Kill Devil Hill: banda não decepcionou, lançando um ótimo disco

Resenha - Kill Devil Hill - Kill Devil Hill

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Junior Frascá
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 7


Desde que o baterista Vinny Appice (Ex-Black Sabbath, Dio) anunciou que estava montando uma nova banda, tendo como parceiros Rexx Brown (Ex-Pantera), Mark Zavon (Ex-W.A.S.P.) e Jason Bragg (Ex-Pissing Razors), muita expectativa por parte do público. E a banda não decepcionou, lançando um ótimo disco.

Wonder Years: O soundtrack do grande sucesso de público e críticaMusas do Metal: confira as 10 mais lindas atualmente

A música do KILL DEVIL HILL é, no geral, bem simples e direta, mas cativa pelo peso e pela energia que transmite ao ouvinte, trazendo influências que vão do lado mais soturno do BLACK SABBATH, passando pelo groove do PANTERA e a veia southern/stoner do BLACK LABEL SOCIETY, e incluindo algumas doses de hard rock mais comercial (no melhor sentido do termo), como ALICE IN CHAINS e ALTER BRIDGE.

Trata-se, pois, de uma sonoridade bem agradável, e que embora tenha diversas influências mescladas, tem uma personalidade bem própria, alternando entre momentos mais rápidos e pesados, e outros mais arrastados, soturnos e melancólicos, criando um som bem moderno e interessante.

Dentre os destaques do disco, cito o excelente trabalho do guitarrista Mark, com riffs excelentes e ótimos solos, assim como os vocais de Jason Bragg, que combinaram bem com o estilo tocado pela banda, embora falte um pouco de agressividade em alguns momentos. Já Rexx continua sendo um grande baixista, tendo conseguido um timbre pesadíssimo, deixando tudo ainda mais agressiva. Por fim, em relação à Vinny, é notório que atualmente existam muitos bateristas mais técnicos e rápidos do que ele, ainda mais com o excesso de complexidade que algumas bandas buscam em suas composições (o que não é o caso aqui), mas é fato que o cara ainda é um músico diferenciado, com uma pegada inconfundível, e uma precisão absurda.

E assim a banda conseguiu criar ótimos temas, como a agressiva "War Machine", que abre o trabalho e tem alguns dos melhores riffs do disco, e um refrão bem grudento; "Gates of Hell", a mais soturna, lembrando BLACK SABBATH antigo; "Rise from the Shadows", mais cadenciada e tendo como destaque o baixo pesadíssimo de Rexx; "We're Gona Die", com riffs no melhor estilo BLACK LABEL SOCIETY; e "Strange", essa um pouco mais moderna, e que possuí um ótimo vídeo clipe. Mas há momentos em que o disco cai um pouco, como na genérica "Old Man" e na desnecessária balada "Mysterious Ways".

Não é um disco que vai mudar a vida de ninguém, nem traz nada de novo ao estilo, mas mesmo assim tem ótimos momentos, e deverá agradar quem procura por algo mais simples e direto, sem muita complexidade.

Kill Devil Hill - Kill Devil Hill
(2012 - SPV - Importado)

Tracklist

1. War Machine
2. Hangman
3. Voodoo Doll
4. Gates of Hell
5. Rise from the Shadows
6. We re All Gonna Die
7. Strange
8. Time and Time Again
9. Old Man
10. Mysterious Ways
11. Up in Flames
12. Revenge


Outras resenhas de Kill Devil Hill - Kill Devil Hill

Kill Devil Hill: Trabalho muito bem lapidado




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Kill Devil Hill"


Pantera: Análise vocal de Phil AnselmoPantera
Análise vocal de Phil Anselmo

Mike Portnoy e Vinny Appice: assista duelo de bateriaMike Portnoy e Vinny Appice
Assista duelo de bateria


Wonder Years: O soundtrack do grande sucesso de público e críticaWonder Years
O soundtrack do grande sucesso de público e crítica

Musas do Metal: confira as 10 mais lindas atualmenteMusas do Metal
Confira as 10 mais lindas atualmente

Kid Vinil: Uns 10 mil vinis e mais uns 10 mil CDs!Kid Vinil
"Uns 10 mil vinis e mais uns 10 mil CDs!"

Bandas Iniciantes: 11 cagadas que vocês NAO podem cometerBandas Iniciantes
11 cagadas que vocês NAO podem cometer

Capas de álbuns: 30 das piores artes da históriaCapas de álbuns
30 das piores artes da história

Slayer: as preferências do guitarrista Kerry KingSlayer
As preferências do guitarrista Kerry King

Antes da banda: Existia um Pink como também existia um FloydAntes da banda
Existia um Pink como também existia um Floyd


Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336