Eternal Sex and War: Metal extremo, cru e brutal

Resenha - Negative Monoliths - Eternal Sex and War

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Junior Frascá
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 7


Banda do norte da Itália, e classificando seus sonoridade como "perverted extreme metal" (como o próprio nome da banda sugere), o ETERNAL SEX AND WAR não é muito de lançar discos. Formada em 2001, a banda lançou seu primeiro álbum, 'Abuse Or Be Used', em 2008, e apenas agora, seis anos depois, colocam no mercado seu segundo trabalho. Mas, vendo pelo lado bom da coisa, os caras primam pela qualidade no lugar da quantidade, e isso mais uma vez é referendado com esse novo álbum, que ganha versão no mercado nacional devido a parceria da Shinigami Records e a europeia Quality Steel Records.

Corey Talor: "Axl é um pau no cu e quem espera por ele é otário"De AC/DC a ZZ Top: Origens dos nomes de bandas e artistas de rock

E Thorshammer (vocal, guitarra) e Gornhar (bateria), líderes e fundadores da banda, e dessa vez ao lado do baixista Dr. Faustus (que entrou na banda em 2010), apresentam uma sonoridade crua, extrema e brutal, totalmente calcada na velha guarda do estilo, sem espaço para modernidades ou cocessões.

Editado, mixado e masterizado por Ivan Moni Bidin e Fabio D'Amore no Artesonika Recording Studio (Pordenone, Itália), "Negative Monoliths" tem uma sonoridade bem crua, e propositalmente suja, remetendo aos primórdios do black metal, de nomes como MAYHEM, HELLHAMMER e BURZUM.

Contudo, apesar de ser uma banda de death/black metal, com uma sonoridade, de modo geral, bem rápida e visceral, o ETERNAL SEX AND WAR traz ainda um clima mórbido e obscuro que remete ao doom metal, com passagens arrastadas e carregadas, o que torna a audição bem mais interessante e desafiadora.

As letras também, complexas e introspectivas, também são um grande atrativo, levando o ouvinte a uma viagem mórbida pelos sentimentos mais negativos a alma humana.

Para quem curte metal extremo de qualidade, calcado nas raízes mais obscuras do estilo, é uma pedida mais do que recomendada!

Negative Monoliths - Eternal Sex and War
(2014 - Nacional - Quality Steel Records/Shinigami Records)

Formação:

THORSHAMMER: Guitars and Vocals
Dr FAUSTUS: Bass Guitar
GORNHAR: Drums and Percussions

1. Nothing But Void
2. Heretic Reaktor
3. Endless Dogmatic Demolition
4. Bigotry Of The Insects
5. Hallucinated By The Ungod Of Exile
6. Megatons To Negate
7. Sarin Total Wipeout
8. Cyclone Demagogy


Outras resenhas de Negative Monoliths - Eternal Sex and War

Eternal Sex And War: 2º petardo dos italianos lançado no Brasil



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Eternal Sex and War"


Corey Talor: Axl é um pau no cu e quem espera por ele é otárioCorey Talor
"Axl é um pau no cu e quem espera por ele é otário"

De AC/DC a ZZ Top: Origens dos nomes de bandas e artistas de rockDe AC/DC a ZZ Top
Origens dos nomes de bandas e artistas de rock


Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.