Assírios: Bombardeando a cena hardcore com riffs

Resenha - Imortalidade - Assírios

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Matheus Albuquerque
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


O underground carioca está com uma "safra" de ótimas bandas e uma delas é a banda de metalcore Assírios. A banda está para lançar seu mais recente trabalho intitulado "Imortalidade".
5000 acessosBon Jovi: Larissa Riquelme dançando com os seios de fora5000 acessosGigwise: as capas mais polêmicas dos anos 2000

O álbum começa com a introdução "Tudo Pelo que Lutamos" que começa com um piano que logo dá inicio para gritos, que se estendem até o final dela. Logo de quebra tem inicio a música "A Paz Interior É O Que Te Faz Sofrer", ela começa com os gritos da intro que logo é tomada pelo riff dela. Uma música com quebras de ritmos no refrão deixando ainda mais evidente suas influências do metalcore.

"Cinzas ao Vento" é a próxima música que começa com um solo seguido da bateria apenas na caixa e pedais. Esse solo de introdução me lembra muito a banda galesa Bullet For My Valentine. o vocal dessa música é composta de um coro de background enquanto o vocalista Arthur de Castro canta fortemente com seu Drive na voz.

"Você Ainda Respira", que foi o primeiro single da banda, vem como forma de nostalgia para os fãs mais antigos. Um dos melhores riffs do álbum juntamente com a letra sobre ter uma banda na atual cena musical.

"3:45 am" começa com um solo acompanhado do baixo, noto uma pequena influência em Iron Maiden nessa introdução. Porém, a música quebra em um dedilhado e vocais mais calmos, que continua até o refrão onde há uma explosão de notas mas não de ritmo.

"Babilônia" começa com outro riff super enérgico. A música em seu todo tem um ritmo bem acelerado com o que eu chamaria de "semente do metalcore". Essa é a música que eu mais recomendo aos fãs de Bullet for my Valentine e Trivium, sem dúvidas a melhor música do álbum.

"Fogo" vem para acalmar os ânimos em um ritmo lento e letras de amor juntamente com um violão doce fazendo com que a balada seja implacável.

Uma introdução dedilhada para dar inicio para a música "De Olhos Abertos". A música entra com peso e tem o tema de como a banda se mantêm forte na música sem perder o foco.

"Nem Tudo É Seu" começa com uma bateria e o vocal. Um ritmo animado que lembra muito Atreyu. A Música fala da alienação e como deve ser a luta contra ela. Os coros dessa música tem leves pitadas de thrash metal mas sem perder seu ritmo bem metalcore.

"Endorfina" começa com uma introdução de baixo que logo é substituída pelo peso de um berro bem grave. a música tem pausas no instrumental sendo seguida apenas por voz e baixo em pontos específicos da música.

"Imortalidade" é a última música do álbum. O som já começa com um riff animado com ótimas linhas vocais variadas por berros e drives. A música encerra o álbum com um piano terminando assim essa viagem pelo metalcore que eu chamaria de tradicional.

Tracklist:
1-Tudo Pelo Que Lutamos
2-A Paz Interior É O Que Te Faz Sofre
3-Cinzas ao Vento
4-Você Ainda Respira
5-3:45 am
6-Babilônia
7-Fogo
8-De Olhos Abertos
9-Nem Tudo É Seu
10-Endorfina
11-Imortalidade

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Assírios"

Bon JoviBon Jovi
Larissa Riquelme dança música com os seios de fora

Capas polêmicasCapas polêmicas
Slayer, Megadeth, Dream Theater, Carcass...

Há quem gosteHá quem goste
As 10 bandas mais odiadas do universo

5000 acessosMike Mangini: um dos bateristas mais rápidos do mundo?5000 acessosO Whiplash.Net protege quem anuncia no site?5000 acessosIron Maiden: Rachel Sheherazade é uma grande fã da banda4629 acessosIron Maiden: como foi feita aquela incrível capa da Kerrang?5000 acessosMetallica: Ulrich não quer esconder o fato de ser rico5000 acessosAC/DC: as lembranças de Angus e Malcolm sobre Bon Scott

Sobre Matheus Albuquerque

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online