A Todo Volume: O documentário é, em síntese, indispensável

Resenha - It Might Get Loud - A Todo Volume

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Paulo Severo da Costa
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 10

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Filmes que tenham o rock n´roll como tema costumam ser uma faca de dois gumes. No livro “Led Zeppelin: Quando os Gigantes Caminhavam sobre a Terra” de MICK WALL, há uma passagem reveladora sobre a premier de “The Songs Remains The Same”: um dos donos da Atlantic, gravadora do LED - o mítico AHMET ERTGUN - dorme ao longo da exibição da película, prenunciando o que fora, na época, o fracasso retumbante do longa.
820 acessosHard Rock e Metal: em vídeo, os dez álbuns mais vendidos nos EUA5000 acessosHeavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 2009

O fato é que adaptar uma linguagem para outra não é nada fácil. O rock n´roll possui um discurso rápido e fragmentário e, transpor isso visualmente, acaba sendo tarefa para poucos. Em se tratando de documentários, a coisa se agrava um pouco – narrativas longas demais cansam fácil o espectador; curtas demais passam uma imagem superficial e que pouco acrescenta.

Lançado em 2009, “It Might Get Loud”, lançado no Brasil como “A Todo Volume”, consegue trazer uma temática ainda mais árida para roteiristas e diretores - não se trata de uma biografia de uma banda ou artista - se trata da biografia de um instrumento: a guitarra. Convidado pelo idealizador do tema, THOMAS TULL, o diretor DAVIS GUGGENHEIM assumiu a tarefa de forma inteligente, construindo a narrativa a partir de três nomes conhecidos, cuja abordagem “guitarrística” - assim como a representação de geração no instrumento - é completamente diferente: THE EDGE, JACK WHITE e JIMMY PAGE.

Ao invés de cair no lugar comum da demonstração banal de técnicas e escalas, o roteiro criou uma super-estrutura, na qual as histórias de cada um se entrelaça, emolduradas pelas visões pessoais dos músicos sobre a sua relação com a guitarra. É emocionante ver PAGE feliz como um moleque de dez anos mostrando sua coleção de discos e contando como LINK WRAY e MUDDY WATERS fizeram parte do seu amplo leque de influências, bem como o indisfarçável olhar de fã de WHITE sobre ele, no momento em que mostra o riff de “Whole Lotta Love”.

O mais curioso do filme é notar a preocupação da produção em não transformá-lo em um objeto de interesse exclusivo de guitarristas: THE EDGE, por exemplo, como o punk foi fundamental para seu interesse não só musical, mas político; JACK WHITE fala das dificuldades em ter crescido no subúrbio de Detroit sendo o único interessado em tocar guitarra naquela área. O filme retrata a solidão e a busca por autoconhecimento de cada um – temas universais e de fácil alcance.

Tão bom quanto a sequência do filme - que termina em uma jam acústica de “The Weight” do THE BAND entrecortada por outras cenas - são os extras do DVD. Ali se discutem assuntos mais prosaicos como escolhas de encordoamento e os apelidos internos do pessoal do U2. Curioso observar como os cortes que se tornaram o material bônus foram cuidadosamente recortados do filme principal, fazendo com que a narrativa permanecesse fluida e focada no amadurecimento pessoal e musical dos protagonistas.

Em síntese: indispensável.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Led ZeppelinLed Zeppelin
Myles Kennedy fala sobre a audição para a banda em 2008

820 acessosHard Rock e Metal: em vídeo, os dez álbuns mais vendidos nos EUA607 acessosLed Zeppelin: Bonham é homenageado com placa em sua cidade natal736 acessosLed Zeppelin: advogados exigem que reclamantes paguem as custas1400 acessosThem Crooked Vultures: Grohl diz que banda deve retornar em breve132 acessosSina: "Whole Lotta Love" do Led com jovens amigos0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Led Zeppelin"

NovelasNovelas
10 clássicos do Rock que a Globo ajudou a popularizar

Rock e MetalRock e Metal
Quais álbuns antigos ainda estão na Billboard 200?

Robert PlantRobert Plant
Em vídeo, as mudanças em sua aparência de 1968 até 2016

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "U2"0 acessosTodas as matérias sobre "Led Zeppelin"0 acessosTodas as matérias sobre "White Stripes"

Heavy MetalHeavy Metal
Os melhores álbuns de 2009 segundo o About.com

Rock In RioRock In Rio
Por que ladrões agiram menos no dia do Metal?

Separados no nascimentoSeparados no nascimento
Dave Mustaine e Mika Hakkinen

5000 acessosEm 07/07/1990: Morre Cazuza, por complicações decorrentes da AIDS5000 acessos"Cê tá de brincadeira, né?": quando grandes nomes vacilam5000 acessosMotörhead: Amy Lee no colo de Lemmy Kilmister5000 acessosLed Zeppelin: Steven Tyler tentou substituir Plant em 20084012 acessosBill Ward: ele quer mais que 80 mil dólares por show em festival5000 acessosArte: o criador de mais de sete mil logos de Black e Death

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 19 de julho de 2012

Sobre Paulo Severo da Costa

Paulo Severo da Costa é ensaísta, professor universitário e doente por rock n´roll. Adora críticas, mas não dá a mínima pra elas. Email para contato: joaopsevero@bol.com.br.

Mais matérias de Paulo Severo da Costa no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online