Belphegor: Como pode um trio fazer tanto barulho?

Resenha - Walpurgis Rites - Hexenwahn - Belphegor

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Christiano K.O.D.A.
Enviar Correções  

publicidade

10


Já faz dois anos do lançamento e ainda sim, vale muito reforçar esse registro. Mas calma, espera um pouco, deixa eu recuperar o fôlego... meus amigos, tenho uma confissão séria a fazer: apesar de ouvir falar da Belphegor há anos, nunca fui de fato atrás do som deles. Se arrependimento matasse...

Vanessa Frehley: amor sem limites ao KissFreddie Mercury: veja a primeira foto do cantor no palco, ainda nos anos sessenta

O bom foi a Laser Company trazer isso para o Brasil, um investimento e tanto. Afinal, a banda tem uma legião de fãs respeitável por aqui. E vou dizer mais: puta merda, como é bom! Estou impressionado com o patamar de extremismo no qual os austríacos se encontram. Como pode um trio fazer tanto barulho?

E isso só com a faixa de abertura, que leva o nome do CD. Realmente avassaladora! E tão impressionante quanto, é o fato de conseguirem distribuir uma boa dose de belas melodias em um som que a princípio jamais aceitaria tal mistura. Ouçam "Veneratio Diaboli - I Am Sin" para entenderem exatamente o que digo.

Agora, menos atordoado com a violência do disco, afirmo que o grupo faz uma rica mescla de death e black metal, com inspirados riffs velozes e uma bateria destruidora. O vocal consegue um feito incrível ao ficar exatamente entre um estilo e outro. É muito interessante, porque dentro de cada música, dá para perceber quando algo soa mais death ou mais black, quase uma divisão visível nas composições da Belphegor. E isso de maneira alguma é ruim, longe disso! A versatilidade do trio é fora do normal. Transitam entre picos e abismos de violência com uma facilidade quase inacreditável. Banda completa!

Aqui e ali, você nota principalmente um quê de Dark Funeral – chequem "Reichswehr in Blood" para admirar o espetáculo que é a canção. E até em experiências mais cadenciadas como "Der Geistertreiber", que pode ser vista no clipe abaixo, eles mostram que entendem da coisa. Um show!

E exemplificando tudo o que escrevi acima, vem a faixa de encerramento – "Hexenwahn – Totenkult" – a que mais gera contraste entre partes brutais e cadenciadas, mostrando todo o potencial da banda. Simplesmente perfeita.

Com esse nível de qualidade, a parte gráfica tinha que manter o padrão. A arte do encarte é qualquer coisa de espetacular, detalhada e linda. Os caras investem pesado na imagem do produto, e merecem nota máxima por isso. Bom, e o papel luxuoso também ajuda ainda mais nessa boa impressão.

No geral, mesmo tendo conhecido a Belphegor através desse trabalho aqui, posso afirmar categoricamente que a banda está tranquilamente entre as maiores do underground mundial. Duvido que alguém discorde. Este hipnótico "Walpurgis Rites – Rexenwahn" é só uma prova disso.

Belphegor – Walpurgis Rites – Hexenwahn
Laser Company – 2009 - Áustria
http://www.myspace.com/belphegor

Tracklist
1. Walpurgis Rites
2. Veneratio Diaboli - I Am Sin
3. Hail the New Flesh
4. Reichswehr in Blood
5. The Crosses Made of Bone
6. Der Geistertreiber
7. Destroyer Hekate
8. Enthralled Toxic Sabbath
9. Hexenwahn - Totenkult



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Belphegor: Dane-se a Igreja, precisamos de mais Metal!Belphegor
"Dane-se a Igreja, precisamos de mais Metal!"

Belphegor: frontman quase morreu por doença do BrasilBelphegor
Frontman quase morreu por doença do Brasil


Vanessa Frehley: amor sem limites ao KissVanessa Frehley
Amor sem limites ao Kiss

Freddie Mercury: veja a primeira foto do cantor no palco, ainda nos anos sessentaFreddie Mercury
Veja a primeira foto do cantor no palco, ainda nos anos sessenta


Sobre Christiano K.O.D.A.

Um cara diretamente ligado ao Som Extremo, fã de livros e filmes, formado em Imagem e Som, Publicidade e Propaganda e Jornalismo. Faz parte da banda de grindcore Prey of Chaos e tem um blog dedicado à música barulhenta. Enfim, alguém que faz da música sua vida.

Mais matérias de Christiano K.O.D.A. no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin