AC/DC: Em meio aos destroços, banda lança bom disco

Resenha - Rock Or Bust - AC/DC

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Pedro Gianelli, Fonte: #VamosMusicalizar
Enviar Correções  


Não restam dúvidas de que o AC/DC é uma das maiores bandas de rock de todos os tempos, isso é inegável! Mais de 200 milhões de álbuns vendidos em todo o mundo, hits tocados em todas as rádios do mundo. MAS, o AC/DC é uma daquelas bandas que quando escutamos três músicas, já sabemos como será toda a discografia da banda.

Rodrigo Flausino: Top 10 duplas da guitarra

Rolling Stone: revista elege melhores faixas de álbuns ruins

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

No dia 02/12/14 foi lançado em todo o mundo o mais novo álbum da banda, ‘Rock or Bust’, que com certeza foi um dos álbuns mais aguardados de toda a carreira da banda australiana. Mas infelizmente não foi pelas músicas, mas sim por tudo que aconteceu nos bastidores que antecederam o lançamento. O disco é marcado por algumas "peculiaridades". Vamos à elas: o guitarrista e fundador da banda, Malcolm Young, se afasta – forçadamente –, devido à uma doença e é internado na mesma semana (de Abril) com demência, e não participa das gravações, sendo substituído pelo sobrinho, Stevie Young; o álbum chega batendo um recorde, é o disco mais curto da história da banda, com 34min e 54seg, vencendo ‘Flick of the Switch’ (1983); e a mais recente, o baterista, Phil Rudd, é preso – e já está solto –, acusado de tentativa de assassinato à duas pessoas e posse de drogas, e com isso é afastado da banda – não aparecendo nas fotos promocionais do álbum –.

Enfim, depois de todas essas confusões, vamos ao disco:
Já esperaríamos o que viria, um "clássico AC/DC", com a mesma velha bateria, o mesmo estilo de compor riffs, e com o mesmo vocal de Brian Johnson. E não deu outra, eles fizeram isso!

‘Rock or Bust’ começa arrebatador, com as EXCELENTES ‘Rock or Dust’, ‘Play Ball’ e ‘Rock the Blues Away’. Mas depois… uma sequência pavorosa! Com as músicas: ‘Miss Adventure’, ‘Dogs of War’ (sem dúvidas, a pior do disco), ‘Got Some Rock&Roll Thunder’ (a menos ruim dessa sequência), ‘Hard Times’ e ‘Baptism by Fire’. Depois o disco volta com as APENAS boas: ‘Rock the House’ e ‘Sweet Candy’, que mostram um AC/DC dos anos 80, com refrãos que grudam na cabeça, mas para terminar o disco... ficamos com a pior, ‘Emission Control’, que está longe de ser digna de uma música da banda que conquistou todo o mundo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Para esse disco: nota 7. Devido a tudo que aconteceu com a banda, sejamos um pouco humanos, ninguém consegue fazer um disco excelente com todas essas confusões acontecendo. Mas nada que tire o AC/DC do topo da história do rock.

O guitarrista, Angus Young, disse que a banda fará uma turnê mundial para divulgação do álbum – sem Malcolm e, provavelmente sem Phil –, que provavelmente passará pelo Brasil. O AC/DC é um dos nomes mais pedidos para a edição do Rock in Rio em 2015.

Quem vai ser o substituto de Phil Rudd? Apenas o Sr. Young pode nos dizer.

Tracklist de ‘Rock or Bust’:
1.‘Rock or Bust’
2.‘Play Ball’
3.‘Rock the Blues Away’
4.‘Miss Adventure’
5.‘Dogs of War’
6.‘Got Some Rock&Roll Thunder’
7.‘Hard Times’
8.‘Baptism by Fire’
9.‘Rock the House’
10.‘Sweet Candy’
11.‘Emission Control’

#VamosMusicalizar
(www.vamosmusicalizar.com.br)


Outras resenhas de Rock Or Bust - AC/DC

AC/DC: Rock Or Bust é poderoso e traz referências de outras fasesAC/DC
Rock Or Bust é poderoso e traz referências de outras fases

AC/DC: O mesmo de sempre, graças a DeusAC/DC
O mesmo de sempre, graças a Deus

Resenha - Rock or Bust - AC/DC

Resenha - Rock or Bust - AC/DC


Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280