Blur: Voltando às origens e amadurecendo sem deixar de renovar

Resenha - Magic Whip - Blur

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Célio Azevedo
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Em "The Magic Whip", a banda Blur volta às origens, porém de maneira amadurecida, e sem deixar de inovar. Mesmo estando há 12 anos sem lançar um trabalho de inéditas, o quarteto não perdeu a sua criatividade genial na hora de compor.
5000 acessosKiss: as mulheres da vida de Paul Stanley5000 acessosRihanna: o logotipo death metal da cantora e sua relação com o metal

Iniciando em "Lonesome Street", o ritmo dançante marca a canção do início ao fim. Com uma letra simples e melódica. Um refrão pop, mostrando o quanto eles ainda sabem produzir uma música comercial sem perder a qualidade. Claramente uma releitura do ‘Modern Life is Rubbish’. O que dizer de uma música que até um "Oasis" a classificou como a melhor do ano?

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

Em "New World Towers" possui muita influência do novo disco solo de Damon Albarn, com destaque para o ar psicodélico que a música passa, com suas batidas africanas. A visão de um mundo pós-moderno, em reconstrução de identidade.

Na música de trabalho "Go Out" é simplesmente o Blur sendo Blur, com guitarras solos que lembram a conhecida "Coffee and Tv", do álbum '13', um tanto diferente de "Ice Cream Man", que conta a história de um "homem-sorvete", meio que relembra também a história do videoclipe da mesma "Coffee and Tv", com a caixinha de leite. Em "Thought I Was a Spaceman" é uma balada com uma certa pitada de música eletrônica, e que poderia facilmente ter entrado na discografia solo de Damon Albarn.

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

O rock alternativo dançante de "I Broadcast" coloca o tom de diversão que a discografia do Blur tem de melhor em músicas como “Song 2” e “Bugman”, e o ritmo cadenciado retorna em "My Terracotta Heart", uma balada romântica épica que com certeza entraria num cd de melhores da banda. Falando do mundo hoje e das questões enfrentadas por todos nós, "There Are Too Many of Us" tem um belo arranjo e uma letra bem filosófica (There are too many of us/ That's plain to see/ We all believe in praying/ For our immortality/ We've posed these questions to our children/ Across the mountain stream/ And live in tiny houses/ Of the same mistakes we've made).

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

"Ghost Ship" traz uma banda calma, e isso demonstra o amadurecimento da mesma com a superação das brigas do passado entre Graham Coxon e Damon Albarn. Na belíssima faixa, "Pyongyang" trata da solitude como uma coisa boa. Em como o individualismo pode ser benéfico, sem este ser egoísta. Bem uma crítica à ditadura coletivista da comunista Coréia do Norte, onde há a "morte espiritual do indivíduo". A animada "Ong Ong" relembra as épocas animadas do 'Parklife'. E a espetacular "Mirrorball" fecha o trabalho com uma melodia progressiva e uma letra reflexiva.

Tracklist:

1 - "Lonesome Street"
2 - "New World Towers"
3 - "Go Out"
4 - "Ice Cream Man"
5 - "Thought I Was a Spaceman"
6 - "I Broadcast"
7 - "My Terracotta Heart"
8 - "There Are Too Many of Us"
9 - "Ghost Ship"
10 - "Pyongyang"
11 - "Ong Ong"
12 - "Mirrorball"

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de Magic Whip - Blur

477 acessosBlur: Não é o melhor trabalho, mas traz muitas novidades

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Blur"

Pra ouvir e discutirPra ouvir e discutir
Os melhores discos lançados em 1994

Rolling StoneRolling Stone
Revista elege os melhores rocks com mais de sete minutos

MetallicaMetallica
Lars Ulrich monta time de futebol fictício apenas com músicos

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Blur"

KissKiss
As mulheres da vida de Paul Stanley

RihannaRihanna
O logo death metal e a relação da cantora com o metal

Guns N RosesGuns N' Roses
O melhor solo de guitarra da história

5000 acessosFotos de Infância: Avril Lavigne5000 acessosKim Kardashian: usando camiseta do Metallica de dois mil dólares?5000 acessosTeoria da Conspiração: Slipknot troca membros em shows ao vivo?5000 acessosTwisted Sister: Dee conta como Lemmy salvou sua vida5000 acessosBruce Dickinson: Relógio oficial lançado pela Matwatches5000 acessosDeath: "Chuck Schuldiner não era um cara simpático!"

Sobre Célio Azevedo

Nascido no Rio de Janeiro, Célio Azevedo é jornalista, músico, compositor e escritor. Apaixonado por heavy metal, apreciador de rock alternativo. Desde 1997, através de bandas como Blur, Silverchair, Sonic Youth, Helloween e Iron Maiden, se inspirou em diversos estilos musicais para desenvolver o seu próprio. Engajado politicamente, já atuou como dirigente político acadêmico e cultural. Liberal clássico na economia, conservador em posições político-filosóficas, associa o rock como uma vertente libertadora. Mais informações aqui.

Mais matérias de Célio Azevedo no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online