Solitary Sabred: Variando a sonoridade

Resenha - Redemption Through Force - Solitary Sabred

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vitor Franceschini
Enviar Correções  

publicidade

7


"Redemption Through Force" é o segundo disco dos cipriotas do Solitary Sabred, banda que traz em sua sonoridade mesclas de influências distintas, que acabam gerando músicas interessantes e, de certa forma, diferenciadas e não tão comuns dentro do gênero que propõem.

Saúde: mais de 60% dos músicos sofrem de problemas mentais

Metallica: Segundo James Hetfield, Lars Ulrich tocava horrivelmente mal, mas era rico

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O som caminha entre o Power e o Heavy Metal com temáticas épicas, falando sobre batalhas, fantasia, mitologia... Até aí nenhuma novidade. O interessante é o som mesmo, já que a banda não investe apenas em velocidade, melodia e bumbos duplos. O negócio aqui é mais variado, com alternâncias de ritmos e tudo mais.

Imagina se o Manowar se misturasse ao King Diamond, por exemplo. Afinal a banda se utiliza de ritmos marchantes, com riffs bem elaborados e o vocalista Petros "Asgardlord" Leptos possui um timbre a lá Eric Adams e ainda se utiliza de falsetes tão característicos do ‘Rei Diamante’. Mas, o mais incrível é que essas influências servem apenas de inspiração e não como uma cópia das fórmulas citadas.

Destaque para as faixas Redeemer e Sarah Lancaster (The Witch's Breed) – essas com bastante falsetes – além de Burn Magic, Black Magic (ótimo refrão) e Revelation (um Power Metal bem característico, mas com quebradas). A produção é boa, mas poderia ser mais límpida e menos aguda, o que acabou tirando um pouco do peso. No mais, um trabalho muito interessante.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

http://www.solitarysabred.com/
https://www.facebook.com/sabredmetal




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Saúde: mais de 60% dos músicos sofrem de problemas mentaisSaúde
Mais de 60% dos músicos sofrem de problemas mentais

Metallica: Segundo James Hetfield, Lars Ulrich tocava horrivelmente mal, mas era ricoMetallica
Segundo James Hetfield, Lars Ulrich tocava horrivelmente mal, mas era rico


Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280