Dr. Sin: Uma aula de hard rock pesado, preciso, energético

Resenha - 10 Anos Ao Vivo - Dr. Sin

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Afonso Viana
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 10

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


“10 Anos Ao Vivo” é um álbum duplo ao vivo da banda brasileira DR. SIN, gravado de forma impecável entre 23 e 24 de maio de 2002 no SESC Ipiranga, em São Paulo (apresentação, esta, que rendeu também o primeiro DVD da banda, com o mesmo título), e lançado em 2003.
1410 acessosDr. Sin: nova banda dos Irmãos Busic estreia em Santo André5000 acessosAquiles Priester: os álbuns que marcaram o baterista

Como indicado pelo próprio nome, o álbum é uma comemoração aos 10 anos de vida da banda, já consagrada como um dos ícones do hard rock brasileiro. E esta comemoração não poderia ter sido feita de forma melhor, uma vez que, dentre todas as ótimas músicas já compostas pela banda, foram escolhidas as melhores dentre as melhores para serem apresentadas, de forma inspiradíssima pelos talentosos músicos Andria Busic (vocal/baixo), Edu Ardanuy (guitarra), Ivan Busic (bateria) e Marcelo Souss (teclado) (sendo este, não um músico oficial da banda, mas que há muito os acompanha ao vivo), além de convidados, como Marcus Cezar (percussão), Marco Sergio (charango) e o ilustre Andre Matos (vocal) para fechar o álbum.

A música que abre o show é “Time After Time”, que já mostra que a banda não está para brincadeira. O único problema foi o fato de, apesar dessa música mostrar uma bela abertura para a apresentação, ao mesmo tempo, seu fim tem cara de “final de show”. Mas em seguida vem “Sometimes” para mostrar que é apenas o começo. E já que ela traz um clima tenso, com sua letra, digamos, “triste”, em seguida vem “Fly Away” pra subir os ânimos. E como se esta não fosse o bastante, em seguida vem “Danger”, com toda a sua empolgação e força. E nesta inclusive vem o primeiro momento em que a banda conversa com o público (onde é possível, com muita atenção, observar muitas bobagens ditas pela plateia (risos)), para anunciar o próximo som: “Stone Cold Dead”, que começa com seu matador riff de baixo que leva a plateia à loucura.

Na sequencia temos “Isolated”, com toda a sua energia, e a seguir a “acessível”, digamos assim, “The Fire Burns Cold”. Após esta última, são chamados para participar da próxima música Marcus Cezar e Marco Sergio, e então é anunciada a belíssima “Years Gone”, que já emenda com a sonhadora e inspiradora “Revolution”, com direito a coro da plateia e tudo mais, sendo esta a última do primeiro CD.

A segunda parte do show já começa com potencia total, com um virtuosíssimo solo do Ardanuy (com certa sonoridade semelhante à “Lazy” do Deep Purple), além da bateria simples, mas muito bem trabalhada do Ivan, no que dá origem à animada “No Rules”. “Eternety” vem em seguida, exibindo um timbre extremamente interessante na guitarra. Logo a seguir temos uma lição de moral com “Living And Learning”, que traz um clima de bem estar tamanho. Outra com sonoridade mais “pop” vêm então: “Zero”. Ao seu fim é anunciada “Down In The Trenches”, onde foram tocadas as duas partes e os músicos aproveitaram para estender um pouco mais com solos que apenas provam porque eles estão na lista dos melhores instrumentistas do Brasil.

Na sequencia temos “Karma”, que relembra a época em que a banda usava-a para a abertura dos shows, e logo após a sequencia que foi o ápice do show: a já clássica “Emotional Catastrophe”, a divertida, pesada e não menos clássica, “Futebol, Mulher & Rock ‘n’ Roll”, com direito a toda a plateia fazendo coro nas chamadas do Andria, e a participação, no mínimo perfeita, de Andre Matos na música que encerra o álbum, “Fire”. Os agudos de Andre casaram-se perfeitamente com a música, que termina o show deixando um tremendo gosto de “quero mais”, mas ao mesmo tempo uma sensação de satisfação extrema.

Uma aula de hard rock pesado, preciso, energético e habilidoso, em uma pegada que apenas o DR. SIN sabe fazer. Os 10 anos foram comemorados de forma esplêndida, talvez até perfeita, uma vez que não é possível notar um erro sequer em momento algum. Isso nos faz ficar ansiosos por uma possível comemoração dos 20 anos, que agora já estão até próximos.
Álbum altamente recomendado, digno de nos fazer sentir orgulho do nosso Brasil e dessa maravilhosa banda provida dele.

Faixas:
(CD 1)
01 – Time After Time
02 – Sometimes
03 – Fly Away
04 – Danger
05 – Stone Cold Dead
06 – Isolated
07 – The Fire Burns Cold
08 – Years Gone
09 – Revolution
(CD 2)
01 – No Rules
02 – Eternety
03 – Living And Learning
04 – Zero
05 – Down In The Trenches
06 – Karma
07 – Emotional Catastrophe
08 – Futebol, Mulher & Rock ‘n’ Roll
09 – Fire

Gravadora(s):
Paradoxx Music; Unimar Music; Century Media.

Foto da chamada: Rafael Karelisky

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de 10 Anos Ao Vivo - Dr. Sin

2235 acessosResenha - 10 Anos ao Vivo - Dr. Sin

Top 5Top 5
Discos de metal nacional com nomes de outros estilos

1410 acessosDr. Sin: nova banda dos Irmãos Busic estreia em Santo André248 acessosCombate Rock: política acaba com amizades e estraga bandas801 acessosBusic: banda divulga terceiro videoclipe; confira116 acessosVitrola Verde: em vídeo, entrevista com Ivan Busic0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Dr Sin"

Dr. SinDr. Sin
"O motivo da banda parar nunca foi mercado, foi interno"

Top 5Top 5
Discos de metal nacional com nomes de outros estilos

FamíliaFamília
Irmãos que tocam ou já tocaram juntos na mesma banda

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Dr Sin"

HangarHangar
Os discos que marcaram o baterista Aquiles Priester

Ultraje a RigorUltraje a Rigor
Roger diz que foi tratado como lixo pela equipe dos Stones

ReligiãoReligião
Top 10 citações sobre Deus e o Diabo

5000 acessosKiss: Vinnie Vincent é o maior filho da puta da história do rock?5000 acessosDossiê Guns N' Roses: A versão de Slash para os fatos5000 acessosNathan "Nate" Gale: O assassino de Dimebag Darrell5000 acessosIron Maiden: Steve Harris fala da influência do Jethro Tull5000 acessosEpica: "Eu e Simone não encaixávamos, trabalhamos melhor hoje", diz Mark Jensen3005 acessosDimebag Darrel: Um raro vídeo de solo aos 18 anos

Sobre Afonso Viana

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online