Alter Bridge: Heavy Metal competente e com feeling!

Resenha - AB III - Alter Bridge

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Guilherme Rocha Thielen
Enviar Correções  

9


Depois de três anos fora da ativa, o ALTER BRIDGE volta com força novamente. Pra quem ainda não sabe, aí vai um resumo da ainda pequena história da banda: O ALTER BRIDGE foi formado pelo guitarrista Mark Tremonti, da banda Creed. Mark então decidiu chamar os outros dois integrantes do Creed: Scott Philips (baterista) e Brian Marshall (baixista). Para assumir os vocais e a outra guitarra, Myles Kennedy.

Alter Bridge: lançado lyric video oficial de "Metalingus"Hetfield: egos, Mustaine, Load e homossexualidade no Metallica

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O nome da banda faz referência a uma ponte na cidade natal do guitarrista, lugar que era sempre proibido de ir por sua mãe. É, portanto, uma alusão sobre ir além dos limites impostos, tomar um outro rumo. E desde sua formação, é isso que a banda tem feito realmente. Não, eles não estão remodelando o Heavy Metal de maneira alguma. Mas, sim, estão o executando com criatividade e o mais importante, emoção.

AB III mostra novamente o contrário para aqueles que acham que a banda é uma simples continuação do som do Creed. A banda fez uma fusão do primeiro trabalho, "One Day Remains", (que contém músicas cadenciadas e melancólicas) com o segundo, "Blackbird" (que tem músicas rápidas e agressivas). O resultado final é um álbum que, se não for o melhor, é tão bom quanto os seus antecessores.

O ábum possui músicas com riffs e fraseados de guitarra raivosos. São exemplos: "Isolation", "Cour D’alene" e, principalmente, "Slip to The Void", que tem uma introdução sonolenta, mas que acaba culminando em uma canção matadora. As canções melancólicas não ficam pra trás: "Ghost of Days Gone By" e "All Hope is Gone" (excelente solo) carregam certo desespero em suas letras. Mas é na última faixa da bolacha que a banda chega ao seu ápice. "Words Darker Than Their Wings" é, com certeza, a melhor do CD. Aqui, Mark ganha destaque não só no dedilhado que faz, mas também nos vocais que mostram talento. Realmente, um músico acima da média. E Myles, mais uma vez, é impecável nos vocais e o destaque no CD inteiro.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Chamem do que quiser: Metal Alternativo, Progressivo, Hard Rock e etc... A verdade é que o ALTER BRIDGE faz Heavy Metal competente e com feeling! Não acredita? Ouça então os muitos riffs ou os solos de Tremonti, ou melhor, tire suas conclusões sobre o vocal de Myles no álbum solo do mítico guitarrista Slash. Não é a toa que Slash quer Myles cantando oficialmente em sua banda.

Formação:
Myles Kennedy – Vocal, Guitarra
Mark Tremonti – Vocal de Apoio, Guitarra
Scott Phillips - Bateria
Brian Marshall – Baixo

Alter Bridge – AB III

1. Slip to the Void
2. Isolation
3. Ghost of Days Gone By
4. All Hope Is Gone
5. Still Remains
6. Make It Right
7. Wonderful Life
8. I Know It Hurts
9. Show Me a Sign
10. Fallout
11. Breathe Again
12. Coeur d'Alene
13. Life Must Go On
14. Words Darker Than Their Wings


Outras resenhas de AB III - Alter Bridge

Resenha - AB III - Alter Bridge



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Alter Bridge: lançado lyric video oficial de "Metalingus"Alter Bridge: Tremonti diz que músicos talentosos nem sempre são os mais legais

Metallica: o setlist perfeito na opinião de Mark Tremonti, guitarrista do Alter BridgeMetallica
O setlist perfeito na opinião de Mark Tremonti, guitarrista do Alter Bridge

Alter Bridge: banda lança vídeo em homenagem aos trabalhadores que combatem o COVID-19

Myles Kennedy: como conciliar o Alter Bridge com a banda de SlashMyles Kennedy
Como conciliar o Alter Bridge com a banda de Slash

Velvet Revolver: Os vocalistas já cogitados para a bandaVelvet Revolver
Os vocalistas já cogitados para a banda


Hetfield: egos, Mustaine, Load e homossexualidade no MetallicaHetfield
Egos, Mustaine, Load e homossexualidade no Metallica

Metallica: Ulrich comenta sobre seu maior erroMetallica
Ulrich comenta sobre seu maior erro


Sobre Guilherme Rocha Thielen

Guilherme Rocha Thielen nasceu em 1991, em Ararangua, mas mora em Florianópolis. Fã de Legião Urbana, Metallica, Iced Earth e viciado em traduções curte Heavy Metal desde pequeno. Atualmente escuta varios estilos do Metal, principalmete Metalcore, Folk, e Melodic Death Metal. Quando sobra um tempo contribui para o Whiplash! com traduções de matérias.

Mais matérias de Guilherme Rocha Thielen no Whiplash.Net.

Cli336x280 CliIL Cli336x280