Alter Bridge: distante da sonoridade de sua antiga banda

Resenha - AB III - Alter Bridge

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

8


Ainda que muitos considerem o Creed como uma das bandas mais soporíferas que surgiram nos tenebrosos anos 90, é inegável que Mark Tremonti (guitarra), Brian Marshall (baixo) e Scott Phillips (bateria) procuraram se distanciar da sonoridade de sua antiga banda e seguiram por caminhos bem mais consistentes ao investir no Alter Bridge em meados da década seguinte. E sua proposta, mesmo sempre apresentando um forte apelo mainstream, amadureceu consideravelmente até chegar em "AB III", que está agora sendo lançado no mercado brasileiro.

Alter Bridge: lançado lyric video oficial de "Metalingus"Megadeth - Perguntas e Respostas

Se caracterizando por ser o primeiro álbum conceitual dos norte-americanos, as letras de "AB III" se desenvolveram a partir da desilusão religiosa e batalhas existenciais. São incertezas inerentes à condição humana, mas os temas estão bem amparados por uma musicalidade que revela uma extensão da faceta mais Hard Rock e Progressiva, tão presentes no antecessor "Blackbird" (07), porém com características ainda mais obscuras e uma angústia que beira a introspecção.

E, ainda que tudo transborde melodias grudentas, existe uma agressividade constante permeando a maior parte do repertório, com um trabalho de guitarra que conseguirá surpreender muita gente por aí, e que inclusive conta com o próprio vocalista Kennedy contribuindo com Tremonti nesta área. O aspecto vocal de Myles Kennedy também consegue ser outro ponto alto em "AB III", cujo bonito timbre oferece linhas vocais bem diversificadas, agressivas e limpas.

Os mais de 60 minutos de audição revelam muita espontaneidade, mas há composições realmente notáveis como a inquietante abertura "Slip To The Void", meio ‘ambiente’ e que cresce em intensidade até explodir com seu refrão épico; o single "Isolation", com um groove denso e bem pesado; e "Words Darker Than Their Wings", onde Kennedy e Tremonti dividem as vozes, finalizando a audição em derradeira melancolia.

Com um som tipicamente norte-americano e feito sob medida para ser degustado pelas grandes massas, "AB III" certamente elevará ainda mais o nome Alter Bridge perante a mídia. E o quarteto é digno de todos os méritos, pois mostra desenvoltura em experimentar diferentes dinâmicas e o resultado é positivamente emocional, algo raro na nova safra de bandas dessa nação. Definitivamente, um registro recomendado aos que apreciam Rock´n´Roll meio alternativo e contemporâneo!

Contato:
http://www.alterbridge.com/
http://www.myspace.com/alterbridge

Formação:
Myles Kennedy - voz e guitarra
Mark Tremonti - guitarra
Brian Marshall - baixo
Scott Phillips - bateria

Alter Bridge - AB III
(2010 / 2011 - Roadrunner Records - nacional)

01. Slip To The Void
02. Isolation
03. Ghost Of Days Gone By
04. All Hope Is Gone
05. Still Remains
06. Make It Right
07. Wonderful Life
08. I Know It Hurts
09. Show Me A Sign
10. Fallout
11. Breathe Again
12. Coeur D’Alene
13. Life Must Go On
14. Words Darker Than Their Wings


Outras resenhas de AB III - Alter Bridge

Resenha - AB III - Alter Bridge



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Alter Bridge: lançado lyric video oficial de "Metalingus"Alter Bridge: Tremonti diz que músicos talentosos nem sempre são os mais legais

Metallica: o setlist perfeito na opinião de Mark Tremonti, guitarrista do Alter BridgeMetallica
O setlist perfeito na opinião de Mark Tremonti, guitarrista do Alter Bridge

Alter Bridge: banda lança vídeo em homenagem aos trabalhadores que combatem o COVID-19

Alter Bridge: Análise vocal de Myles KennedyAlter Bridge
Análise vocal de Myles Kennedy

Alter Bridge: como foi o fim do Creed e o início da nova bandaAlter Bridge
Como foi o fim do Creed e o início da nova banda


Megadeth - Perguntas e RespostasMegadeth - Perguntas e Respostas

Guitarpedia: Os 10 riffs de guitarra mais complicados da históriaGuitarpedia
Os 10 riffs de guitarra mais complicados da história


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin