Vidunder: sonoridade vintage, retro e cativante

Resenha - Vidunder - Vidunder

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Junior Frascá
Enviar Correções  

8


Quando o WOLFMOTHER surgiu, há vários anos atrás, muitos conclamaram a banda como salvadora do rock (como se o estilo precisasse ser salvo). Mas isso não pelo fato de o trio ter reinventado o estilo, ou trazer inovações, muito pelo contrário: pelo fato de os caras terem uma sonoridade até então inesperada para aquele momento da música, calcada no metal e hard rock setentistas. Contudo, após o surgimento da banda, uma gama de outros conjuntos surgiram seguindo essa tendência.

O que quero deixar claro com isso é que, hoje em dia, esse tipo de sonoridade não é mais novidade alguma. Mas, mesmo assim, muitas boas bandas ainda surgem seguindo essa linha com muita competência, como é o caso do VIDUNDER, que chega agora a esse seu primeiro álbum.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O trio sueco, assim, segue essa tendência de fazer uma sonoridade bem vintage, retro e suja, remetendo a nomes como o próprio WOLFMOTHER, além de outros como KADAVAR, RIVAL SONS e GRAVEYARD, e a outras bandas clássicas, em especial de CAPTAIN BEYOND. Portanto, podem esperar por músicas acidas, com produção sem qualquer modernidade, mas sem deixar de lado a agressividade, e "encharcada" de influências de classic rock e blues.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Tudo no disco é muito simples, desde a produção (bem eficiente, diga-se), passando pela arte gráfica e pelas composições da banda.

Além disso, a temática ocultista tratada pela banda em suas letras também faz com que muitos enquadrem a banda na atual cena occult rock.

Quanto a sonoridade, temos faixas diretas e simples, com guitarras cortantes, bateria reta e insana, baixo pulsante e presente, e os ótimos vocais de Martin Prim (também guitarrista), que soam perfeitos para o estilo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Assim, o disco varia entre momentos mais diretos, como na abertura "Sommoning the Not Living", e outros mais viajados e psicodélicos, como em "Trees" e "Threefold", sendo altamente indicado para todos os fãs de classic rock e hard setentista, e àqueles que curtem essa nova safra de bandas que reverenciam esse período, incluindo as da cena occult rock.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Site oficial:
http://vidunderband.com/

Vidunder – Vidunder (2013 – Crusher Records -Europeu)

1. Summoning The Not Living
2. Into Her Grave
3. Trees
4. Threefold
5. Försummad Och Bortglömd
6. Asmodeus
7. Beware The Moon
8. Fire
9. Threat From The Underground
10. Your Ghost




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Wonder Years: O soundtrack do grande sucesso de público e críticaWonder Years
O soundtrack do grande sucesso de público e crítica

Led Zeppelin: por que Robert Plant não gosta de cantar Stairway to Heaven?Led Zeppelin
Por que Robert Plant não gosta de cantar "Stairway to Heaven"?


Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.

CliIL Cli336 Cli336 Cli336 Cli336