RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemQuando Roberto Carlos foi alfinetado por Raul Seixas, mas o Rei gostou do que ouviu

imagemQuando o Lynyrd Skynyrd irritou Mick Jagger ao abrir o show dos Rolling Stones

imagemApós dez anos, Jason Newsted procura guitarristas para montar um projeto de metal

imagemMax Cavalera escolhe seus álbuns "não metal" preferidos

imagemA única música tocada no Festival de Woodstock que atingiu o primeiro lugar nas paradas

imagemAs queixas que colegas do Paralamas mais fazem sobre Herbert Vianna, segundo o próprio

imagemSlash acha que os rockstars dos 60s e 70s eram mais inteligentes e educados que os dos 80s

imagemO hit da Legião Urbana antiviolência cantado sob perspectiva de jovem da periferia

imagemO grande amor de Renato Russo que durou pouco mas marcou sua vida para sempre

imagem"A vida é curta", afirma Floor Jansen, vocalista do Nightwish

imagemJohn Lennon queria regravar todas as músicas dos Beatles, segundo produtor George Martin

imagemA bizarra lembrança que Kerry King tem do último show do Slayer

imagemA icônica reportagem de Glória Maria em que Raul Seixas disse que foi atropelado por onda

imagemA reação de Jairo Guedz quando houve o racha do Sepultura no auge do sucesso

imagemA vingança de Joana Prado (ex-Feiticeira) contra filhos briguentos que envolve RPM


Def Leppard Motley Crue 2

Arch Enemy: Uma verdadeira aula de peso aliado a muita melodia

Resenha - Khaos Legions - Arch Enemy

Por Júlio Neto
Postado em 01 de dezembro de 2013

Nota: 9

Com muitos anos de estrada, vasta experiência e após sete álbuns de estúdio que a transformaram em um dos maiores nomes do gênero, com casas cheias onde quer que toquem, era de se esperar certo acomodamento. Mas não é o que encontramos aqui, "Khaos Legions" é com sobras um dos melhores trabalhos já lançados pelos suecos.

Se nos lançamentos anteriores o ouvinte tinha uma sensação que havia algo faltando, um sentimento de algo feito às pressas aqui encontrou exatamente o oposto. "Khaos Legions" em suas 14 músicas e quase uma hora e dez minutos de audição, nos encanta, prende a nossa atenção e faz viajar. É um disco maduro, com muito cuidado, harmonias muito bem feitas, peso na medida certa e muita melodia. Angela Gossow cantando muito bem, com agressividade na medida certa e muito feeling e para variar, com os irmãos Amott dando um show nas guitarras com solos altamente inspirados com cada um expondo suas qualidades e influências.

A cozinha formada por Sharlee D’Angelo e Daniel Erlandsson tem uma pegada forte e segura. Como destaques, vale a pena apontar as faixas "Bloodstained Cross" aliando peso com melodia e um refrão grudento para sair cantando junto já na primeira audição. A cadenciada "No Gods, No Masters" é o ponto alto do disco, com guitarras afiadas e uma cozinha segura. "Under Black Flag We March" nos faz lembrar o álbum "Doomsday Machine" aliando partes mais cadenciadas com outras mais rápidas e um solo de guitarra que sozinho já paga o CD. "Cruelty Without a Beauty" é uma pancada, rápida e pesada. Estes são apenas alguns destaques, mas o álbum ao todo é de muito bom gosto e vale a pena a audição por completo.

A produção ficou a cargo de Rickard Bengtsson e a mixagem e a masterização ficaram a cargo de Andy Sneap. Fizeram um excelente trabalho deixando o disco com um som polido, mas ao mesmo tempo cru e cristalino, tirando o melhor de cada instrumento. A bela capa ficou a cargo do renomado artista Brent Elliott White que já trabalhou para nomes como Megadeth e Death Angel.

"Khaos Legions" é um trabalho que vai resgatar aquele fã que estava meio inseguro quanto ao futuro da banda e também vai agregar uma nova safra à sua já enorme legião de apreciadores. Com este lançamento que seguramente é o melhor em tempos, a Arch Enemy se mostra revigorada e disposta a briga. Vai encarar?

Faixas:

01 – Khaos Overtorture
02 – Yesterday is Dead and Gone
03 – Bloodstained Cross
04 – Under Black Flags We March
05 – No Gods, No Masters
06 – City of the Dead
07 – Through the Eyes of a Raven
08 – Cruelty Without Beauty
09 – We are a Godless Entity
10 – Cult of Chaos
11 – Thorns of My Flesh
12 – Turn to Dust
13 – Vengeance is Mine
14 – Secrets


Outras resenhas de Khaos Legions - Arch Enemy

Resenha - Khaos Legions - Arch Enemy

Resenha - Khaos Legions - Arch Enemy

Resenha - Khaos Legions - Arch Enemy

Resenha - Khaos Legions - Arch Enemy

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp

Arch Enemy: Angela fala sobre dificuldade em ser mãe

Arch Enemy: Jeff Hanneman nunca será esquecido, diz Gossow

Como Michael Ammot, do Arch Enemy, serviu de padrinho de luxo do Soilwork


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Júlio Neto

Ligado ao Heavy Metal há mais de 25 anos. Zineiro, produtor de shows underground. Colecionador voraz de CDs, vinil e livros. Fã incondicional do metal nacional, sempre apoiando as bandas e não deixando de adquirir seus materiais. Mora no sul da Bahia e apesar da distância, sempre a par do que acontece no underground.
Mais matérias de Júlio Neto.