Crushing Axes: Momentos brutais, atmosféricos e sinfônicos

Resenha - Ascension of Ules - Crushing Axes

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Marcos Garcia
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Bem, desde que no início dos 90, várias ‘one man band’ surgiram aqui e ali, no Metal mais extremado, vez por outra, vemos projetos assim surgindo vez por outra, alguns muito legais, outros nem tanto, mas todos com o mérito da tentativa. O que, aliás, é uma parte muito boa do mundo do Metal: fazer o seu som, sem se prender a certas limitações.
5000 acessosAvenged Sevenfold: "Mike Portnoy não queria sair da banda"5000 acessosCensura: 53 nomes que você não pode dizer em uma rádio

O CRUSHING AXES é mais um desses projetos musicais, e este CD, chamado ‘Ascension of Ules’, se de um lado peca por uma produção sonora mediana e abafada, o que tira um pouco do brilho que sua música pede, possuiu uma sonoridade bem personalizada e as músicas são muito, muito boas, que nos faz ouvir o CD e esperar que logo venha algo novo da parte de Alex, compositor e responsável por todos os instrumentos.

A arte da capa é uma pintura clássica, e outra no mesmo estilo ilustra a parte traseira, ou seja, algo bem simples, mas funcional e digno de nota. Agora, ouvindo o som, sai de baixo, pois é algo bem surpreendente, já que sua música é uma mistura de estilos extremos, com vocais guturais bem postados, guitarras muito bem tocadas, cozinha com trabalho musical e peso nas medidas certas, e muitas inclusões de música clássica e regional em vários momentos, com corais e teclados bem colocados. Poderíamos definir como um Metal bem brutal em dados momentos, e em outros, extremamente atmosférico e sinfônico, ao ponto do CD ser dividido em três atos diferentes (‘Decadence of Evil’, ‘Banned Pilgrim’ e ‘Ashes of Divinity’), como várias peças de música clássica. Sem comparações que venham a comprometer o trabalho, podemos dizer que é uma mistura personalizada de PAZUZU e um SATYRICON em seus momentos mais amenos, com um HAGGARD mais seco e agressivo.


Musicalmente variado, mas com o nível das músicas bem acima da média, acaba sendo meio difícil destacar esta ou aquela faixa, o que seria uma injustiça, mas podemos ver alguns na forte e agressiva ‘Decay of the Almighty’, e os mesmos elementos serão encontrados em ‘Journey Through the Dark’; já em ‘Abyss of Death’, temos vocais limpos e um andamento extremamente climático, folk e progressivo; ‘Misanthropy’ retoma a agressividade; a belíssima ‘Flagellated Mind’ (que tem a participação especial feminina na linda voz de Jéssica Araújo); a bruta ‘Bloodpaint’; a semi-clássica ‘A Flash of Memories’; em ‘The Return (Invanding the Garden), temos uma faixa não tão rápida, mas instigante, e na densa e melancólica ‘Final Consideration (Vazio)’.

Resumindo: um disco de estréia muito bom, que cria boas expectativas para o futuro, no qual esperamos ver mais trabalhos da banda.

Tracklist:

01. Decay of the Almighty’
02. Awakening
03. Long Way to Nowhere
04. Journey Through the Dark
05. Abyss of Death
06. Misanthropy
07. Flagellated Mind
08. Bloddpaint
09. A Flash of Memories
10. The Return (Invanding the Garden)
11. Sweet Killing
12. Final Consideration (Vazio)

Contatos:

http://www.facebook.com/pages/Crushing-Axes/211284495588490?...
http://www.myspace.com/crushingaxes
http://www.reverbnation.com/crushingaxes

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de Ascension of Ules - Crushing Axes

228 acessosCrushing Axes: Do extremo às passagens melódicas/acústicas315 acessosCrushing Axes: Projeto vai do épico ao pós-moderno

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Crushing Axes"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Crushing Axes"

Avenged SevenfoldAvenged Sevenfold
"Mike Portnoy não queria sair da banda"

CensuraCensura
53 nomes que você não pode dizer em uma rádio

MetallicaMetallica
Noiva toca "Master..." na bateria no casamento

5000 acessosRush: Neil Peart ainda tem aulas de bateria5000 acessosTrítono: Diabolus In Musica e a relação com a Igreja5000 acessosSuzi Quatro: a importância da linda baixista para o rock5000 acessosApple: entenda como ela destrói a qualidade do que você ouve1367 acessosLady Gaga: e se ela tocasse como o Iron Maiden?5000 acessosPastor Arnaldo: O Exorcismo do Encosto Pagodeiro

Sobre Marcos Garcia

Marcos Garcia é Mestrando em Geofísica na área de Clima Espacial, Bacharel e Licenciado em Física, professor, escritor e apreciador de todas as subdivisões de Metal, tendo sempre carinho pelas bandas mais jovens e desconhecidas do público, e acredita no Underground como forma de cultura e educação alternativas. Ainda possui seu próprio blog, o Metal Samsara, e encara a vida pela máxima de Buda "esqueça o passado, não pense no futuro, concentre-se apenas no presente".

Mais matérias de Marcos Garcia no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online