Among Gods: Variação no Death Metal

Resenha - Monument - Among Gods

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vitor Franceschini
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Os noruegueses do Among Gods aportam com este segundo trabalho que sucede o primeiro disco auto-intitulado lançado há dois anos. A banda mantém sua pegada Death Metal desde que foi criada pelo vocalista Kenneth "Ripper" Olsen (Syrach).

Pink Floyd: The Wall é uma obra de arte conceitualSlayer: a trágica e não revelada história do fim de Jeff Hanneman

"Monument" tem uma interessante divisão. Enquanto as quatro primeiras faixas seguem uma linha comum e direta do estilo, mas com variação rítmica e boas quebradas, a partir das faixas Summon Them Back e Hands of Williams o trabalho se torna mais complexo e melódico, sendo que a última citada possui uma mudança drástica de ritmo.

Riffs bem executados, mas ainda diretos dão à tônica das músicas que também mostram mais variação. O mais importante é que o Among Gods consegue explorar bastante as composições em poucos minutos e não soa cansativo. Vale mencionar a faixa Four Paths to Hell como mais um dos destaques juntos com as citadas anteriormente.

A produção ficou um pouco abafada com a bateria um pouco 'xoxa', mas nada que tire o brilho de "Monument". Mesmo sendo estranho ao se iniciar como um disco comum, este álbum termina bem e traz um som que no mínimo atrai. Um bom trabalho!

https://www.facebook.com/amonggods
http://www.reverbnation.com/amonggods



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Among Gods"


Pink Floyd: The Wall é uma obra de arte conceitualPink Floyd
The Wall é uma obra de arte conceitual

Slayer: a trágica e não revelada história do fim de Jeff HannemanSlayer
A trágica e não revelada história do fim de Jeff Hanneman

Ninguém é perfeito: os filhos bastardos de pais famososNinguém é perfeito
Os filhos "bastardos" de pais famosos

Rockstars que atacaram a igreja, Jesus Cristo e DeusSteve Vai: O dia em que ele foi humilhado por ChimbinhaQueen: "Bohemian Rhapsody" é a música do século 20 com mais streamsNirvana: "Kurt entrou no camarim e beijou Eddie Van Halen na boca"

Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.