Kråke: A cena norueguesa ainda tem alguns ases em sua manga

Resenha - Conquering Death - Kråke

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Marcos Garcia
Enviar Correções  

10


Os fãs de Black Metal ainda sentem saudades dos tempos áureos do estilo, especialmente a primeira metade da década de 90 do século passado, já foi quando o mesmo despontou novamente, após um hiato de alguns anos, mais especificamente nos países nórdicos da Europa, em especial a Noruega.

Blaze Bayley: "é melhor ser ex do Iron que do A-HA"

Separados no nascimento: Lady Gaga e Eddie

Mas a ótima notícia é que no país ainda continua sendo feito o estilo, em menor escala, mas a cena norueguesa ainda tem alguns ases em sua manga, e alguns andam enfim saindo das sombras do undeground, mostrando sua cara, e o mais recente é o KRÅKE, que chega com seu Debut CD, 'Conquering Death', via Indie Recordings.

O quinteto, fundado em Kopervik (costa Oeste da Noruega) e capitaneado pelos irmãos Beist (vocais) e Dreugh (guitarras) desfila um Black Metal sinfônico muito sombrio, focando em climas sinistros densos, deixando a velocidade de lado (embora ela dê as caras aqui e ali de vez em quando), sem exagerar na técnica, o que atrairá fãs que andam decepcionados com os rumos atuais do estilo, bem como fãs de Avantgarde e Depressive Black Metal.

A produção sonora é algo de muito boa, já que o próprio Dreug cuidou dessa parte (bem como gravou todos os instrumentos, deixando apenas os vocais para Beist), bem como da mixagem nos Gainland Studios, enquando a masterização ficou nas mãos de Jens Bogren, nos Fascination Street Studios, o que deixou a sonoridade extremamente bem translúcida, permitindo que todos os instrumentos sejam ouvidos com clareza, mas sem perder aquela aura soturna essencial ao estilo. A arte foi feita pelo conhecido artista Marcelo HVC (que já trabalhou com BORKNAGAR, MYSTERIIS, CHROME DIVISION, DIMMU BORGIR, entre tantos outros), e ficou bem trabalhada e bela, mas capaz de transmitir o conteúdo musical/lírico.

O conteúdo do CD inteiro é bastante homogêneo, sendo meio chato o processo de destacar esta ou aquela faixa, mas podemos ter como pontos altos 'And a Colder Breed', que começa rápida, mas logo cai em momentos mais tétricos e pesados, com ótimos teclados e guitarras; a belíssima e densa 'Hearts Blood'; a pancada mórbida de 'Ed', onde o trabalho das guitarras e dos vocais se destaca bastante, e com bastante alternância de andamentos, e tudo isso é visto também na forte 'The Great Leviathan'; a épica e ótima 'Victorious, I,' bastante empolgante e soturna, com um andamento bastante cativante; a arrasadora 'The Gatekeeper'; e a cadenciada e tenebrosa 'I Ly As Lyset', uma aula de peso e morbidez bem feitos e equilibrados.

Ou seja: o que é bom não fica datado ou perde validade, logo, podem conhecer esta banda sem medo.

Conquering Death - Kråke
(2012 - Indie Recordings – Importado)

Tracklist:

01. A Murder Of Crows
02. And a Colder Breed
03. Hearts Blood
04. Ed
05. The Great Leviathan
06. Beneath Black Waters
07. Victorious, I
08. The Gatekeeper
09. Snowfall
10. I Ly As Lyset

Formação:

Beist – Vocais
Dreugh – Guitarras
Kobal – Guitarras
Dr.Horror – Baixo
Skarstein – Bateria

Contatos:

http://www.myspace.com/krakelegion
https://www.facebook.com/Kraakeofficial




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Blaze Bayley: é melhor ser ex do Iron que do A-HABlaze Bayley
"é melhor ser ex do Iron que do A-HA"

Separados no nascimento: Lady Gaga e EddieSeparados no nascimento
Lady Gaga e Eddie


Sobre Marcos Garcia

Marcos Garcia é Mestrando em Geofísica na área de Clima Espacial, Bacharel e Licenciado em Física, professor, escritor e apreciador de todas as subdivisões de Metal, tendo sempre carinho pelas bandas mais jovens e desconhecidas do público, e acredita no Underground como forma de cultura e educação alternativas. Ainda possui seu próprio blog, o Metal Samsara, e encara a vida pela máxima de Buda "esqueça o passado, não pense no futuro, concentre-se apenas no presente".

Mais matérias de Marcos Garcia no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin