Anarkhon: Splatter/death metal da mais alta categoria

Resenha - Welcome to the Gore Show - Anarkhon

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Leonardo M. Brauna
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


A banda já tem quase quinze anos e começou cantando em português, quando fez dez anos passou para letras em inglês. Dois full-lengths já foram lançados antes de ‘Welcome to the Gore Show’. Nesse álbum o ANARKHON seguia com a formação que incluiu o guitarrista DAVID FULCI, o baixista WILLIAM CRAVE e os fundadores, baterista WELLINGTON BACKER e ARON ROMERO (guitarrista que também assumiu os vocais no lugar do saudoso PÉRICLES HOOPER), estão colhendo os frutos desse seu último trabalho. Splatter/death metal da mais alta categoria é o que esse pessoal de Guarulhos tem para oferecer.
5000 acessosBruce Dickinson: punks não sabem tocar e tem inveja do metal5000 acessosGuitarras e Baixos: Perguntas e Respostas

Primeiro vou falar da capa sensacional desenhada por WELLINGTON BACKER bem ao estilo ‘Ed Repka’ – trata-se de um ser inspirado num mestre de picadeiro (ou mesmo num certo apresentador de televisão) que diante do senado em Brasília, aponta para “pessoas” empaladas, segurando a cabeça decepada de uma mulher “bastante conhecida pelos brasileiros”. Obra genial e bem reflexiva. No livreto, todas as letras com mais gravuras mostrando o nosso personagem “trabalhando” no propósito que define a capa.

O álbum é recheado com dez faixas ditadas à regra do extremismo sem passagens atmosféricas ou efeitos que reduzam o seu peso. A primeira canção, ‘For God Your Soul... For Zombie Your Flesh’ nada tem de semelhante a sua quase homogênea, ‘For God Your Soul... For Me Your Flesh’ do “finado” PUNGENT STENCH, mas os austríacos mereceram a altura essa homenagem.

Este disco trata de seus temas com riffs bastante precisos carregando muita brutalidade e um acompanhamento vocal que traz consigo o significado do termo ‘gutural’. O ritmo que acelera firme nos bumbos puxados por uma tração animal do baixo, também repercute com partes cadenciadas de fazer “trincar” os dentes. Nas faixas ‘Witness the Horror’, ‘Watching Her Bleed’ (essa começa com uma guitarra bem crua que chama um riff cavalgado) e ‘Rotten Flesh Reanimated’ (mais veloz do CD), por exemplo, têm funções com peso mais trabalhado que é um prato cheio para os admiradores da técnica dos irmãos HOFFMAN, que fizeram “estardalhaço” no DEICIDE.

‘Corporal Sores’ atende também por riffs mais brutais que devem causar danos ao seu pescoço, porém a mesma canção também apresenta partes mais suntuosas e, se couber a colocação, um belo solo de guitarra. Felizmente ANARKHON é uma banda que dentro do seu estilo, atenta muito para a perfeição e a cada faixa isso é sentido pelo ouvinte. ‘Killed by Strangulation’ e ‘Regurgittating Maggots’ seguem a mesma fórmula e com isso mantêm a qualidade intacta do álbum.

‘Aniquilação Macabra’, como o título sugere, é vociferada em português e revela a conspiração de um “gênio do mal” para destruir a casa dos políticos. Além da estória de horror que mesmo assim seria um sonho para muitos brasileiros, essa faixa leva um dos riffs mais pesados do disco. Não muito diferente, segue a faixa título, ‘Welcome to the Show’ que tem letra também focada nos “podres” da terra canarinho, bem ao estilo ‘gore’. Aqui musicalmente o CD já não traz mais nenhuma surpresa, mas o fato de saber que ele está acabando não nos deixa saída se não acionarmos novamente o ‘play’.

Em resumo, esse trabalho é uma obra de arte em todo sentido – desde o que já foi dito, à produção que também contribuiu muito para uma captação sonora perfeita (trabalho de Pedro Esteves). Felizmente o Brasil, hoje, comporta um celeiro de ótimas bandas do metal extremo do qual, com certeza, ANARKHON se coloca entre as melhores. O seu terceiro full-length está aí como prova e quem quiser adquiri-lo é só acessar os links no final da matéria ou correr pra loja.

Formação:

ARON ROMERO – Guitarra, Vocal;
WELLINGTON BACKER – Bateria;
DAVID FULCI – Guitarra;
WILLIAM CRAVE – Baixo (não está mais na banda).

Faixas:

01 – For God Your Soul… For Zombie Your Flesh;
02 – Witness the Horror;
03 – Corporal Sores;
04 – Grotesque Disfigurement of Human Bodies;
05 – Watching Her Bleed;
06 – Killed by Strangulation;
07 – Regurgitating Maggots;
08 – Rotten Flesh Reanimated;
09 – Aniquilação Macabra;
10 – Welcome to the Gore Show.

Contatos:

FaceBook:
https://www.facebook.com/groups/206132262733122/?ref=ts&fref...

MySpace:
https://myspace.com/anarkhon

Site Oficial:
http://www.anarkhon.com/

E-mail: sodomic@ig.com.br

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Welcome to the Gore Show - Anarkhon

595 acessosAnarkhon: Uma aula de Death Metal

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Anarkhon"

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Anarkhon"

Bruce DickinsonBruce Dickinson
Punks não sabem tocar e tem inveja do Metal

Guitarras e BaixosGuitarras e Baixos
Perguntas e respostas sobre os instrumentos

Maquiagem, spikes e sorrisosMaquiagem, spikes e sorrisos
Conheça o Happy Black Metal

5000 acessosEsquire: Integrantes do Metallica fingem ser do Led Zeppelin5000 acessosRock: 25 fotos pra fazer você continuar acreditando na música5000 acessosAerosmith: curiosidades sobre a voz de Steven Tyler5000 acessosSobre Joelhos, Metallica e o 1º Princípio da Filosofia5000 acessosPolêmica: as músicas mais controversas da história do Rock1378 acessosCristina Scabbia: musa elege sete filmes de terror italianos

Sobre Leonardo M. Brauna

Leonardo M. Brauna é cearense de Maracanaú e desde adolescente vive a cultura do Rock/Metal. Além do Whiplash, o redator escreve para a revista Roadie Crew e é assessor de imprensa da Roadie Metal. A sua dedicação se define na busca constante por boas novidades e tesouros ainda obscuros.

Mais matérias de Leonardo M. Brauna no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online