Napalm Death: "Utilitarian" é um dos trabalhos ousados

Resenha - Utilitarian - Napalm Death

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Vitor Franceschini
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Receber este trabalho lançado pela Shinigami Records foi de grande satisfação, pois se trata de um álbum de uma das maiores bandas do Metal extremo mundial. Este é o décimo quarto disco de estúdio lançado pelo Napalm Death (o total de trabalhos entre demos, singles, Ep´s, DVD, entre outros chegam a 60!) em mais de 30 anos de carreira.
1093 acessosNapalm Death: vocal ensina gutural a político e bomba no streaming5000 acessosMetallica: Jason explica o baixo apagado de And Justice For All

Mesmo como um dos principais – talvez o principal – pilares do Grindcore, a banda nunca deixou de ousar ou, no mínimo, mesclar influências do Death Metal e do Hardcore em seus trabalhos. “Utilitarian” figura dentre os trabalhos ‘ousados’ da banda, lembrando que o Napalm sempre adiciona ao seu som e nunca muda drasticamente.

Desde o início com a introdução densa e apocalíptica de Circumspect o álbum irá causar calafrios nos fãs mais radicais, mas logo se animam com Errors In The Signals, que vem logo em seguida mostrando a verdadeira face da banda. Mesmo assim, o freio é puxado em um refrão bem grudento e com excelentes backing vocals (como sempre) do guitarrista Mitch Harris.

Seguindo a linha mais tradicional da banda Protection Racket mostra o lado Death/Grind, com variação rítmica e peso ímpar. Think Tank Trails desperta a insanidade do grupo, com a velocidade que lhe é cabível e Nom De Guerre mantém o tom e a agressividade característica da banda.

Indo para o lado polêmico, aliás, inusitado podemos citar Everyday Pox, que conta com um saxofone (a cargo de John Zorn) muito insano, seguindo o Grindcore da banda. Particularmente curti muito a inclusão do instrumento, loucura total. Já The Wolf I Feed, com uma veia Punk no instrumental, deixará os fãs com a pulga atrás da orelha. A divisão de vocais entre Barney Greenway e Mitch ficou excelente, mas o refrão com vozes limpas (bem parecido com Fear Factory) pode causar vários xingamentos.

Outra que causará estranheza será Fall On The Swords, seu refrão chega a ser épico e seu ritmo é bem cadenciado para os padrões da banda. Às mentes abertas as faixas apenas soarão como surpreendentes, já que são ótimas composições e só acrescentam no som da banda (como foi dito no início da resenha).

“Utilitarian” ainda apresenta um Danny Herrera muito mais técnico na bateria, onde acompanhado da lenda Shane Embury, detonam em 90% das composições. “Utilitarian” é um disco que não oscila entre o bom e o ruim, mas sim entre o habitual e o inusitado. Tudo sem deixar de soar Napalm Death, o que é o que mais importa. E olha, essa versão vem num lindo digipack e é limitada, portanto corra atrás do seu!

http://www.napalmdeath.org/

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Utilitarian - Napalm Death

1831 acessosNapalm Death: O quarteto sempre faz bem feito

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 27 de maio de 2012

OpethOpeth
"You Suffer", do Napalm Death, é tocada duas vezes em show

1093 acessosNapalm Death: vocal ensina gutural a político e bomba no streaming581 acessosNapalm Death: vocalista ensina político a fazer gutural486 acessosNapalm Death, Brujeria: travando pescoços no sul da Alemanha75 acessosEm 31/05/1994: Napalm Death lança Fear, Emptiness, Despair0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Napalm Death"

Heavy MetalHeavy Metal
As melhores faixas de 2012 segundo o Loudwire

Napalm DeathNapalm Death
"Qualquer religião - antiga ou nova, não serve para nada!"

Bandas extremasBandas extremas
10 álbuns que causaram surpresa

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Napalm Death"

MetallicaMetallica
Jason explica o baixo apagado de And Justice For All

Lady GagaLady Gaga
"O Iron Maiden mudou a minha vida!"

Ozzy x SharonOzzy x Sharon
Conheça a mulher que supostamente causou a separação

5000 acessosBin Laden: possível sucessor era músico de Death Metal5000 acessosIntrigas: Bandas em família que terminaram mal5000 acessosVinil: quais são os dez discos mais valiosos do mundo?3948 acessosSlayer: "Nunca tentamos ser algo que não somos"5000 acessosAerosmith: banda tem outro vocal na coxia para cantar por Tyler?5000 acessosJason Newsted: o Metallica vive em seu próprio mundo

Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online