Abigail Williams: Um tributo ao legado de Varg Vikernes

Resenha - Becoming - Abigail Williams

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Alisson Caetano
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


O black metal vem dando mostras de que soube se reinventar e, melhor ainda, que soube envelhecer com a passagem do tempo, muito devido a grande quantidade de ótimas bandas novas com sonoridades intrigantes e desafiadoras, assim como os veteranos, que não fazem feio e nos proporcionam discos com muita qualidade.

Supernatural: ouça 10 músicas que marcaram a sérieMusic Radar: Os maiores frontmen de todos os tempos

Exemplo dessa vastidão de qualidade é o ABIGAIL WILLIAMS, banda que iniciou suas atividades como uma banda de deathcore e que atualmente aborda sonoridades mais atmosféricas e melódicas do black metal.

A sonoridade de seu último lançamento pode ser traduzida como um tributo a todo o legado construído por Kristian Vikernes (a.k.a VARG VIKERNES) à frente do BURZUM, mais especificamente do disco Filosofen em diante. Músicas longas, passagens contemplativas e pouca velocidade e pouco uso de blast beats são uma constante aqui.

Porém, longe de apenas copiar da cartilha escrita há anos pelo BURZUM, o ABIGAIL WILLIAMS segue além ao saber inserir sabiamente elementos melódicos, boas alternâncias de andamentos (mesmo que poucas) e até elementos sinfônicos em suas músicas, contribuindo e muito para que elas não se tornem enfadonhas (não raramente ultrapassando os 11 minutos de duração).

O disco abre com "Ascension Sickness", que ultrapassa 11 minutos de alternâncias atmosféricas fantásticas. O disco segue com "Radiance", música que investe em riffs gélidos e sentimentais, criando uma atmosfera depressiva muito interessante.

"Elestial" se desenrola lentamente em palhetadas sutis na guitarra, para, lentamente, se tornar um monstro em forma de black metal e um dos poucos momentos em que se vê o uso de blast beats. Porém, o ápice do disco vem com "Beyond the Veil", com mais de 17 minutos de duração, ela nos transporta para um mundo onde a trilha sonora é melancólica, depressiva e por vezes agonizante. Um belo encerramento para uma grande obra do black metal contemporâneo.

Tido por muitos como um gênero pouco desenvolvido e limitado, esses americanos do Abigail Williams estão ai para provar que o black metal mais rústico e clássico pode seguir por novas estradas e mostrar novas possibilidades. Uma ótima audição para uma noite onde você procura por algum tipo de sentimento novo.

Tracklist:

1. Ascension Sickness
2. Radiance
3. Elestial
4. Infinite Fields of Mind
5. Three Days of Derkness
6. Beyond the Veil

Lineup:

Zach Gibson - bateria
Ken Sorceron- guitarra / vocal / baixo
Ian Jekelis - guitarra
Bryan O' Sullivan - baixo* (em Radiance)

"Para ler a matéria original, além de conteúdos e textos especiais sobre hard rock e heavy metal, acessem The Freak Zine:
http://www.thefreakzine.blogspot.com.br"


Outras resenhas de Becoming - Abigail Williams

null




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Abigail Williams"


Black Metal: lista de cinco bandas do lado sinfônico do satanismoBlack Metal
Lista de cinco bandas do lado sinfônico do satanismo


Supernatural: ouça 10 músicas que marcaram a sérieSupernatural
Ouça 10 músicas que marcaram a série

Music Radar: Os maiores frontmen de todos os temposMusic Radar
Os maiores frontmen de todos os tempos

Corey Taylor: Verdades sobre Joey Jordison e Jim RootCorey Taylor
Verdades sobre Joey Jordison e Jim Root

Music Radar: Os maiores frontmen de todos os temposExodus: "Rick Rubin é uma verdadeira fraude", diz Gary HoltAngra: Quem Kiko Loureiro acha que deve ocupar a sua vaga?Metallica: a história da música "Fade to Black"

Sobre Alisson Caetano

Reside no município de Santo Antônio da Platina, PR. Apreciador de música de qualidade, independente do estilo (com maior ênfase nos sons extremos). Redator no blog iniciante The Freak Zine, além de enviar alguns materiais para o Whiplash.

Mais matérias de Alisson Caetano no Whiplash.Net.

adGooILQ