Metal Church: menos velozes, mas não menos pesadas e agressivas

Resenha - Dark - Metal Church

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Junior Frascá
Enviar Correções  

10


Após o sucesso do debut autointitulado, rapidamente os americanos do METAL CHURCH voltaram ao estúdio para produzirem seu novo material, agora bem mais experientes, e claro, depois de um disco tão bom, com muito mais pressão, tanto por parte da gravadora, como dos fãs.

E sem decepcionar seu público, a banda criou mais 10 hinos do heavy/thrash metal, mantendo intacta todas as características marcantes de sua sonoridade, e incluindo ainda novos elementos que tornaram tudo ainda mais instigante.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A principal diferença de "The Dark" para o debut da banda, no geral, é que as novas músicas eram menos velozes, mas não menos pesadas e agressivas, e com o lado thrash metal um pouco mais evidente. Além disso, os vocais de Wayne se destacavam ainda mais, mostrando grande evolução, inclusive nos momentos mais melódicos, como se percebe na clássica "Watch the Children Pray", talvez a música mais conhecida da banda.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Outra destaque fica para o excelente trabalho da dupla de guitarristas Wells e Vanderhoof, com riffs fantásticos, além de ótimos solos.

A produção também é muito boa, conseguindo ainda ser melhor do que "Metal Church", destacando o timbre dos instrumentos, bem sujos e agressivos.

E, assim, com tudo a favor, a banda trouxe 10 faixas excelentes e que marcaram a história do metal, e que até hoje fazem a alegria dos fãs, como as pedradas "Ton f Bricks", "Over My Dead Body" e "Psycho", além da assustadora faixa título, e da marcante balada "Watch the Children Play", já citada acima.

O disco conseguiu alavancar ainda mais a carreira da banda, tornando-a referência na música pesada dos anos 80. Contudo, infelizmente, após a gravação do disco, a banda teve diversos problemas internos, que culminaram com a saída de dois de seus principais membros, David Wayne (devido a seu crônico problema com drogas) e de Kurdt Vanderhoof, que pretendia se dedicar apenas à produção de discos. Tais fatos acabaram por prejudicar a carreira da banda, que, posteriormente, caiu no ostracismo (mesmo tendo discos excelentes com o vocalista Mike Howe), e até hoje vive das glórias de seu passado.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Não tenho dúvidas de que, se a banda tivesse mantido essa formação por mais tempo, estaria hoje facilmente entre as gigantes do heavy metal mundial...

publicidade

Metal Church – The Dark
(1986 - Elektra- Importado)

Formação:
David Wayne - Vocals
Kurdt Vanderhoof - Guitars
Kirk Arrington - Drums
Craig Wells - Guitars
Duke Erickson - Bass

Track List:

1. Ton of Bricks
2. Start the Fire
3. Method to Your Madness
4. Watch the Children Pray
5. Over My Dead Body
6. The Dark
7. Psycho
8. Line of Death
9. Burial at Sea
10. Western Alliance




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Loudwire: 10 discos fodas com capas toscasLoudwire
10 discos fodas com capas toscas

Thrash Metal: as 10 melhores baladas de bandas do gêneroThrash Metal
As 10 melhores baladas de bandas do gênero


Guns N' Roses: A antiga rivalidade entre Axl e Jon Bon JoviGuns N' Roses
A antiga rivalidade entre Axl e Jon Bon Jovi

Black Sabbath: o dia em que Tony Iommi quase matou Bill WardBlack Sabbath
O dia em que Tony Iommi quase matou Bill Ward


Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.

Cli336 Cli336 CliHo Cli336 WhiFin CliIL