Malefactor: Metal Trabalhado e Sem Fronteiras

Resenha - Darkest Throne - Malefactor

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vitor Sobreira
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8

Sempre gostei de comprar CDs originais, e mesmo antes de ter acesso à Internet, me arriscava em adquirir álbuns de bandas que nunca havia ouvido ou conhecido, e as vezes, sabia ao menos o estilo da banda, mas como queria conhecer novos sons, esse era então o único jeito... Tempos difíceis! Mas, mesmo comprando no 'escuro', sempre dei sorte, e como prova, escreverei aqui, um pouco sobre um desses CDs que valeu muito a pena o dinheiro gasto.

Guitarristas: você consegue identificar todos nesta imagem?Aerosmith: As 20 frases mais ultrajantes de Steven Tyler

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Lembranças à parte, apesar deste álbum ter sido lançado a cerca de 15 anos atrás, a sonoridade proposta não é nem um pouco datada, e nos soa bem atual. O som, um misto de Melodic, Epic e Extreme Metal (principalmente Death) foi muito bem trabalhado, pois a qualidade é incrível. Vindos da Bahia, terra 'dominada' pelo Axé Music, o grupo mostrou que quando o assunto é determinação e originalidade, o 'clima' dominante não interfere em nada na criação de músicas ricas e fortes (que não devem nada à bandas estrangeiras) presenciadas em abundância, prontas para o Brasil e o mundo como um ataque bárbaro.

Se Lord Vlad abusou sem piedade da diversidade de seus vocais (um gutural/rasgado e um limpo, bem característicos), o que diria então sobre o time de músicos responsáveis pela 'matança sonora', que craveja de solos, levadas inteligentes e camadas de teclados inspiradas em toda a extensão do 'play', dono de uma gravação bem bacana e músicas versáteis que não exibem somente velocidade e técnica, mas também momentos mais trabalhados e épicos que dão arrepios pela honestidade. Em muitos casos fico apertado com os destaques, mas acho 'Necrolust in Thulsa Abbey', 'Into the Silence', 'Breaking the Castles' e a épica 'The Darkest Throne', uma ótima pedida!

Aqui está mais um disco, de uma banda nacional, que merece ser melhor lembrado e apreciado. Confira!!

Faixas:
1. Necrolust in Thulsa Abbey [06:21]
2. Into the Silence [05:21]
3. Luciferian Times [05:50]
4. Breaking the Castles [04:38]
5. Prelude to a Battle [01:36]
6. Behind the Mirror [05:25]
7. The Darkest Throne [06:52]
8. A God That Doesn't Lie [04:20]

[TEMPO TOTAL - 40:23]

Formação:
Roberto Souza - Baixo
Alexandre Deminco - Bateria
Danilo Coimbra - Guitarra
Lord Vlad - Vocais
Martin Mendonça - Guitarra
Ovídio Amoedo - Teclados
Luciano Veiga - Teclados

Lançamento: 2001 - Demise Records




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Malefactor"


Malefactor: Razões pelas quais Lord Vlad vive a música pesadaMalefactor
Razões pelas quais Lord Vlad vive a música pesada

Death Metal: mais cinco álbuns nacionais que você deve escutarDeath Metal
Mais cinco álbuns nacionais que você deve escutar


Guitarristas: você consegue identificar todos nesta imagem?Guitarristas
Você consegue identificar todos nesta imagem?

Aerosmith: As 20 frases mais ultrajantes de Steven TylerAerosmith
As 20 frases mais ultrajantes de Steven Tyler


Sobre Vitor Sobreira

Moro no interior de Minas Gerais e curto de tudo um pouco dentro do maravilhoso mundo da música pesada, além de não dispensar também uma boa leitura, filmes e algumas séries. Mesmo não sendo um profissional da escrita, tenho como objetivos produzir textos simples e honestos, principalmente na forma de resenhas, apresentando e relembrando aos ouvintes, bandas e discos de várias ramificações do Metal/Heavy Rock, muitos dos quais, esquecidos e obscuros.

Mais matérias de Vitor Sobreira no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor