Dead Fish: Mais uma resenha de banda emo no Whiplash?

Resenha - Contra Todos - Dead Fish

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Sérgio Fernandes
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Provavelmente muitos dos amigos leitores pensaram algo como: "ah não, mais uma review de banda emo no WHIPLASH?" ao verem que o último CD do Dead Fish era o objeto de análise dessa matéria. Os fãs da banda capixaba bem sabem que o som praticado por Rodrigo Lima (vocal), Philippe Fargnoli (guitarra), Alyand Miele (baixo) e Marcão (bateria) não tem muito a ver com o gênero musical citado acima. Agora, se você alguma vez na sua vida associou o nome do Dead Fish ao "emo", bem, meu amigo, isso prova o que eu temia: que a maioria dos leitores aqui do site não tem o menor interesse em conhecer as músicas das bandas que tanto criticam...

Panelaço: João Gordo apresenta Mundano e Rodrigo Lima, do Dead FishRaimundos: O verdadeiro motivo para a saída de Rodolfo da banda

Bom, não sejamos tão radicais. Na verdade tanto a banda em questão quanto o gênero musical "emo" têm algo em comum: os dois foram influenciados pelo Hard Core dos anos 80. Pronto, as semelhanças acabam por aí. E não vou generalizar a ponto de dizer que TODOS os caros amigos leitores do WHIPLASH! não tem interesse em conhecerem o som de bandas de outros estilos musicais que não o metal. Logicamente, ninguém é obrigado a ouvir de tudo, mas um pouco de bom senso é sempre bem-vindo e ter o menor conhecimento que seja sobre o objeto de sua crítica é o mínimo para se criar um bom argumento... Enfim, vamos ao que interessa...

Em "Contra todos" (2009) o Dead Fish mostra mais uma vez o porquê de ser reverenciada como a maior banda do HC brasileiro ao lado do grande Ratos de Porão. Logo na primeira faixa do play, a rápida (em todos os sentidos) "Não" dá uma pista do que virá a seguir: velocidade, guitarras bem trabalhadas, cozinha pesada e precisa e vocais rasgados, nervosos, viscerais e melódicos (alguém ai pensou em Jorn Lande? Provavelmente não, né?...).

Durante todo o CD, a banda consegue viajar por várias vertentes do Hard Core, sem perder a sua identidade. É possível sentir ecos de Bad Religion na melódica "Contra Todos", assim como se pode perceber a influência que as bandas mais antigas do gênero, como o Dead Kennedys e Black Flag, tiveram na construção do estilo do Dead Fish. Para comprovar isso, basta ouvir canções como "Shark Attack", a já citada "Não" e "A dialética".

Ainda assim, a banda não se mantém completamente presa a um só estilo e permite-se fazer alguns experimentos e viagens dentro do álbum (coisa que já haviam feito no trabalho anterior, "Um homem só" de 2006). Os mais exigentes, conservadores e cabeças-fechada, porém, não precisam se assustar: tudo é muito bem colocado dentro da proposta sonora que a banda sempre seguiu. Músicas como "Autonomia", "Venceremos", "Quente" e "Asfalto" sintetizam isso, pois mostram influências de estilos como stonner rock, metal e até mesmo rap sem perder a velocidade e a pegada características do Hard Core mais tradicional.

A produção do álbum ficou a cargo de Rafael Ramos (que já trabalha com a banda desde o CD "Zero e um" de 2004) e ajuda muito no resultado final: a atmosfera mais "seca" e orgânica do álbum "Um homem só" foi mantida, porém com uma pitada a mais de pegada, de forma a deixar o som mais cheio (o que é certa ironia, pois "Contra todos" é o primeiro álbum em que Philippe comanda - soberbamente, diga-se de passagem - todas as guitarras da banda sozinho, já que seu ex-parceiro nas seis cordas, o guitarrista Hóspede, saiu antes de começarem a compor material para o trabalho).

Vale lembrar que esse é o último (e melhor) registro de Nô, fundador e ex-baterista da banda. Além dele, Rodrigo também nos brinda com sua melhor performance em um CD do Dead Fish: com total controle da sua voz, o cara grita, berra, e consegue criar melodias firmes para interpretar as letras (todas de sua autoria) que falam de amor, esquerda e direita, metrópoles, a vida de uma banda independente na estrada, perseverança e ataques de tubarão em Olinda.

Se você gosta de peso, bateria veloz e precisa, baixo forte e marcante (casando com a bateria veloz...), linhas de guitarra bem trabalhadas e altamente criativas, vocal com pegada, sem exageros e melodia na medida certa, além de letras bem humoradas e de conteúdo, NAO OUÇA DRAGONFORCE; ouça "Contra todos" do Dead Fish. Fica a dica ;-»

"Contra Todos" - Dead Fish
Ano: 2009

Track List:
1 - Não
2 - Autonomia
3 - Venceremos
4 - Quente
5 - Subprodutos
6 - Asfalto
7 - Contra todos
8 - Shark attack
9 - A dialética
10 - O melhor exemplo do que não seguir
11 - Descartáveis
12 - Tupumaru
13 - Armadilhas verbais
14 - Piada liberal




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Dead Fish"


Panelaço: João Gordo apresenta Mundano e Rodrigo Lima, do Dead Fish

Dead Fish: A proposta mais indecente que a banda já recebeu pelo FacebookDead Fish
A proposta mais indecente que a banda já recebeu pelo Facebook

Quadradinho de oito hardcore no show do Dead FishQuadradinho de oito hardcore no show do Dead Fish
Quadradinho de oito hardcore no show do Dead Fish


Raimundos: O verdadeiro motivo para a saída de Rodolfo da bandaRaimundos
O verdadeiro motivo para a saída de Rodolfo da banda

Black Metal: o lado mais negro da cena brasileiraBlack Metal
O lado mais negro da cena brasileira

Massacration: saiba quem é o baterista que tocava de verdadeMassacration
Saiba quem é o baterista que tocava "de verdade"

Religião: Top 10 citações sobre Deus e o DiaboDeep Purple: o riff de "Smoke on the Water" foi criado por Tom Jobim?Zakk Wylde: ele ouve Lady Gaga e Justin Bieber ao contrário para comporDave Grohl: ele será fã incondicional do Metallica até o fim

Sobre Sérgio Fernandes

Paulistano desde abril de 1988, Sérgio Fernandes é baterista da banda CARAPUÇA (www.youtube.com/tvcarapuca), diretor de imagem e produtor multimídia do portal Terra e formado em Rádio e TV pela UNISA em São Paulo no ano de 2009. Ouve rock desde pequeno por influência de seus pais. Entre suas bandas preferidas estão Sepultura, Rolling Stones, Rancid, Muse, Fresno, Slayer e qualquer outra que toque algo que lhe agradar os ouvidos, nunca se fechando a gêneros e estilo, mantendo a mente aberta a novas experiências sonoras. E-mail para críticas e sugestões: sergio_ong@hotmail.com.

Mais matérias de Sérgio Fernandes no Whiplash.Net.