Harllequin: Bom e velho Metal Tradicional

Resenha - Hellakin Riders - Harllequin

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Marcos Garcia
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 10


Ainda hoje no Brasil, as vertentes mais melodiosas acabam sofrendo grande discriminação por parte de fãs, mas isso é algo fútil no tocante a parte musical, uma vez que todos somos fãs de Metal, logo, subdivisões que só nos enfraquecem não fazem sentido algum, ainda mais porque se, de maneira bem simplória, fossemos falar apenas em Metal melodioso e Metal extremo, ambos os lados da questão deram (e ainda dão) contribuições maravilhosas ao Metal nacional como um todo. E mais um ótimo nome que chega é o HARLLEQUIN, de volta depois de um tempinho, que nos brinda com o ótimo 'Hellakin Riders'.

Nirvana: Perguntas e respostas e curiosidadesKiss sobre Secos e Molhados: "há quem acredite em OVNIs"

O que temos no CD é aquele bom e velho Metal Tradicional com melodias muito bem apuradas e evidentes, alguns toques bem sacados de Prog Metal, e elementos mais agressivos do Thrash Metal em uma música única, ou seja, vocais usando e abusando de tons bem altos, guitarras ora mais melodiosas, ora mais agressivas, em riffs e solos bem compostos e pesados, baixo vibrante e com técnica, teclados tocados com maestria, mas sem serem inconvenientes em momento algum, e uma bateria que sabe não só alternar andamentos, mas mostra uma técnica muito boa e pesada, sem usar e abusar de bumbos duplos o tempo todo.

A produção sonora como um todo (incluindo mixagem, masterização e toda a engenharia de som) feita por Caio Cortonesi nos BroadBand Studios, deixou o CD com uma limpeza ímpar, mas ao mesmo tempo, está elegante, pesada e encorpada, sem obliterar detalhe algum; a arte do CD é algo de linda, bem trabalhada e que transpira o conteúdo das letras, pois se baseiam em uma lenda espanhola, a do Bando de Arlequim, homens amaldiçoados e presos em uma dimensão onde estão mortos para os vivos, e vivos para os mortos, ou seja, as letras dão um tempero cultural ótimo à música do grupo.

E quando o CD começa a tocar, a coisa fica realmente séria, pois o trabalho desde quinteto é bem acima da média, sempre forte e construído em cima de harmonias excepcionais, logo, fica bem difícil escolher um destaque entre as dez faixas, mas não dá para não citar a beleza e peso de 'Three Days in Hell', onde o vocal de Mário Linhares (sim, o mesmo vocalista do mítico DARK AVENGER) flui com naturalidade nos tons mais secos e agressivos quanto nos tons altos; a força e peso de 'Archangel Asylum', uma faixa mais desacelerada, e por isso, mais pesada e densa, com ótimos riffs de guitarra, e 'Going to War' segue a mesma levada, bem trabalhada e com uma bateria para lá de pesada e variada; 'Overshadow', uma faixa que prioriza mais o peso, com o baixo aparecendo bastante; 'King of the Dead', mais intimista, com levadas muito boas e que prendem a atenção do ouvinte; a arrasa-quarteirões cadenciada 'Hellakin Riders', onde as bases de guitarra são ótimas e os vocais de uma teatralidade soberba, bem como o baixo, bastante evidente, faz bonito; 'The Riddle' e 'The Bride' são mais etéreas, ambas com belos teclados, e na segunda, surge um clima belíssimo, mais uma vez com o baixo dando a tônica; 'Daredevil' é uma faixa mais rápida, mas mesmo assim bem complexa, onde as guitarras e os vocais definitivamente roubam a cena; e a linda 'Ancestors', permeada por um belo piano, quase toda uma semi-balada com bastante peso e melodia. Óbvio que o disco encerra-se aqui, o que nos leva a iniciar tudo mais uma vez, pois tudo que é bom merece uma sucessão de repetições. E dá uma vontade enorme de se erguer da poltrona e aplaudir, pois a banda merece.

Um disco maravilhoso, bastante profissional e que deverá constar na lista dos melhores do ano de muitos.

Hellakin Riders - Harllequin
(2012 - Die Hard Records - Nacional)

Tracklist:

01. Three Days in Hell
02. Archangel Asylum
03. Going to War
04. Overshadow
05. King of the Dead
06. Hellakin Riders
07. The Riddle
08. The Bride
09. Daredevil
10. Ancestors

Formação:

Mário Linhares - Vocais
Fabrício Moraes - Guitarras
Caio Cortonesi - Baixo
Pedro Val - Teclados
Kayo John - Bateria

Contatos:

https://www.facebook.com/pages/Harllequin/133952106681357
http://www.myspace.com/harllequin
nfo@corrosivemusik.com
http://www.corrosivemusik.com


Outras resenhas de Hellakin Riders - Harllequin

Harllequin: A volta dos que não foramHarllequin: riffs brutais e muito cativantes




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Harllequin"


Nirvana: Perguntas e respostas e curiosidadesNirvana
Perguntas e respostas e curiosidades

Kiss sobre Secos e Molhados: há quem acredite em OVNIsKiss sobre Secos e Molhados
"há quem acredite em OVNIs"

Rafael Serrante: Ele invadiu o palco do Maiden no Rock In RioRafael Serrante
Ele invadiu o palco do Maiden no Rock In Rio

Metallica: corrigindo a injustiça contra Jason NewstedMetallica
Corrigindo a injustiça contra Jason Newsted

Momentos bizarros: histórias de Ozzy, Stones, Who e outrosMomentos bizarros
Histórias de Ozzy, Stones, Who e outros

Foo Fighters: baterista revela a sua formação de banda dos sonhosFoo Fighters
Baterista revela a sua formação de banda dos sonhos

Metallica: Black Album ainda é um grande marcoMetallica
"Black Album" ainda é um grande marco


Sobre Marcos Garcia

Marcos Garcia é Mestrando em Geofísica na área de Clima Espacial, Bacharel e Licenciado em Física, professor, escritor e apreciador de todas as subdivisões de Metal, tendo sempre carinho pelas bandas mais jovens e desconhecidas do público, e acredita no Underground como forma de cultura e educação alternativas. Ainda possui seu próprio blog, o Metal Samsara, e encara a vida pela máxima de Buda "esqueça o passado, não pense no futuro, concentre-se apenas no presente".

Mais matérias de Marcos Garcia no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336