Murderdolls: Para as entusiásticas hordas adolescentes

Resenha - Women And Children Last - Murderdolls

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 7


O superestimado Murderdolls está de volta, e com toda sua calculada esquisitice sanguinolenta... Passou-se nada menos do que oito anos da razoável estréia "Beyond The Valley Of The Murderdolls", mas agora a dupla Wednesday 13 (voz, guitarra e baixo) e Joey Jordison (bateria, guitarra e baixo) saíram do limbo para voltar com "Women And Children Last", um título com a sutileza típica das bandas voltadas ao rock-horror.

Angra: Kiko Loureiro relembrando o tempo de DominóOzzy Osbourne: "o morcego era quente e crocante"

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O MURDERDOLLS parece estar mais 'sério'... Em detrimento a todas as referências dos filmes de terror de quinta categoria oferecidas no passado, agora a morte e depressão são os temas recorrentes (pessoal pessimista, não?), devidamente escorados por palavrões seriais expelidos gratuitamente. Musicalmente, tudo segue de forma sensivelmente básica, porém com uma distorção bem mais acentuada, inclusive a ponto de quase conseguir soar como o Heavy Metal, propriamente dito, em inúmeras ocasiões.

E o inesperado continua com a presença de várias melodias tão grudentas, que conseguem surpreender em se tratando de Murderdolls, tendo na quase pop "Nowhere" e na ótima "Summertime Suicide" bons exemplos desta característica. Ainda que a faceta mais pesada se encontre, principalmente, no groove de "Chapel Of Blood" e "My Dark Place Alone", fica a certeza de que há várias outras faixas despojadas e que agradam de imediato, como "Bored 'Til Death" (ô refrãozinho!) e "Pieces Of You".

Também vale citar que quem dá as caras por aqui é ninguém menos do que o guitarrista Mick Mars, que fez história no Mötley Crüe, disparando riffs em "Blood Stained Valentine" e "Drug Me To Hell". O repertório se torna ainda mais atraente pela sábia decisão em manter o áudio bem mais polido, o que é essencial para se valorizar adequadamente cada elemento desta nova fase dos norte-americanos.

As melhorias adotadas em "Women And Children Last" são consideráveis e possibilitaram que o Murderdolls funcionasse melhor. Mas, ainda assim, "Women And Children Last", com sua manjada fórmula que segue apenas o rudimentar e glamouriza o macabro, será mais bem aceita pelas entusiásticas hordas adolescentes. Para o resto do público, poderá ser apenas uma experiência satisfatória...

Contato:
http://www.murderdollsband.com
http://www.myspace.com/murderdollsband

Formação:
Wednesday 13 - voz, guitarra e baixo
Joey Jordison - bateria, guitarra e baixo

Murderdolls - Women And Children Last
(2010 / Roadrunner Records - importado)

01. The World According To Revenge
02. Chapel Of Blood
03. Bored 'Til Death
04. Drug Me To Hell
05. Nowhere
06. Summertime Suicide
07. Death Valley Superstars
08. My Dark Place Alone
09. Blood Stained Valentine
10. Pieces Of You
11. Homicide Drive
12. Rock N Roll Is All I Got
13. Nothing's Gonna Be Alright
14. Whatever You Got, I'm Against It
15. Hello, Goodbye, Die


Outras resenhas de Women And Children Last - Murderdolls

Murderdolls: Horror-Punk flertando com o Heavy MetalMurderdolls: Joey Jordison à vontade com seu horror-rockMurderdolls: pancadas, muito sangue e amadurecimento




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Murderdolls"


Slipknot: confira a evolução das máscaras de Joey JordisonSlipknot
Confira a evolução das máscaras de Joey Jordison


Angra: Kiko Loureiro relembrando o tempo de DominóAngra
Kiko Loureiro relembrando o tempo de Dominó

Ozzy Osbourne: o morcego era quente e crocanteOzzy Osbourne
"o morcego era quente e crocante"


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336