RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemA música de Raul Seixas que salvou a carreira de Chitãozinho e Xororó

imagemPor que Lemmy odiava tocar "Ace of Spades" nos shows do Motörhead

imagemPaul McCartney quase foi atropelado ao tentar recriar famosa cena de capa de disco

imagemOmelete diz que heavy metal pertence agora à nova geração e não ao tiozão headbanger

imagemA atitude punk da Legião Urbana que causou irritação e deu trabalho na gravação

imagemO Raul Seixas não era nada daquilo que ele falava, diz ex-parceiro musical

imagemO brasileiro com a voz parecida com a de Axl Rose que viralizou no TikTok

imagemO hit dos Beatles que talvez seja sobre drogas e que "Jesus" acompanhou gravação

imagemO conselho realista de John Petrucci para bandas que estão começando agora

imagemQuatro músicas de artistas brasileiros que citam Os Paralamas do Sucesso

imagemQual era a opinião de Tony Iommi sobre Ozzy Osbourne solo e Randy Rhoads em 1984?

imagem"Quem não gosta de Beatles bom sujeito não é", diz João Gordo

imagemO que faltou para o Overkill entrar no "Big Four" do thrash, segundo D. D. Verni

imagemAndi Deris tem problemas de saúde e shows do Helloween são adiados

imagemOs 10 maiores álbuns da história do grunge, em lista do Brave Words


Assírios: Bombardeando a cena hardcore com riffs

Resenha - Imortalidade - Assírios

Por Matheus Albuquerque
Postado em 27 de agosto de 2015

Nota: 8

O underground carioca está com uma "safra" de ótimas bandas e uma delas é a banda de metalcore Assírios. A banda está para lançar seu mais recente trabalho intitulado "Imortalidade".

O álbum começa com a introdução "Tudo Pelo que Lutamos" que começa com um piano que logo dá inicio para gritos, que se estendem até o final dela. Logo de quebra tem inicio a música "A Paz Interior É O Que Te Faz Sofrer", ela começa com os gritos da intro que logo é tomada pelo riff dela. Uma música com quebras de ritmos no refrão deixando ainda mais evidente suas influências do metalcore.

"Cinzas ao Vento" é a próxima música que começa com um solo seguido da bateria apenas na caixa e pedais. Esse solo de introdução me lembra muito a banda galesa Bullet For My Valentine. o vocal dessa música é composta de um coro de background enquanto o vocalista Arthur de Castro canta fortemente com seu Drive na voz.

"Você Ainda Respira", que foi o primeiro single da banda, vem como forma de nostalgia para os fãs mais antigos. Um dos melhores riffs do álbum juntamente com a letra sobre ter uma banda na atual cena musical.

"3:45 am" começa com um solo acompanhado do baixo, noto uma pequena influência em Iron Maiden nessa introdução. Porém, a música quebra em um dedilhado e vocais mais calmos, que continua até o refrão onde há uma explosão de notas mas não de ritmo.

"Babilônia" começa com outro riff super enérgico. A música em seu todo tem um ritmo bem acelerado com o que eu chamaria de "semente do metalcore". Essa é a música que eu mais recomendo aos fãs de Bullet for my Valentine e Trivium, sem dúvidas a melhor música do álbum.

"Fogo" vem para acalmar os ânimos em um ritmo lento e letras de amor juntamente com um violão doce fazendo com que a balada seja implacável.

Uma introdução dedilhada para dar inicio para a música "De Olhos Abertos". A música entra com peso e tem o tema de como a banda se mantêm forte na música sem perder o foco.

"Nem Tudo É Seu" começa com uma bateria e o vocal. Um ritmo animado que lembra muito Atreyu. A Música fala da alienação e como deve ser a luta contra ela. Os coros dessa música tem leves pitadas de thrash metal mas sem perder seu ritmo bem metalcore.

"Endorfina" começa com uma introdução de baixo que logo é substituída pelo peso de um berro bem grave. a música tem pausas no instrumental sendo seguida apenas por voz e baixo em pontos específicos da música.

"Imortalidade" é a última música do álbum. O som já começa com um riff animado com ótimas linhas vocais variadas por berros e drives. A música encerra o álbum com um piano terminando assim essa viagem pelo metalcore que eu chamaria de tradicional.

Tracklist:
1-Tudo Pelo Que Lutamos
2-A Paz Interior É O Que Te Faz Sofre
3-Cinzas ao Vento
4-Você Ainda Respira
5-3:45 am
6-Babilônia
7-Fogo
8-De Olhos Abertos
9-Nem Tudo É Seu
10-Endorfina
11-Imortalidade

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:
Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp

Slayer: a trágica e não revelada história do fim de Jeff Hanneman


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal