Matérias Mais Lidas

Rodolfo Abrantes: O sonho da minha mãe era eu voltar aos RaimundosRodolfo Abrantes
"O sonho da minha mãe era eu voltar aos Raimundos"

Metallica: TikToker que calou haters na guitarra agora tem patrocínio da Sully GuitarsMetallica
TikToker que calou haters na guitarra agora tem patrocínio da Sully Guitars

Snowy Shaw: ex-King Diamond se oferece para substituir Marko Hietala no NightwishSnowy Shaw
Ex-King Diamond se oferece para substituir Marko Hietala no Nightwish

Soul Station: projeto de Paul Stanley com guitarrista brasileiro lança músicaSoul Station
Projeto de Paul Stanley com guitarrista brasileiro lança música

Carlinhos Brown: ele diz que provocou garrafadas no Rock in Rio 2001 e explica razãoCarlinhos Brown
Ele diz que provocou garrafadas no Rock in Rio 2001 e explica razão

Guns N' Roses: Bumblefoot revela quais músicas mais gostava de tocar ao vivoGuns N' Roses
Bumblefoot revela quais músicas mais gostava de tocar ao vivo

Nirvana: Kurt Cobain cuspiu no piano de Elton John pensando ser de Axl Rose.Nirvana
Kurt Cobain cuspiu no piano de Elton John pensando ser de Axl Rose.

AC/DC: Axl Rose sempre sugeria músicas esquecidas para shows (mas em cima da hora)AC/DC
Axl Rose sempre sugeria músicas esquecidas para shows (mas em cima da hora)

Kurt Cobain: ele não curtia Led Zeppelin e Aerosmith devido às letras machistasKurt Cobain
Ele não curtia Led Zeppelin e Aerosmith devido às letras machistas

Yngwie Malmsteen: aos 10 anos ele fazia solos de Blackmore e enganava os amigosYngwie Malmsteen
Aos 10 anos ele fazia solos de Blackmore e enganava os amigos

Max Cavalera: O único presidente bom do Brasil foi mortoMax Cavalera
"O único presidente bom do Brasil foi morto"

Megadeth: Mustaine se tornou vocalista por acaso e por causa de um delineadorMegadeth
Mustaine se tornou vocalista por acaso e por causa de um delineador

Saxon: banda divulga cover para a clássica Speed King, do Deep PurpleSaxon
Banda divulga cover para a clássica "Speed King", do Deep Purple

Jon Schaffer: Todd La Torre se diz chocado, mas não surpreso com atos do guitarristaJon Schaffer
Todd La Torre se diz chocado, mas não surpreso com atos do guitarrista

Eddie Van Halen: ele chorou quando Wolfgang mostrou música que fala sobre perdaEddie Van Halen
Ele chorou quando Wolfgang mostrou música que fala sobre perda


Matérias Recomendadas

Robert Plant: Ele desdenhou Liam Gallagher, do OasisRobert Plant
Ele desdenhou Liam Gallagher, do Oasis

Thrash Metal: 20 bandas brasileiras de qualidade inquestionávelThrash Metal
20 bandas brasileiras de qualidade inquestionável

G.G. Allin: o extremo dos extremosG.G. Allin
O extremo dos extremos

Metallica: fãs pediam que eles transassem com suas namoradas?Metallica
Fãs pediam que eles transassem com suas namoradas?

Johnny Ramone: Não era bom abrir o show do Black SabbathJohnny Ramone
"Não era bom abrir o show do Black Sabbath"

Tunecore
Baladas de Sangue

Alcest: Música do fundo da alma de quem compôs

Resenha - Souvenirs d'un Autre Monde - Alcest

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago Pimentel
Enviar Correções  

8


Fruto da mente do "solitário" músico Niege - que gravou todos os instrumentos - "Souvenirs d'un Autre Monde" transporta o ouvinte através de sua atmosfera melancólica a um mundo parelo. Mundo este oriundo dos sonhos de Niege durante a sua infância. Este fato explica o nome do álbum que, traduzido do francês, significa "Memórias de um outro mundo".

O ALCEST começou praticando um black metal cru, tosco. Contudo, em seu primeiro EP - "Le Secret" (2005) - Niege já deu indícios de rumar para uma direção contrária ao metal extremo. Uma direção mais psicodélica e ambiente - opasta tradicional a agressão do metal. Na verdade este álbum possui apenas resquícios de heavy metal, sendo sua rotulação uma tarefa complica, injusta. A bateria talvez preserve alguns elementos do metal extremo, com o uso de batidas típicas do black metal. Incrivelmente esse estilo "baterístico" não soa deslocado, apenas contribui para deixar o som do ALCEST ainda mais peculiar.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O álbum inicia-se com "Printemps Emeraude" exibindo uma poderosa "parede sonora de guitarras" e melodias melancólicas. Apesar do longo tempo da canção a forma como tudo se encaixa e envolve o ouvinte é fantástica. As linhas de baixo também são ótimas. Diferente das composições do primeiro EP as partes dessa canção não parecem "costuradas" e apontam o ALCEST para uma direção impensável para um projeto que nasceu no metal: o shoegaze e post-rock.

O trabalho de guitarra não é o tradicional no rock n' roll/heavy metal, isso pode causar estranheza a quem está acostumado a um formato mais linear de riffs e solos, pois o instrumento é mais usado para criar camadas sonoras do que para destacar-se na música.

"Souvenirs d'un Autre Monde" e "Les Iris" continuam a "grande viagem". O trabalho de violão é bem intenso: o instrumento domina quase todas as composições do músico. Remetendo a bandas como OPETH. Essa característica, além do uso do idioma natal do músico (francês), também é uma das principais da banda.

Um outro atributo do trabalho que chama atenção são os vocais limpos de Niege. Eles funcionam como mantras que ficam em segundo plano - isso quando não são usados coros -, no fundo da música. Isso cria um efeito envolvente e nostálgico no ouvinte - o que deve ter sido a grande intenção do compositor.

A quarta faixa ("Ciel Errant") talvez seja uma das mais melancólicas do disco, sua levada acústica inicial mesmo que evolua em riffs distorcidos preserva as tais melodias tristes. As linhas de guitarra solo complementares são muito boas e aqui repetem a ideia das primeiras faixas. Sem excessos de notas, apenas o essencial. Essa sutileza talvez seja o grande charme, em especial, dessa música.

"Sur L'autre Rive Je T'attendrai" possui vocais femininos realizados por Audrey Sylvain. Essa canção assim como a próxima apontam para uma direção mais "folk" que até então não havia sido visto com tanta evidência no disco. O trecho de encerramento - após o "falso final" - com o dedilhado durante os "sons de mar" são um grande deleite progressivo.

A última faixa ("Tir Nan Og") é uma das mais singulares da obra. Além de apresentar um trabalho de percussão bem interessante também destaca-se pela inclusão dos teclados. Essa é uma das minhas favoritas do disco, pois possui melodias bem grandiosas sem soar piegas. O encerramento do álbum não podere ser mais épico. O título da canção faz referência a uma expressão irlandesa sobre uma mitológica "ilha da juventude".

Em suma, "Souvenirs d'un Autre Monde" é um grande trabalho. Único, diferenciado, peculiar. Poderia procurar ir além do uso desses sinônimos para sintetizá-lo, porém não acho adjetivos diferenciados que melhor definam essa obra que não esses. É um disco escrito, aparentamente, sem pretensões comerciais... apenas música do fundo da alma de quem compôs.

Por sua peculiaridade obviamente atrairá tantos admiradores quanto detratores, na mesma proporção. Seu único defeito talvez seja a duração das faixas que, por não variarem muito, pode tornar a audição do álbum cansativa. Recomendado para quem gosta de grandes viagens psicodélicas em forma de música. Um conselho final: não vá escutar esperando heavy metal e... muito menos black metal.

Músicas-chave:
Printemps Emeraude ; Ciel Errant ; Tir Na Og

Formação: Niege - vocais e todos os intrumentos

Tracklist:

1. Printemps Émeraude 07:19
2. Souvenirs d'un autre monde 06:08
3. Les Iris 07:41
4. Ciel Errant 07:12
5. Sur l'autre rive je t'attendrai 06:50
6. Tir Nan Og 06:10

Tempo total: 41:20

Publicado originalmente em
http://hangover-music.blogspot.com/2011/03/resenha-album-alc...


Stamp
Receba novidades de Rock e Heavy Metal por Whats App


Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Black Metal: cinco bandas contraindicadas para quem é trueBlack Metal
Cinco bandas contraindicadas para quem é "true"


Olavo de Carvalho: Segundo ele, o Heavy Metal emburreceOlavo de Carvalho
Segundo ele, o Heavy Metal emburrece

Bon Jovi: Larissa Riquelme dançando com os seios de foraBon Jovi
Larissa Riquelme dançando com os seios de fora


Sobre Thiago Pimentel

Tenta, desde meados de 2010, escrever textos que abordem as vertentes da mais peculiar - em seu ponto de vista - manifestação artística do ser humano, a música. Para tal, criou o blog Hangover-Music e contribui no Whiplash.Net. Além disso, é estudante de jornalismo, guitarrista e acredita que se algum dia o Deus metal existira, ele morreu em 13/12/2001.

Mais matérias de Thiago Pimentel no Whiplash.Net.