Matérias Mais Lidas

imagemA bizarra exigência de Ace Frehley para participar da última turnê do Kiss

imagemMax Cavalera revela como "selou a paz" com Tom Araya, vocalista do Slayer

imagemO grave problema do refrão de "Eagle Fly Free", segundo Fabio Lione

imagemPink Floyd: Gilmour nega alegação de Waters sobre "A Momentary Lapse of Reason"

imagemEngenheiros do Hawaii e as tretas com Titãs, Lulu Santos, Lobão e outros

imagemLobão explica porquê todo sertanejo gostaria, no fundo, de ser roqueiro

imagemEdu Falaschi descobriu que seu primo famoso tem mais seguidores que ele no Instagram

imagemGregório Duvivier: "Perto de Chico Buarque, Bob Dylan é uma espécie de Renato Russo!"

imagemDave Mustaine cutuca Kiss e bandas "preguiçosas" que usam playbacks

imagemAC/DC: Angus Young conta como é para ele o antes, o durante e o depois de um show

imagemIggor Cavalera diz que reunião da formação clássica do Sepultura seria incrível, mas...

imagemMax Cavalera diz quais foram os dois discos mais difíceis que já gravou

imagemA categórica opinião de Dave Mustaine sobre religião "abusiva e falsa" de sua mãe

imagemRush: Geddy Lee comenta as dificuldades da gravação de "Hemispheres"

imagemBenny Anderson toca música do Foo Fighters por ter visto Dave Grohl homenageando Abba


Airbourne 2022

Metal Church: menos velozes, mas não menos pesadas e agressivas

Resenha - Dark - Metal Church

Por Junior Frascá
Em 15/02/13

Nota: 10

Após o sucesso do debut autointitulado, rapidamente os americanos do METAL CHURCH voltaram ao estúdio para produzirem seu novo material, agora bem mais experientes, e claro, depois de um disco tão bom, com muito mais pressão, tanto por parte da gravadora, como dos fãs.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

E sem decepcionar seu público, a banda criou mais 10 hinos do heavy/thrash metal, mantendo intacta todas as características marcantes de sua sonoridade, e incluindo ainda novos elementos que tornaram tudo ainda mais instigante.

A principal diferença de "The Dark" para o debut da banda, no geral, é que as novas músicas eram menos velozes, mas não menos pesadas e agressivas, e com o lado thrash metal um pouco mais evidente. Além disso, os vocais de Wayne se destacavam ainda mais, mostrando grande evolução, inclusive nos momentos mais melódicos, como se percebe na clássica "Watch the Children Pray", talvez a música mais conhecida da banda.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Outra destaque fica para o excelente trabalho da dupla de guitarristas Wells e Vanderhoof, com riffs fantásticos, além de ótimos solos.

A produção também é muito boa, conseguindo ainda ser melhor do que "Metal Church", destacando o timbre dos instrumentos, bem sujos e agressivos.

E, assim, com tudo a favor, a banda trouxe 10 faixas excelentes e que marcaram a história do metal, e que até hoje fazem a alegria dos fãs, como as pedradas "Ton f Bricks", "Over My Dead Body" e "Psycho", além da assustadora faixa título, e da marcante balada "Watch the Children Play", já citada acima.

O disco conseguiu alavancar ainda mais a carreira da banda, tornando-a referência na música pesada dos anos 80. Contudo, infelizmente, após a gravação do disco, a banda teve diversos problemas internos, que culminaram com a saída de dois de seus principais membros, David Wayne (devido a seu crônico problema com drogas) e de Kurdt Vanderhoof, que pretendia se dedicar apenas à produção de discos. Tais fatos acabaram por prejudicar a carreira da banda, que, posteriormente, caiu no ostracismo (mesmo tendo discos excelentes com o vocalista Mike Howe), e até hoje vive das glórias de seu passado.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Não tenho dúvidas de que, se a banda tivesse mantido essa formação por mais tempo, estaria hoje facilmente entre as gigantes do heavy metal mundial...

Metal Church – The Dark
(1986 - Elektra- Importado)

Formação:
David Wayne - Vocals
Kurdt Vanderhoof - Guitars
Kirk Arrington - Drums
Craig Wells - Guitars
Duke Erickson - Bass

Track List:

1. Ton of Bricks
2. Start the Fire
3. Method to Your Madness
4. Watch the Children Pray
5. Over My Dead Body
6. The Dark
7. Psycho
8. Line of Death
9. Burial at Sea
10. Western Alliance

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp



Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá.