D.A.M.: Mostrando uma pura dedicação e paixão pela música

Resenha - Premonitions - D.A.M

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Gisela Cardoso
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Então eis mais um trabalho da banda mineira D.A.M, que em pouco tempo já conseguiu firmar sua identidade por meio de uma sonoridade muito bem trabalhada e rica em seus mínimos detalhes. Atualmente com uma nova formação, o grupo liderado por Guilherme de Alvarenga apresenta o EP "Premonitions", o qual marca mais um capítulo excelente de sua trajetória musical.

Tarja Turunen: vocalista reprova cover do Children Of Bodom no The VoiceBob Daisley: baixista dá detalhes de sua briga com Osbourne

Assim como em seus trabalhos anteriores, D.A.M continua investindo em melodias e arranjos magistrais. Mas, desta vez, é possível sentir um foco maior no peso de seu Death Metal Melódico, principalmente no que diz respeito aos riffs de guitarra. Aliás, podemos perceber uma complexidade ainda maior por detrás de todos os elementos que compõem a obra, o que exige uma produção cuidadosa para que seu trabalho tenha um ótimo resultado - e a D.A.M, mais uma vez, conseguiu alcançar tal objetivo.

Os teclados ainda continuam sendo a peça central das composições, proporcionando admiráveis solos e arranjos, além de gerar um elo entre a melodia e a agressividade (à qual se deve principalmente aos vocais de Guilherme de Alvarenga). Os solos de guitarra também recebem uma atenção especial, que juntos aos dos teclados, criam os grandiosos duelos entre os dois instrumentos, o que já é típico de seu estilo. Vale também destacar as vozes femininas presentes na música "Untouchable", o que contribui para que ela seja ainda mais grandiosa, tornando-se uma das melhores composições em "Premonitions".

Também é incrível como toda a sonoridade do trabalho se casa perfeitamente aos temas líricos, e isso é transmitido fortemente por meio de uma atmosfera pesada e sombria presente ao longo do EP - como nas faixas "Untouchable e Frustration", "Anorexic Dysphoria (AElegy for the Brainless)" e "Frustration (Imprisoned Dreams)", por exemplo, - criando até um clima gélido e depressivo.

Mesmo tendo uma sonoridade muito comparada a de grandes nomes do mesmo estilo - como Children Of Bodom, Arch Enemy e Nightwish - o que também pode ser um reflexo de suas influências, vale ressaltar que a D.A.M revela sua própria identidade por meio de toda sua complexidade e a originalidade em agregar elementos de diversos gêneros - como, por exemplo, do Heavy e Power Metal, além de passagens progressivas e mais voltadas à música clássica. Além disso, toda a atmosfera transmitida pelas suas músicas ajuda também a construir o seu próprio Death Metal Melódico.

Uma obra tão grandiosa e digna de admiração, como o EP "Premonitions" da D.A.M, mostra evidentemente uma pura dedicação e paixão pela música, fruto de todos os seus detalhes minimamente trabalhados.

O EP "Premonitions" pode ser conferido na íntegra a seguir:

Tracklist:

1. Premonitions... (Under the Tree of Regrets)
2. The Cage (Breaking the Paradigms)
3. Untouchable (My Past Mistakes...)
4. Anorexic Dysphoria (AElegy for the Brainless)
5. Changing the Directions (Unresolved)
6. Frustration (Imprisoned Dreams)

Line-up:
Guilherme de Alvarenga - vocal, teclados
Edu Megale - guitarras
Caio Campos - baixo

Confira mais sobre a D.A.M em:

Facebook:
https://www.facebook.com/dametalband
Site:
https://damband.wordpress.com/
Soundcloud:
https://soundcloud.com/d-a-m-band/
Youtube:
https://www.youtube.com/channel/UCOxePLcQ4l342L6WhXrsuqA




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "D.A.M."


Tarja TurunenTarja Turunen
Vocalista reprova cover do COB no The Voice

Ozzy OsbourneOzzy Osbourne
Bob Dasley abre jogo sobre os podres do Madman

MotörheadMotörhead
Em 1995, Lemmy comenta versão do Sepultura

Danilo Gentili: O sertanejo tem mais atitude roqueira que o próprio roqueiroUltraje a Rigor: Roger diz que foi tratado como lixo pela equipe dos StonesSlash: Dave Mustaine é um gênio do Heavy MetalDave Lombardo: temáticas satânicas envelheceram com o tempo

Sobre Gisela Cardoso

Headbanger, Jornalista, Crítica de Metal, vocalista, instrumentista, anarco-comunista, vegetariana, apaixonada por Mitologia Nórdica e adoradora do Deus Metal. A música me move e as palavras constroem! @GisaGrind.

Mais matérias de Gisela Cardoso no Whiplash.Net.

adGooILQ