Crown: "Psychurgy" é pra quem não tem pressa de bater cabeça

Resenha - Psychurgy - Crown

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Marcelo Hissa
Enviar Correções  

9


Dooomm! Assim se resume o que se ouve nesse álbum. Heavy metal com muito (muito mesmo) peso e cadência. Direto da França a banda CROWN lança seu primeiro full-length Psychurgy. Não se deixe enganar pela capa e o título escrito em alfabeto Rúnico, aqui você não ouvirá a alegria do Folk Metal.

The Crown: Banda gravará novo álbum em outubroCorey Talor: "Axl é um pau no cu e quem espera por ele é otário"

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A primeira faixa Kynesyk I é apenas uma introdução caótica e subliminar, o último refúgio do terror que se sucederá. Abyss vem com todo o peso, sem perdão, sem firula, cadente pela bateria que martela nas entranhas. Pressa pra quê quando se tem intensidade? Os vocais urrados só ratificam o desespero do doom.

E assim prossegue o álbum: a bateria ordenando a velocidade, a guitarra fornecendo o peso e o vocal urrando o desespero. Em Blood Runs intercala-se áreas mais limpas, mas não necessariamente tranquilas, com o mesmo peso de sempre. Em Empress_Hierophant quem começa a ganhar destaque é o baixo. Distorcido à gravidade máxima, as 4 cordas enaltecem atmosfera enegrecida da música. Como a maioria das faixas, nada aqui termina simples, são mais de 8 minutos de peso. Segue-se Serpent and Fire mantendo o padrão animalesco.

Kynesh com apenas 2 minutos de duração é apenas uma transição, um descanso caótico pra quem sobreviveu até aqui. Telepath surpreende com a batida eletrônica e o vocal distorcido, o único deslize de todo álbum. We Will Crush the Open Sky persiste com a atmosférica eletrônica, mas não demora muito até que o doom volte com todo o peso. Em seguida a faixa título Psychurgy sustenta peso cadente. Fechando o álbum com Alpha_omega, a banda experimenta pisar um pouco no acelerador e cria um groove galopante (talvez mais pra trotado), a última perola do CROWN.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Psychurgy é pra quem não tem pressa de bater cabeça. Doom atmosférico lento e pesadíssimo, algo na linha de Triptykon. Não se assute se seu coração começar a coincidir batidas como a bateria marcial do CROWN, é a apenas o doom impondo sua ordem. Eu sei que é clichê, mas ainda assim totalmente aplicável... escute no talo pra uma experiência sonora completa.




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


The Crown: Banda gravará novo álbum em outubro

Corey Talor: Axl é um pau no cu e quem espera por ele é otárioCorey Talor
"Axl é um pau no cu e quem espera por ele é otário"

Kerrang!: os 100 melhores álbuns de Rock em lista da revistaKerrang!
Os 100 melhores álbuns de Rock em lista da revista


Sobre Marcelo Hissa

Médico em horário comercial, fanático e colecionador de música em tempo integral. Tipo de música preferida: a boa, se tiver peso melhor ainda.

Mais matérias de Marcelo Hissa no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280