Eyefear: Técnico e voltado para o heavy metal progressivo

Resenha - Unseen - Eyefear

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Junior Frascá
Enviar Correções  

9


Para quem não conhece a banda australiana EYEFEAR, trata-se do atual grupo do vocalista Danny Cecati, que ficou famoso no meio da música pesada por ter gravado dois grandes álbuns com a banda de metal tradicional PEGAZUS (também australiana), os clássicos "Wings of Destiny" (1998) e "Breaking the Chains" (1999).

E apesar de praticamente desconhecida do público brasileiro, este "The Unseen" já é o quarto álbum do EYEFEAR, sucessor do também excelente "A World Full of Grey", de 2007, e pode ser considerado seu melhor lançamento até agora.

publicidade

Contudo, ao contrário da ex-banda de seu vocalista, o EYEFEAR investe em um som mais técnico, voltado para o heavy metal progressivo, com forte influência de power metal, na linha do começo de carreira de bandas como EVERGREY e THRESHOLD, com muito peso e personalidade, e tendo como diferencial a potente voz de Cecati (que também é famoso por ter os maiores cabelos do Rock), que consegue alcançar tons altíssimos, mas sem perder a agressividade, o que torna a música da banda ainda mais cativante.

publicidade

Após a introdução "Hypnosis", a banda já mostra a que veio com a pesadíssima "Illusions", com seus riffs beirando ao thrash metal, e belas melodias vocais. Merece destaque também a excelente "Bridge to the Past" e as pesadas "From Darkness Till Dawn" e "Confession", com grandes riffs de guitarras e teclados muito bem encaixados. Destaca-se ainda a balada "Wasting Away (Alone)", com forte carga sentimental.

publicidade

Conforme já mencionado, o grande destaque do álbum mais um vez é o vocalista Danny Cecati, que além de possuir um timbre vocal muito potente e agradável, sem cometer exageros, ainda consegue transmitir muita agressividade nas composições, sendo, como já dito, um dos grandes diferenciais da banda, juntamente com as guitarras precisas de Kosta, que emana riffs sensacionais durante todo o CD.

publicidade

Para quem já é fã do vocalista, vale a pena conferir o som do EYEFEAR, uma vez que se trata de uma excelente banda, na qual sua voz se encaixa com perfeição. E para quem nunca foi fã de seus vocais na época do PEGAZUS, mas que admira a boa música, feita com muita garra e dedicação, trata-se de uma nova oportunidade de conferir o trabalho do vocalista em outro estilo que, aliado a uma banda muito competente, conseguiu lançar um álbum de grande destaque, muito pesado e técnico, e que deve agradar os ouvintes mais exigentes.

http://www.myspace.com/eyefear

publicidade

The Unseen - Eyefear
(2008 – Dockyard - Importado)

1. Hypnosis (Intro)
2. Illusions
3. Bridge to the Past
4. The Unseen
5. Always Reasons
6. Wasting Away (Alone)
7. From Darkness Till Dawn
8. Confessions
9. A Clouded Mind




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Woodstock: som ruim, gente demais e cheiro de fezes e urinaWoodstock
Som ruim, gente demais e cheiro de fezes e urina

Notas altas: as dez mais impressionantes do Heavy MetalNotas altas
As dez mais impressionantes do Heavy Metal


Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin