Rancid Flesh: traz toda fúria típica de suas composições

Resenha - Pathological Zombie Carnage - Rancid Flesh

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vitor Franceschini
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


O duo nordestino - assim me refiro, pois são de Fortaleza/CE e Natal/RN - Laerte Guedes (vocais) e Adriano Sabiano (todos os instrumentos) já gravou com o Rancid Flesh um EP e 7 splits desde 2009 quando a banda se formou. Ou seja, os caras são produtivos.

Metallica: a habilidade com as baquetas de James HetfieldFotos de Infância: Bruce Dickinson, do Iron Maiden

"Pahological Zombie Carnage" é o primeiro trabalho oficial deles e traz em seu Death/Goregrind toda a fúria típica de suas composições e muito mais. Este trabalho é algo que entrará fácil para o 'hall' de um dos mais importantes do gênero feitos no país. Vou explicar o porquê disso.

"Pathological...", além de conter composições de alto nível, possui uma produção fora do comum dentro do Goregrind. Sejamos sinceros, a maioria das bandas/projetos do estilo acham que gravar apenas o barulho é algo que já dignifica o seu trabalho, o que é completamente errado.

O Rancid Flesh não só investiu em uma ótima produção sonora (a cargo da dupla e Jorge Albuquerque) com instrumentos nítidos, como também priorizou um belo encarte com letras e as demais informações suficientes.

Falando do que mais importa, que é o som, temos uma pérola em mãos. São 25 composições de podridão e brutalidade a dar com pau. Apesar da média de pouco mais de 1 minuto de cada faixa, tudo é bem explorado e feito com uma pegada digna e com muita energia.

Simplesmente não há tempo para respirar ao ouvir as já clássicas Dr. Zombie, Slow Death, Autopsied Alive, Rancid Flesh, Cannibal Ripper, Sarcoma, A Day In The Morgue, enfim todas, pois praticamente mantêm um equilíbrio que fará muito bem aos ouvidos mais acostumados às sonoridades pútridas.

Se você aprecia letras doentias e um som que é devidamente podre, mas muito bem executado, produzido e vomitado, não perca seu tempo, corra atrás de "Pathological Zombie Carnage". Este álbum não irá mudar a história do Metal extremo, mas acrescentará muito à cena!

http://www.reverbnation.com/rancidflesh
http://www.facebook.com/pages/Rancid-Flesh/106504702835272




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Rancid Flesh"


Metallica: a habilidade com as baquetas de James HetfieldMetallica
A habilidade com as baquetas de James Hetfield

Fotos de Infância: Bruce Dickinson, do Iron MaidenFotos de Infância
Bruce Dickinson, do Iron Maiden

Manowar: A vida real e nada épica dos Reis do Metal?Manowar
A vida real e nada épica dos Reis do Metal?

Fotos de Infância: Jon Bon JoviChester Bennington: a tocante carta que ele escreveu para Chris CornellRock e Metal: os dez maiores Deuses dos RiffsNirvana: Dave responde o que fez Kurt sofrer

Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.