Kill Devil Hill: Trabalho muito bem lapidado

Resenha - Kill Devil Hill - Kill Devil Hill

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Écio Souza Diniz
Enviar correções  |  Ver Acessos


Sem exageros, este álbum tem tudo para ser eleito pelo grande público como um dos melhores do ano. O trabalho aqui liderado por Vinny Appice (ex-BLACK SABBATH, HEAVEN AND HELL, DIO, AXIS), juntamente com Rex Brown (ex-PANTERA), e com o time completado por Mark Zavon na guitarra e Jason 'Dewey' Bragg nos vocais, com certeza foi uma ótima surpresa para os fãs de um Metal direto e enérgico.

Fotos de Infância: Bruce Dickinson, do Iron MaidenMotorhead: Segundo Lemmy Kilmister, "Rap não é música"

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Nas palavras proferidas pelo próprio Vinny, a sonoridade da banda pode ser notada como uma mescla de ALICE IN CHAINS e BLACK SABBATH. Entretanto, acaba sendo bem mais do que isso, é possível notar um pé claro no Stoner em algumas partes, e outras partes no Doom, pregado por bandas como o TROUBLE.

No fim das contas, foi uma tarefa um tanto árdua tentar achar destaques em um trabalho tão bem lapidado como este. As bases inesquecíveis de 'War machine' abrem dignamente o álbum e dão uma ideia do que se pode esperar no decorrer do mesmo. O início de 'Hangman', com o baixo de Rex bem destacado, e perfeitamente alinhado a bateria de Appice mostram a competência que faz jus ao status que tais músicos tem na cena.

Quem acha que Vinny e Rex são os únicos a mostrar algo grandioso aqui, ouçam os vocais e bases de guitarra da emblemática e sufocante 'Gates of hell', com seu clima Sabático. O ritmo 'We're all gonna die', chega a ser uma viagem, com suas partes mais rápidas com quebradas mais cadenciadas, e o vocal esganiçado em alguns momentos. Para apontar mais destaques, deve ser citado os riffs rápidos e grudentos de 'Old man', que é daquelas que você ouve e sai com ela se repetindo em sua cabeça, e para dar uma quebrada em todo o peso que vem seguindo ao longo do álbum, a balada 'Mysterious ways' ficou sensacional. Já 'Up in flames' poderia ser uma música de "The devil you know' do HEAVEN AND HELL, e 'Revenge', fecha com chave de ouro, mostrando um ótimo trabalho da bateria. Procurem o CD, comprem-no e ouçam com volume alto.

Faixas:
1-War machine
2-Hangman
3-Voodoo doll
4-gates of hell
5-Rise from the shadows
6-We're all gonna die
7-Strange
8-Time and time again
9-Old man
10-Mysterious way
11-Up in flames
12-Revenge

http://www.killdevilhillmusic.com/


Outras resenhas de Kill Devil Hill - Kill Devil Hill

Kill Devil Hill: banda não decepcionou, lançando um ótimo disco




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Kill Devil Hill"


Mike Portnoy e Vinny Appice: assista duelo de bateriaMike Portnoy e Vinny Appice
Assista duelo de bateria

Pantera: Análise vocal de Phil AnselmoPantera
Análise vocal de Phil Anselmo


Fotos de Infância: Bruce Dickinson, do Iron MaidenFotos de Infância
Bruce Dickinson, do Iron Maiden

Motorhead: Segundo Lemmy Kilmister, Rap não é músicaMotorhead
Segundo Lemmy Kilmister, "Rap não é música"


Sobre Écio Souza Diniz

Graduado em Ciências Biológicas e pesquisador na área de Ecologia e Evolução vegetal, sempre foi aficionado por leituras sobre o mundo do Rock/Metal. Além do metal, tem como paixões filmes de terror e épicos. Já participou como vocalista de várias bandas de Death/Grind, mas como nenhuma vingou se encontrou melhor em redigir matérias, fundando há alguns anos atrás o Pólvora Zine. Colabora também com vários sites especializados e com a revista Roadie Crew. Suas bandas preferidas são Iron Maiden, Black Sabbath, Dio, Dorsal Atlântica, Candlemass e Sarcófago.

Mais matérias de Écio Souza Diniz no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336