOs Simpsons
Bandas de Rock na versão amarela

Metallica: Jason Newsted, 14 anos de humilhaçãoCornos do Rock: a dor e o peso do chifre em três belas cançõesAerosmith: Steven Tyler em "iPhone-jam" com Liv TylerIron Maiden: Eddie, um símbolo do rock vilipendiado por idiotas

Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.

adGooILQ