Channel Zero: Thrash moderno, pesado e cadenciado

Resenha - Feed 'em with a Brick - Channel Zero

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Fernanda Lira
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


O Channel Zero é uma banda de heavy/thrash metal formada em 1990 na Bélgica, que chegou a ser um dos maiores ícones da música pesada em seu país. Porém, em meados de 1997, o grupo anunciou sua separação, mesmo com seu status de "o Metallica belga". Quase quinze anos depois, e com o mesmo comprometimento e vontade de fazer metal, a banda retorna à cena com seu quinto álbum de estúdio - "Feed 'em with a Brick" - e prometem uma apresentação no Brasil em breve.
5000 acessosPorn Metal: Filmes para inspirar os headbangers solitários5000 acessosUltimate Classic Rock: as 25 músicas mais tristes da história

O disco mantém a mesma linha de seus trabalhos anteriores, porém com dois grandes diferenciais: o lançamento pela grandiosa Roadrunner Records, o que demonstra não só um amadurecimento da banda, mas também exprime um desejo em tratar sua volta ao mercado do metal de forma bem profissional. O outros aspecto que é sem dúvida algo positivamente relevante é a qualidade da gravação - límpida e nem por isso menos pesada.

O fato do segundo álbum da banda ter sido mixado por Vinnie Paul, ex-Pantera, não é de se estranhar. A primeira impressão que se tem ao ouvir Channel Zero - e especialmente este disco - é que o extinto grupo do qual Paul fazia parte exerce MUITA influência na banda. E de maneira totalmente aceitável, já que mesmo demonstrando esse gosto ressaltado pelo Pantera em suas composições, os belgas não deixam a desejar quanto a inclusão de aspectos diferentes nas músicas.

Todas as faixas têm em comum um ar que soa modernizado, desde o timbre das guitarras até as próprias levadas, que variam entre melodias marcantes, peso e cadência. Os melhores exemplos disso são a faixa de abertura "Hot Summer" e "Freedom", esta última que também tem como marca registrada uma das principais características da banda: as linhas vocais.

Bem melódicas, como em "Guns of Navarone", por exemplo, o que chamou muito minha atenção foi a maneira inteligente como as linhas vocais foram encaixadas nas músicas. Refrãos que se repetem e são de fácil assimilação estão presente em praticamente 100% das canções, e isso é algo que eu considero positivo, já que as músicas cumprem bem o papel de 'grudarem' na cabeça após serem ouvidas. As linhas vocais podem agradar bastante a fãs de Pantera e até de Black Label Society.

Os fãs daquele thrash metal que mescla passagens rápidas com grooves mais cadenciados, típicos para banguear e abrir um moshpit, podem encontra neste disco do Channel Zero uma ótima opção. Novamente "Hot Summer", junto a "Electric Showdown", "In the City" e a que eu mais simpatizei no álbum, "Angels of Blood", são boas pedidas.

Quanto aos outros elementos que citei logo no começo da resenha, se tratam das variações de ritmos e pegadas que permeiam todo o "Feed 'em with a Brick". São elas os climas e os riffs bem pesados e puxados pro heavy metal em "Guns of Navarone", uma passagem quase doom em "Electric Showdown", dentre outros fatores.

Para finalizar, cito as duas surpresas do disco: "Side Lines" e "Ocean", que além de refletir uma versatilidade no vocal, que aparece limpo nessas faixas, são quase baladas de heavy metal, ao melhor estilo "Hollow", do Pantera.

Para os fãs antigos, um ótimo disco que dá continuidade e mantém os melhores aspectos nos trabalhos anteriores do Channel Zero. Para quem ainda não conhece e aprecia um thrash moderno, pesado e cadenciado, sem dúvida um álbum imperdível e um show excelente por vir!

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Feed 'em with a Brick - Channel Zero

321 acessosChannel Zero: Thrash com profusão de grooves e melodia395 acessosChannel Zero: Trabalho cuidadoso, bem pensado e executado

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Channel Zero"

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Channel Zero"

Porn MetalPorn Metal
Filmes para inspirar os headbangers solitários

Classic RockClassic Rock
As 25 músicas mais tristes da história

Iron MaidenIron Maiden
Versões mais pesadas para clássicos do Rock

5000 acessosDossiê Guns N' Roses: A versão de Slash para os fatos5000 acessosCrianças: veja como cresceram as de "Nevermind", "War" e outras5000 acessosRodolfo: 100% arrependido das letras dos Raimundos5000 acessosKiss: o Brasil acreditava que a banda matava pintinhos nos shows5000 acessosStryper: Tom Araya fala sobre demônio, sai do palco e vai rezar5000 acessosSepultura: as dez canções mais subestimadas da banda

Sobre Fernanda Lira

Sem descrição cadastrada.

Mais matérias de Fernanda Lira no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online