Division Hell: Uma verdadeira pedrada Death Metal

Resenha - Bleeding Hate - Division Hell

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vicente Reckziegel
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Vou começar essa resenha de forma diferente, justamente parabenizando a todos os envolvidos pela belíssima capa e toda a produção exemplar de "Bleeding Hate", uma amostra de quão bom pode ser nosso material não apenas sonora, mas visualmente mesmo. Um caso de "amor" a primeira vista.

Division Hell: assista ao novo videoclipe "The 9 Circles"Corey Talor: "Axl é um pau no cu e quem espera por ele é otário"

Mas obviamente que, se o som da banda paranaense não tivesse a mesma qualidade, esses detalhes não conseguiriam salvar o resultado final. E felizmente o quarteto curitibano sabe muito bem como vencer um jogo.

Uma breve introdução e a violência começa com "Army of the Dead", um verdadeiro petardo Death Metal que não deixa pedra sobre pedra. Violência sonora que se mantém em "The Fable of Salvation", com a tradicional letra Death e surpreendentes melodias surgindo no decorrer da música. "World Khaos" tem um inicio marcante e participação especial de Mano Mutilated nos vocais, mais um grande destaque de "Bleeding Hate".

A faixa-título possui um peso absurdo, apesar de mais cadenciada, e um ótimo solo de guitarra que casou com o ritmo menos acelerado. Uma música nota 10. "The Last Words" trazem vocais mais variados, e parece um pouco com o que o Paradise Lost fazia em seus primeiros anos. "Holy Lies" tem alguns riffs e solos mais voltados para o Thrash Metal, apesar das letras não negarem o lado Death Metal do Division Hell.

A instrumental "Bleak" dá uma chance para o ouvinte respirar um pouco, já que investe mais na melodia, mas esse fôlego novo mal agüenta as últimas duas faixas do disco, "Waiting For the Exact Time", típica faixa Death Metal, e que também conta com ótimos solos de guitarra e alguns riffs a la Cannibal Corpse, e "Crossing the Line", que também investe mais no peso que na velocidade, tendo novamente alguns saudáveis elementos mais voltados para o Thrash Metal.

Talvez um pequeno senão de "Bleeding Hate" (para não dizer que é tudo perfeição), e é uma culpa que nem sequer pode ser atribuída a banda, visto ser um problema recorrente em bandas de Metal nacionais, é que o disco foi gravado entre 2012-2015, um longo período que não traz uma grande uniformidade as músicas, fazendo com que as mesmas funcionem mais de forma separadas que como um disco. Mas se esse for o ponto fraco de "Bleeding Hate", fica a certeza que o resultado final é muito bom...

Formação:
Ubour (Guitarra/Vocal)
Renato Rieche (Guitarra)
Hernan Borges (Baixo)
Eduardo Oliveira (Bateria)

9 Faixas - 40:34

Tracklist:
1 - Army Of The Dead
2 - The Fable Of Salvation
3 - World Khaos
4 - Bleeding Hate
5 - The Last Words
6 - Holy Lies
7 - Bleak (Instrumental)
8 - Waiting For The Exact Time
9 - Crossing The Line


Outras resenhas de Bleeding Hate - Division Hell

Division Hell: Uma digna representação da cena Metal brasileiraDivision Hell: Prepare seu pescoço e aperte playDivision Hell: O grande diferencial é a musicalidade ímpar



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Division Hell"


Division Hell: assista ao novo videoclipe "The 9 Circles"Division Hell: single "I am Death" em todas as plataformas digitaisDivision Hell: novo lyric vídeo da inédita "Rise Against"Division Hell: detalhes sobre o conceito do álbum Carpe Mortem

Corey Talor: Axl é um pau no cu e quem espera por ele é otárioCorey Talor
"Axl é um pau no cu e quem espera por ele é otário"

Metallica: músicos regravam o St. Anger da forma correta - ouçaMetallica
Músicos regravam o St. Anger "da forma correta" - ouça

Dr. Sin: Agora todo mundo lamenta? Vão se foder!, diz Regis TadeuDr. Sin
Agora todo mundo lamenta? Vão se foder!, diz Regis Tadeu

Religião: os rockstars que se converteramReligião
Os rockstars que se converteram

Simone Simons: a nudez na capa de Divine ConspiracySimone Simons
A nudez na capa de Divine Conspiracy

Lemmy: Eu parei de fumar como um homem de verdade paraLemmy
"Eu parei de fumar como um homem de verdade para"

Black Sabbath: em 1981, revista massacrava álbum Mob RulesBlack Sabbath
Em 1981, revista massacrava álbum Mob Rules


Sobre Vicente Reckziegel

Servidor público, escritor, mas principalmente um apaixonado pelo Rock e Metal há pelo menos duas décadas. Mantêm o Blog Witheverytearadream desde Dezembro de 2007. Natural e ainda morador de uma pequena cidade no interior do Rio Grande do Sul, chamada Estrela. Há muitos anos atrás tentou ser músico, mas notou que faltava algo simples: habilidade para tocar qualquer instrumento. Acredita na música feita no Brasil, e gosta de todos os gêneros, desde Rock clássico até Black Metal.

Mais matérias de Vicente Reckziegel no Whiplash.Net.