Richie Sambora: Os 25 anos do fantástico "Stranger In This Town"

Resenha - Stranger In This Town - Richie Sambora

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Igor Miranda
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

O Bon Jovi se tornou uma das bandas de rock mais rentáveis dos anos 1980. Discos como "Slippery When Wet" e "New Jersey" já venderam, juntos e até dias de hoje, cerca de 35 milhões de cópias por todo o mundo.

2247 acessosGNR: até agora, a banda que mais faturou com shows em 20175000 acessosÁlbuns: os vinte piores discos de todos os tempos

As turnês de divulgação atravessaram o globo com muito trabalho e pouco descanso. Isso fez com que a banda desse uma pausa em suas atividades no ano de 1990, não apenas para que os integrantes recarregassem suas baterias, como também para que tivessem a oportunidade de trabalhar em outros projetos.

Enquanto o vocalista Jon Bon Jovi lançou o álbum "Blaze Of Glory", trilha sonora do filme "Jovens Demais para Morrer", o guitarrista Richie Sambora enxergou, naquele breve hiato, a oportunidade de mostrar ao mundo suas influências e raízes musicais. Houve quem esperasse que Sambora lançasse um disco típico de virtuoso das seis cordas, mas passou longe disso.

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

Em "Stranger In This Town", Richie Sambora trabalhou com suas referências, tão diferentes das empregadas no grupo que o consagrou. O músico fez uma união rara entre o Texas blues, fortemente orientado pelas guitarras e com Stevie Ray Vaughan entre seus maiores representantes na década de 1980, e o pop/hard rock. Cada faixa deste álbum mostra que é possível ser radiofônico com qualidade.

Para gravar "Stranger In This Town", Richie Sambora contou com dois colegas de trabalho: o baterista Tico Torres, que conseguiu explorar mais elementos de percussão por aqui, e o tecladista David Bryan, que, por aqui, virou mais um organista e pouco roubou a cena, diferente dos momentos mais inspirados do Bon Jovi. O lendário baixista Tony Levin completou a formação que tocou em quase todo o disco.

A introdução "Rest In Peace", de quase quatro minutos, dá o clima levemente soturno das primeiras músicas do álbum. "Church Of Desire" é um rock melódico de pegada, que destaca Richie Sambora tanto em seus vocais quanto nos timbres de sua guitarra Stratocaster. "Stranger In This Town", mais melancólica, é o típico blues rock de origem texana que estava sendo praticado naquela época, mas com uma abordagem radiofônica que só um músico do Bon Jovi poderia dar.

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

O single de maior repercussão do disco foi "Ballad Of Youth", mas sem muita extravagância comercial. A canção apresenta uma letra consciente e uma grande performance vocal de Richie Sambora. Na sequência, está a linda balada "One Light Burning", digna de trilha sonora de romances da vida real. "Mr. Bluesman" não é tão blues quanto o título promete, mas conta com a participação de Eric Clapton, além de uma boa performance de Tico Torres na bateria. Gostosa de se ouvir.

"Rosie" foi composta para o multi-platinado "New Jersey", mas sabe-se lá o motivo de ter ficado de fora. É um hardão sensacional e grudento, com refrão altamente cantarolável. A boa "River Of Love" mantém o clima hard rock, sempre em uma pegada mais tradicional que a praticada, por exemplo, pelo Bon Jovi. No fechamento, Sambora puxa o freio com as baladas "Father Time" e "The Answer", que exibem muito bem sua potente voz e os cuidados com harmonia e composição.

"Stranger In This Town" não foi um sucesso de vendas - e nem foi concebido para ser. Tornou-se um trabalho de admiração cult, reconhecido por fãs de Bon Jovi que também se identificam com outras vertentes e por admiradores de blues rock que ultrapassaram a barreira do preconceito com relação a Sambora.

