Liar Symphony: Sonoridade tradicional com prog e power metal

Resenha - Before the End - Liar Symphony

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Durr Campos
Enviar Correções  

9


Por mais de uma ocasião ouvi fãs de heavy metal comentando sobre o arrependimento em ter escutado o LIAR SYMPHONY tardiamente. Tenho certeza de que ouvirei mais ainda disto quando essas pessoas puserem os ouvidos em "Before the End", quinto álbum de estúdio deste quinteto de Guarulhos, São Paulo. A sonoridade mais tradicional ainda rege o negócio, porém há muito de prog e power metal nas 12 faixas que compõem a bolachinha.

Gibson: os 10 maiores bateristas de todos os temposSlayer: a trágica e não revelada história do fim de Jeff Hanneman

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Marcando a estreia do tecladista Alécio Rodrigues, "Before the End" irá agradar em cheio aos apreciadores de nomes como Brainstorm [a voz de Nuno Monteiro chega a lembrar a de Andy B Franck aqui e acolá] e Primal Fear, em especial nas ótimas 'Sleeping Dead' e 'After Years'. As semelhanças param por ali, porque 'Waste Land' está muito mais para um Machine Head [e algo do Metallica atual], agradeça aos trabalhos primorosos de Pedro Esteves, um sopro de novidade nas seis cordas, e Anderson Alarca, responsável pela percussão.

Se pararmos para analisar, o 'gap' entre o álbum "Choose Your Side" [2005] e este parece ter sido providencial para o amadurecimento das composições. Com todo respeito, mas nem parece o mesmo grupo. Há um balanço bem inteligente entre os anos 80 e a sonoridade mais atualizada. Menciono aqui a épica 'Prisoner in the Mirror' e 'The Fool', minha favorita até o momento.

Itens como 'Digital Living', 'When the Sun Light Dies' e a dramática 'Born Again' mostram o porquê da escolha de Alécio, porém não citar também a performance do baixista Marcos Brandão nelas seria criminoso. Parabéns aos músicos por não abrirem mão do peso em meio a tantas melodias de fácil audição. Recomendo!

Ano de lançamento: 2014
Gravadora: Encore Records

Tracklist:
1. Welcome
2. Self Destruction
3. Sleeping Dead
4. The Fool
5. Waste Land
6. Digital Living
7. After Years
8. When the Sun Light Dies
9.Born Again
10. Where the Wind Blows To
11. Prisoner in the Mirror
12. The Lament

Lineup:
Nuno Monteiro - Vocais
Anderson Alarça - Bateria
Pedro Esteves - Guitarras
Marcos Brandão - Baixo
Alécio Rodrigues - Teclados

Links relacionados
http://www.liarsymphony.com
http://www.facebook.com/liarsymphony
http://www.youtube.com/liarsymphonyofficial
https://soundcloud.com/liarsymphony
https://twitter.com/liarsymphony




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Lyric Video: por que cada vez mais as bandas aderem?Lyric Video
Por que cada vez mais as bandas aderem?

Covers: blog elege o Top 5 feitos por bandas brasileiras de Rock/MetalCovers
Blog elege o Top 5 feitos por bandas brasileiras de Rock/Metal


Gibson: os 10 maiores bateristas de todos os temposGibson
Os 10 maiores bateristas de todos os tempos

Slayer: a trágica e não revelada história do fim de Jeff HannemanSlayer
A trágica e não revelada história do fim de Jeff Hanneman


Sobre Durr Campos

Graduado em Jornalismo, o autor já atuou em diversos segmentos de sua área, mas a paixão pela música que tanto ama sempre falou mais alto e lá foi ele se aventurar pela Europa, onde reside atualmente e possui família. Lendo seus diversos artigos, reviews e traduções publicados aqui no site, pode-se ter uma ideia do leque de estilos que fazem sua cabeça. Como costuma dizer, não vê problema algum em colocar para tocar Napalm Death, seguido de algo do New Order ou Depeche Mode, daí viajar com Deep Purple, bailar com Journey, dar um tapa na Bay Area e finalizar o dia com alguma coisa do ABBA ou Impetigo.

Mais matérias de Durr Campos no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor