Resenha - Slovo - Arkona

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Beirando a primeira década de existência, o Arkona conseguiu desenvolver seu Folk Metal de forma a gerar rápido interesse para fora dos limites da Rússia, o que possibilitou que seus discos fossem lançados oficialmente em inúmeras outras nações - e alguns também aportaram aqui no Brasil. Agora, dando sequência, está chegando "Slovo" (em português: "Palavra"), o sexto álbum de uma discografia bastante linear em sua progressão.

Bullet For My Valentine: Baterista conta o inferno que é abrir para o Iron MaidenKiss FM: as 500 mais tocadas pela rádio em 2008

E com "Slovo" os russos continuam mostrando que podem fazer um monte de coisas diferentes com sua música. Para sua concepção, além de os músicos estarem afiadíssimos e abraçarem desde o tradicionalismo até o extremismo do Heavy Metal, o Arkona novamente faz uso de um coro, orquestra sinfônica, uma infinidade de instrumentos folclóricos - e dá-lhe polka! - e inúmeros vocalistas convidados para engrandecer esta obra.

Transmitindo sentimentos que se alternam entre orgulho desafiador, amargura e lamúria, é louvável tanta atenção aos detalhes espalhados pelas camadas sonoras. Entre arranjos mais complexos como os de "Nikogda" e "Zaklyatye"; a simplicidade tocante da própria faixa-título ou a inserção de interlúdios acústicos, o Arkona está construindo uma espécie de marca registrada ao montar um repertório sem a preocupação de unificar suas influências, o que gera uma imprevisibilidade que consegue despertar o ouvinte.

É claro que parte do público pode considerar esta abordagem como uma desvantagem, mas isso se chama autenticidade e o Arkona já deixou claro não deve nada a ninguém, tanto que continua cantando em russo. E, neste sentido, a bonita vocalista Masha se mantém entre as mais interessantes vozes femininas do Heavy Metal da nova geração, trabalhando com linhas melódicas e guturais invejáveis em um desempenho impressionante, emocional mesmo.

Chega a ser louvável a forma como o Arkona progrediu em termos de composições, inserindo tantos novos elementos desde o debut "Возрождение" (04). Globalmente, toda a diversidade pode parecer um pouco confusa, mas "Slovo" consegue se sobressair com folgas entre os vários lançamentos do chamado Folk Metal, nicho onde algumas bandas parecem dar mais atenção às extravagâncias de suas espadas, escudos, peles e pinturas de guerra do que à música propriamente dita...

Contato:
http://www.arkona-russia.com
http://www.myspace.com/arkonarussia

Formação:
Masha 'Scream' Arhipova - voz
Sergej 'Lazar' - guitarra
Ruslan 'Kniaz' - baixo
Vlad 'Artist' Sokolov - bateria e teclados
Vladimir 'Volk' - instrumentos de sopro
Pavel Lukoyanov - gusli

Arkona - Slovo
(2011 / Napalm Records - importado)

01. Az (The Beginning Of All Beginnings)
02. Arkaim (Arkaim)
03. Bol'no Mne (It Is Painful To Me)
04. Leshiy (Leshiy)
05. Zaklyatye (Incantation)
06. Predok (Ancestor)
07. Nikogda (Never)
08. Tam Za Tumanami (Beyond The Fog)
09. Potomok (Descendant)
10. Slovo (The Word)
11. Odna (Alone)
12. Vo Moyom Sadochke... (In My Garden...)
13. Stenka Na Stenku (Wall To Wall)
14. Zimushka (Winter)


Outras resenhas de Slovo - Arkona

Arkona: Na linha dos anteriores com maior complexidade




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Arkona"


Bullet For My Valentine: Baterista conta o inferno que é abrir para o Iron MaidenBullet For My Valentine
Baterista conta o inferno que é abrir para o Iron Maiden

Kiss FM: as 500 mais tocadas pela rádio em 2008Kiss FM
As 500 mais tocadas pela rádio em 2008

Fotos de Infância: Kurt Cobain, do NirvanaFotos de Infância
Kurt Cobain, do Nirvana

Cradle of Filth: Chimbinha, do Calypso, usando camiseta?Keith Richards: colocando Justin Bieber em seu devido lugarTestament: não se acrescenta rap ao Thrash MetalLA Weekly: as 20 piores bandas de todos os tempos

Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.