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

Ainda assim, "Stranger In This Town" atingiu marcas interessantes em termos comerciais. O álbum chegou às posições de número 36, 20 e 42 nas paradas de, respectivamente, Estados Unidos, Reino Unido e Canadá. Somente um dos singles, "Ballad Of Youth", entrou na Billboard Hot 100 - e na classificação de número 63. Números tímidos, mas que soam como lucro para alguém que não teve o intuito de fazer um disco tão comercial.

Richie Sambora não lançou um disco solo até o bom "Undiscovered Soul", de 1998, em função dos compromissos com o Bon Jovi. Mas a audição de "Stranger In This Town" permite a conclusão de que ele deveria ter investido mais em sua carreira solo, mesmo que paralelamente, pois o trabalho é incrível.

Infelizmente, nem mesmo hoje em dia, fora da banda, Sambora não parece estar tão disposto a lançar álbuns. O fraco "Aftermath Of The Lowdown", de 2012, deve ganhar um sucessor em 2016, quatro anos depois, intitulado "Rise". Resta-nos esperar. Se seguir o padrão de qualidade de "Stranger In This Town", vai agradar.

Richie Sambora - "Stranger In This Town"
Lançado em 3 de setembro de 1991

Richie Sambora (vocal, guitarra, violão)
Tony Levin (baixo, Chapman stick)
David Bryan (teclados)
Tico Torres (bateria, percussão)

Músicos adicionais:
Eric Clapton (guitarra solo em 6)
Randy Jackson (baixo adicional)
Jeff Bova (teclados adicionais)
Larry Fast (teclados adicionais)
Robbie Buchanan (programadores)
Rafael Padilla (percussão)
Carol Steele (percussão)
Tawatha Agee (backing vocals)
Bekka Bramlett (backing vocals)
Curtis King (backing vocals)
Brenda White-King (backing vocals)
Franke Previte (backing vocals)
Dean Fasano (backing vocals)

01. Rest In Peace
02. Church Of Desire
03. Stranger In This Town
04. Ballad Of Youth
05. One Light Burning
06. Mr. Bluesman
07. Rosie
08. River Of Love
09. Father Time
10. The Answer

Comente: Grande trabalho solo do Richie Sambora, não?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 03 de setembro de 2016

Guns N RosesGuns N' Roses
Até agora, a banda que mais faturou com shows em 2017

809 acessosJon Bon Jovi: ele receberá prêmio por suas ações filantrópicas0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Bon Jovi"

Jon Bon JoviJon Bon Jovi
Quando ele levou um fora de Bruna Lombardi

19861986
O ano definitivo da música pesada

Guns N RosesGuns N' Roses
A antiga rivalidade entre Axl e Jon Bon Jovi

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Richie Sambora"0 acessosTodas as matérias sobre "Bon Jovi"

ÁlbunsÁlbuns
Os vinte piores discos de todos os tempos

Collectors RoomCollectors Room
A imensa coleção do apresentador Vitão Bonesso

Papai TruezãoPapai Truezão
Astros do Heavy Metal em fotos com seus filhos

5000 acessosGibson: as dez melhores composições épicas do rock5000 acessosGigwise: as capas mais polêmicas dos anos 20005000 acessosHetfield: egos, Mustaine, Load e homossexualidade no Metallica5000 acessosSolos: Alguns dos mais bonitos do Heavy Metal4251 acessosIron Maiden: uma versão de "The Trooper" peidando com as mãos5000 acessosBlack Label Society: Zakk explica programa de um passo

Sobre Igor Miranda

Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e apaixonado por rock há mais de uma década. Começou a escrever sobre música em 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Atualmente, é redator-chefe da área editorial do site Cifras e mantém um site próprio (www.IgorMiranda.com.br). Também co-fundou o site Van do Halen, para o qual trabalhou até 2013 – apesar de ainda manter por lá uma coluna semanal, chamada Cabeçote.

Mais informações sobre Igor Miranda

Mais matérias de Igor Miranda no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online