SuperSonic Brewer: Mistura musical agradável

Resenha - Broken Bones - SuperSonic Brewer

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Christiano K.O.D.A., Fonte: Som Extremo
Enviar Correções  

publicidade

8


De Bento Gonçalves/RS para o mundo, o quarteto formado por Rodrigo Fiorini (guitarra), Vini Durli (vocal/baixo), Evandro "Piki" Carlos (bateria) e Maurício Menegotto (vocal/guitarra) apresenta seu primeiro full length abarrotado de um bom thrash "querendo ir para o death metal", com um pé no passado e outro no presente. Pois é, o tradicional e o moderno se misturam de maneira interessante no som do grupo.

publicidade

As músicas são longas e lentas (tem um quê de Obituary e Six Feet Under nesse aspecto), mas com um clima bem legal, especialmente para aqueles que sabem que ser extremo não é só esmerilhar guitarras e tocar os blast beats mais rápidos do universo. Aliás, é nisso que a SS Brewer se dá bem: investem em um som básico, mas realmente cheio de energia.

publicidade

Agora, esse registro é obrigatório: os solos são um show à parte, brilhantes, bem encaixados e altamente inspirados. Cada coisa linda que sai dos autofalantes, que enche os olhos! Sem dúvida, é um ponto fortíssimo do conjunto. FANTÁSTICOS os trabalhos de Fiorini e Menegotto.

Por sua vez, a voz de Durli, meio rouca e obscura, dá uma boa encorpada ao som da banda.

publicidade

Entre as músicas, três são de matar: primeiramente, a mais brutal do CD - "Dead Men Make No Shadow"; depois, tem "Destruction Overtruck" e seu riff simples e grudento, além do refrão empolgante.

E apesar do estilo mais porradão, nota-se que a banda possui influências de vários outros gêneros, como o heavy (os citados solos) e o bom e velho rock ‘n’ roll, entre outros. Aliás, essa veia, ninguém tira dos caras. Um ótimo exemplo é o terceiro destaque - "Blood Washed Hands" – que puxa para o lado mais sujo do estilão, com uma levada muito boa, direta e perfeita para destruir o pescoço bangeando.

publicidade

O som da produção está bom, embora as guitarras pareçam levemente abafadas. Como têm baixa afinação, causam um leve estranhamento no ouvinte, mas é só. A arte gráfica é simples, porém dá conta do recado.

A SuperSonic Brewer lança um álbum cuja mistura musical agradável ainda é um "nicho" que tem tudo para crescer no Brasil. Boa pedida!

publicidade

SuperSonic Brewer – Broken Bones
Independente – 2011 – Brasil
http://www.myspace.com/supersonicbrewer

Tracklist
1. Last Call 05:29
2. Extermination 03:33
3. Illusion 06:02 Show lyrics
4. Ready For Another Binge 05:04
5. Dead Men Make No Shadow 04:33
6. Blood Washed Hands 05:46
7. Destruction Overtruck 04:27
8. Society In Ruins 04:24
TOTAl: 39:18

publicidade


Outras resenhas de Broken Bones - SuperSonic Brewer

SuperSonic Brewer: Ótimo trabalho no 1º registro completo




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Slash: Alucinações, sexo, dinheiro e armas de fogo no auge do vícioSlash
Alucinações, sexo, dinheiro e armas de fogo no auge do vício

Trues quase infartaram: Obituary mitou ao lado de Joelma e ChimbinhaTrues quase infartaram
Obituary mitou ao lado de Joelma e Chimbinha


Sobre Christiano K.O.D.A.

Um cara diretamente ligado ao Som Extremo, fã de livros e filmes, formado em Imagem e Som, Publicidade e Propaganda e Jornalismo. Faz parte da banda de grindcore Prey of Chaos e tem um blog dedicado à música barulhenta. Enfim, alguém que faz da música sua vida.

Mais matérias de Christiano K.O.D.A. no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin