2polos: Uma banda que mantém o rock brasileiro vivo

Resenha - 2polos - 2polos

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Victor de Andrade Lopes, Fonte: Sinfonia de Ideias
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Após um álbum de estreia sem muito impacto e um EP acústico, os potiguares da 2polos cravaram seu nome definitivamente no rock nacional recente com um álbum autointitulado de 2013, que lhes rendeu elogios da crítica e mais atenção da imprensa especializada.

Black Sabbath: um Tony Iommi que você não conheciaTúmulos: alguns dos jazigos mais famosos do Metal nos EUA

E não é por menos. O começo deste álbum autointitulado já impressiona pelo peso e pela atitude do instrumental, mas as letras melosas farão os roqueiros mais conservadores levantarem uma sobrancelha. Se não forem impacientes demais, terão a oportunidade de ver a banda assumir um tom mais "sério" a partir da terceira faixa, "A Máquina". Juntamente a "Efeito Colateral", "Reino da Ilusão" e "Humaníase", forma um grupo de canções com teores bem mais interessantes e politizados. Fazem, assim, algo parecido com o que o Hempadura faria mais tarde, em 2014.

Mas mesmo as faixas mais melosas não chegam a ser um problema por si só. É verdade que é um tiro no pé tentar fazer rock no Brasil falando de amor - você pode ganhar um CD da Globo, mas terá o eterno desprezo dos tr00 666 from hell. Mas o 2polos explora o tema de maneira um pouco mais original, ajudados pelo peso nada romântico de suas guitarras. E mesmo faixas levinhas, como o encerramento "Outono", conseguem contrastar com o resto do CD de maneira coerente, sem simplesmente "jogar" uma balada bonitinha como é costume.

Os vocais agressivos e cantados ocasionalmente em ritmo de rap dividem com os riffs de guitarra o posto de destaque no trabalho. Se na voz temos resquícios de Fresno, Raimundos e até Planet Hemp, no instrumental ouvimos desde os três citados até Creed, Adrenaline Mob e outros grupos que primam pela agressividade no instrumental.

Uma banda que ainda não conquistou a atenção merecida (como tantas outras, é verdade), mas que mantém o rock brasileiro vivo. É gratificante ver que ainda há focos de peso e atitude numa cena abarrotada de músicos fazendo baladinhas simpáticas a programas de calouros televisivos.

Abaixo, o vídeo de "A Máquina":

Track-list:
1. "Anita"
2. "Inocente"
3. "A Máquina"
4. "Até o Fim"
5. "Efeito Colateral"
6. "Seu Lugar"
7. "Sétima Chave"
8. "Um Livro Sem Final"
9. "Tão Fácil"
10. "Reino da Ilusão"
11. "19 de Agosto"
12. "Humaníase"
13. "Outono"

* O CD 2polos foi enviado ao autor do blog via correio pela assessoria de imprensa da banda e a resenha foi escrita por sugestão da mesma.


Outras resenhas de 2polos - 2polos

nullnull




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "2Polos"


Black Sabbath: um Tony Iommi que você não conheciaBlack Sabbath
Um Tony Iommi que você não conhecia

Túmulos: alguns dos jazigos mais famosos do Metal nos EUATúmulos
Alguns dos jazigos mais famosos do Metal nos EUA

Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás - Parte 1Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás - Parte 1
Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás - Parte 1

Iron Maiden: as dez melhores músicas, segundo a LoudwireMetal Moderno: 5 bandas aptas a se tornarem clássicasKiss: filho de Gene Simmons desmistifica paiIron Maiden: fatos estranhos na gravação de The Number Of The Beast

Sobre Victor de Andrade Lopes

Victor de Andrade Lopes é jornalista (Mtb 77507/SP) formado pela PUC-SP com extensões em Introdução à História da Música e Arte Como Interpretação do Brasil, ambas pela FESPSP, e estudante de Sistemas para Internet na FATEC de Carapicuíba, onde mora. É também membro do Grupo de Usuários Wikimedia no Brasil e responsável pelo blog Sinfonia de Ideias. Apaixonado por livros, ciências, cultura pop, games, viagens, ufologia, e, é claro, música: rock, metal, pop, dance, folk, erudito e todos os derivados e misturas. Toca piano e teclado nas horas livres.

Mais matérias de Victor de Andrade Lopes no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336