Bloodwork: Conhecimento de causa no Death Metal

Resenha - Just Let Me Rot - Bloodwork

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Vitor Franceschini
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Mais um grande nome oriundo das entranhas do Rio Grande do Sul, o Bloodwork não inova no Death Metal – até porque o estilo não exige isso -, mas o faz com maestria e muito conhecimento de causa. Enfim, “Just Let Me Rot” (que título sensacional!), é praticamente um jogo ganho aos amantes do estilo.
5000 acessosKiko Loureiro: tocando Iron Maiden com garotas do Iron Maidens5000 acessosEdu Falaschi: fax com convite de seleção para o Iron Maiden

Vamos começar pela belíssima produção de Sebastian Carsin ao lado da banda. Carsin, que vem se tornado um grande nome na produção do Metal nacional, conseguiu captar muito bem a sonoridade imposta pela banda, já que o quinteto de São Leopoldo une técnica e brutalidade.

Influenciados diretamente por Cannibal Corpse e Suffocation, os riffs abastecem grande parte do peso das composições, tendo como aliado as enfáticas linhas de baixo que estremecem tudo e uma bateria que é bem explorada ditando os ritmos ora velozes ora mais cadenciados.

Se utilizando de temáticas gore (canibalismo, morte e terror), a banda mostra objetividade em faixas relativamente curtas. Tudo com ótimos vocais guturais, versáteis e que soam rasgados em alguns momentos. A morbidez dita o clima das composições, o que é algo essencial no Death Metal.

Difícil mesmo é destacar apenas algumas composições, mas fique de olho (ou de ouvidos?) em faixas como Defecating Broken Glass, Asphyxiant Cum Load e Toothed Vagina. Mas a indicação correta é apreciar o álbum todo sem moderação. Orgulho do Death Metal brasileiro!

http://www.bloodwork.biz/
https://www.facebook.com/pages/Bloodwork/112876215503680?fre...

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube
5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de Just Let Me Rot - Bloodwork

275 acessosBloodwork: Grata revelação do death metal nacional508 acessosBloodwork: Death Metal violentíssimo vindo do sul do Brasil

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Bloodwork"

Kiko LoureiroKiko Loureiro
Tocando Iron Maiden com garotas do Iron Maidens

Edu FalaschiEdu Falaschi
O fax com convite de seleção para o Iron Maiden

OasisOasis
Noel Gallagher acusa Green Day de plagiar "Wonderwall"

5000 acessosIron Maiden: Eddie lutando contra a corrupção5000 acessosRafael Bittencourt: "O que vou ensinar para este menino?"5000 acessosRolling Stone: as melhores músicas com mais de sete minutos5000 acessosMetallica: baixista do Primus relembra teste em 19865000 acessos"Sultans of Swing": e se fosse outro guitarrista?5000 acessosPhil Anselmo: "Load", do Metallica, nunca deveria ser lançado

Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online