Chrome Over Brass: Rock instrumental de alto nível

Resenha - Chrome Over Brass - Chrome Over Brass

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Mário Pescada
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Multi-instrumentista resolve montar um projeto solo para gravar um disco completo onde tocará todos os instrumentos, fará a gravação e a produção em seu próprio estúdio, tudo por sua conta. O que poderia ser coisa de quem sofre de megalomania ou um registro monótono com intermináveis experimentações e demonstrações do seu talento, termina como um ótimo disco de rock!

Mulheres no Rock: as mais importantes segundo rádio inglesaHetfield: egos, Mustaine, Load e homossexualidade no Metallica

Chrome Over Brass (COB) é a banda de Alex Garcia-Rivera, baterista, técnico de bateria e engenheiro de gravação residente em Boston/EUA. Músico multi-instrumentista, já tocou, gravou e excursionou com diversas bandas da cena underground punk/hardcore norte-americana como SHELTER, CONVERGE, MADBALL, COLISEUM, etc., além de também ser o baterista da banda punk/hardcore GIVE UP THE GHOST, conhecida anteriormente como AMERICAN NIGHTMARE (tiveram de mudar de nome devido a um processo judicial movido por uma banda que alegou ser a dona do nome).

Apesar de toda essa bagagem punk/hardcore, o som do disco é um rock instrumental pesado com forte apoio na bateria (nem poderia ser diferente), mas que não foi feito exclusivamente aos amantes desse instrumento. É justamente aí que está o grande mérito do disco, na sua capacidade de agradar ouvintes de várias vertentes do rock. Dá para identificar toques dos anos 60/70, post-rock, metal, progressivo e até uso de sintetizadores Moog.

O disco foi todo gravado em um processo 100% analógico em fitas de 2 polegadas, sem nenhuma edição digital e lançado em vinil de 12 polegadas. Todos os instrumentos foram gravados em takes únicos, uma verdadeira raridade no processo atual que é de colar e copiar as melhores partes de diversos takes formando uma única faixa. Ponto para ele!

Apesar do bom nível geral do disco, destaco Elephants Never Forget com sua pegada tribal, Bear Attack, Fighting With Tooth And Nailgun, Moogs For Moderns cheia de viradas, baixo distorcido e efeitos Moog, Jeeps On Safari e One Night In St. Regis. O serviço de streaming da Apple elegeu o disco como um dos melhores álbuns de metal de 2015 (apesar dele extrapolar o estilo).

Nas suas apresentações ao vivo, Alex toca bateria tendo de fundo uma gravação com os demais instrumentos, no melhor estilo workshop.

Confira a faixa Bear Attack

Ouça o disco na íntegra

https://www.youtube.com/watch?v=_lJTv_mjVSM&list=PLR1Rhh3U2Q...

Faixas:
01 - Elephants Never Forget
02 - Bear Attack
03 - Crush On The Derbyshire
04 - Here Come The Stukas (lançada originalmente como single em 2014 sob o nome de Stukas In The Wind)
05 - Black Rainbow
06 - Fighting With Tooth And Nailgun
07 - Moogs For Moderns
08 - Jeeps On Safari
09 - One Night In St. Regis




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Chrome Over Brass"


Mulheres no RockMulheres no Rock
As mais importantes segundo rádio inglesa

MetallicaMetallica
Hetfield fala sobre Dave Mustaine, Load e homossexualidade

Thrash MetalThrash Metal
20 bandas brasileiras de qualidade inquestionável

Suzi Quatro: a importância da linda baixista para o rockKiss sobre Secos e Molhados: "há quem acredite em OVNIs"Comes e bebes: exposição fotográfica mostra exigências de músicosTamanho é documento?: os Rock Stars mais altos e baixos

Sobre Mário Pescada

Mineiro, leitor compulsivo, ouvinte de todas as vertentes do rock - do blues ao grindcore. Valoriza mais a honestidade e entrega em cima do palco do que a técnica. Guarda os flyers dos shows que vai como se fossem relíquias.

Mais matérias de Mário Pescada no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336