Matérias Mais Lidas

imagemO hit da Legião Urbana cuja letra fala sobre esperança de Renato em se curar da AIDS

imagemMax e Iggor convidam Jairo, detonam no Rio e alfinetam: "Verdadeiro Sepultura"

imagemA lenda do Rock que se arrepende de nunca ter dormido com Jimi Hendrix

imagemPodcast diz que prática comum no black metal hoje seria "coisa de esquerdomacho"

imagemQuando Slash tentou entrar pro Kiss mas foi rejeitado por um motivo cruel

imagemA sincera resposta de João Gordo para quem o acusa de ser "traidor do movimento"

imagemPink Floyd: Roger Waters relembra a última vez que viu Syd Barrett

imagemO hit dos Engenheiros do Hawaii que faz uma dura crítica à panelinha do rock nacional

imagemO sensato conselho que Lulu Santos deu para o novato Herbert Vianna

imagemDez clássicos do rock e do heavy metal que não têm bateria

imagemBittencourt começou a fazer tai chi chuan no camarim após beque de Mariutti bater forte

imagemPrika explica critérios para entrar na Nervosa: "Fascista na minha banda não toca!"

imagemEddie Munson faz metaleiros virarem novos crushes da geração TikTok, diz site

imagemMúsicos famosos fizeram teste para o AC/DC sem que ninguém soubesse, conta baterista

imagemNando Reis e a enigmática música que ele queria usar para seduzir Marisa Monte


Dream Theater 2022

Siege of Hate: Um dos mais brutais do Grindcore nacional

Resenha - Animalism - Siege of Hate

Por Christiano K.O.D.A.
Em 26/06/13

publicidade

Nota: 8

A primeira faixa, "Grinding Ages", não deixa sombra de dúvida: o novo disco da Siege of Hate (SOH) é um dos mais brutais do Grindcore nacional. E é só o começo! É difícil um grupo expressar tanto ódio de maneira tão objetiva, mesmo na música extrema, mas o quarteto, formado por Bruno Gabai (vocal/guitarra), George Frizzo (baixo), Saulo Oliveira (bateria) e Fabio Morcego (guitarra/backing vocal), conseguiu. Para constar, hoje são um trio – Morcego não faz parte do conjunto.

Uma chuva de composições ultra velozes e pesadíssimas desaba dentro do aparelho de som. É quase inacreditável o nível de fúria desses cearences! Aliás, é bom lembrar que não ficam só no Grind (dominante), mas investem também no Death Metal, no Hardcore e no Crossover. Catorze petardos fora de série!

O melhor é que não são só barulhos desenfreados e gratuitos, muito pelo contrário. Os caras manjam muito do que executam e, embora fiquem no tradicional, fazem de cada composição uma obra muito empolgante. Cansativo? Repetitivo? Não mesmo! "Perturbador" seria a palavra mais apropriada.

A capa é um primor: um javali que nos observa de maneira incômoda, e que reflete a proposta do álbum, que foi "inspirado na obra ‘A Revolução dos Bichos’, de George Orwell, assim como num paralelo entre esta (sic) obra de ficção e a atual conjuntura política (cada vez mais negativa) do Brasil e da América Latina" (trecho tirado do release).

E a arte do encarte, elaborada por Frizzo, também é de uma beleza incrível, assim como a boa gravação, mesmo com o volume da bateria um pouco baixo em relação ao restante dos instrumentos.

A banda, que a cada lançamento surpreende pelo aumento no nível de violência e qualidade, orgulha o underground nacional, e consegue, incontestavelmente, ser uma das melhores do país no ramo, ao lado dos conterrâneos da Facada. Pode botar esse aqui na lista de melhores de 2013!

Siege of Hate – Animalism
Gallery Productions/Rising Productions/Bomb This Shit Productions – 2013 – Brasil

http://www.siegeofhate.com
http://www.myspace.com/siegeofhate
http://www.facebook.com/siegeofhate?fref=ts
https://soundcloud.com/siegeofhate

Tracklist:
1. Grinding Ages
2. Turmoil
3. Catharsis
4. The Wolrd I Never Knew
5. Waiting for What?
6. Hypochrist
7. Life Rules
8. Live Hard, Die Harder
9. Beware What you Wish
10. Repelling Rumors
11. Individual Community
12. Dissonance
13. Real Ties
14. Vida e Morte


Outras resenhas de Animalism - Siege of Hate

Resenha - Animalism - Siege of Hate

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Kiss: como foi demitir Eric Carr em seu leito de morte

O Whiplash.Net protege algumas bandas e prejudica outras?


Sobre Christiano K.O.D.A.

Um cara diretamente ligado ao Som Extremo, fã de livros e filmes, formado em Imagem e Som, Publicidade e Propaganda e Jornalismo. Faz parte da banda de grindcore Prey of Chaos e tem um blog dedicado à música barulhenta. Enfim, alguém que faz da música sua vida.

Mais matérias de Christiano K.O.D.A..