RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemA música de Raul Seixas que salvou a carreira de Chitãozinho e Xororó

imagemOs 10 maiores vocalistas de heavy metal de todos os tempos, em lista do Ruthless Metal

imagemEx-guitarrista do Megadeth não liga para Mustaine e diz que está "fazendo dinheiro para ele"

imagemComo Tommy Lee e o Mötley Crüe ajudaram Axl Rose a escrever "November Rain"

imagemQual era a opinião de Tony Iommi sobre Ozzy Osbourne solo e Randy Rhoads em 1984?

imagemOs 10 maiores álbuns da história do grunge, em lista do Brave Words

imagemSlash se sente feliz por não existir internet nos primórdios do Guns N' Roses

imagemO Raul Seixas não era nada daquilo que ele falava, diz ex-parceiro musical

imagemPor que Lemmy odiava tocar "Ace of Spades" nos shows do Motörhead

imagemPara John Lennon, os Beatles poderiam ter acontecido sem George e Ringo

imagemVocalista do Skid Row divulga cover matador de "Painkiller", do Judas Priest

imagemO hit dos Beatles que talvez seja sobre drogas e que "Jesus" acompanhou gravação

imagemPaul McCartney quase foi atropelado ao tentar recriar famosa cena de capa de disco

imagemQuatro músicas de artistas brasileiros que citam Os Paralamas do Sucesso

imagemO brasileiro com a voz parecida com a de Axl Rose que viralizou no TikTok


352 Poserkiller: Direto da longínqua Luxemburgo

Resenha - Gain Control - 352 Poserkiller

Por Vitor Franceschini
Postado em 17 de fevereiro de 2015

Nota: 7

Não dá pra se levar muito a sério a banda quando se lê o release. Já que eles mencionam Justin Bieber, Ke$ha, Bruno Mars, Britney Spears como influências e dizem fazer beatdown. Mas quando bota o negócio pra rolar a coisa muda e surge um som de qualidade, graças aos deuses do Metal.

E quem pensa que se trata de algo engraçadinho, Hard Rock ou Rock and Roll, se engana, já que o 352 Poserkiller – banda oriunda de Luxemburgo – faz algo mais soturno. Para ser mais específico, fica entre o Death/Gohtic/Doom perpetuado por nomes gregos como Nightfall e Septicflesh.

A única coisa ruim é a produção abafada demais que acaba quase que por completo com a qualidade do trabalho, já que sua música é bem detalhada. Abusando dos arranjos de teclados (mas que ficaram muito interessantes), a banda consegue unir obscuridade e melodias de forma muito ímpar.

As guitarras poderiam estar mais em evidência, assim como o baixo. A bateria mostra uma boa variação e exploração de pratos e os vocais são guturais ‘from hell’. Destaque para as faixas Kill The Cunt Ov Death e Oh Pen! R.M.S.. Enfim, uma boa definição: legal, esquisito e interessante.

https://www.facebook.com/352poserkiller

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:
Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.
Mais matérias de Vitor Franceschini.