Olam Ein Sof: Exotismo místico em disco totalmente acústico

Resenha - Ethereal Dimensions - Olam Ein Sof

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 7

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Oras vejam... De posse do CD, poderia jurar que se tratava de uma banda tipicamente europeia. Ledo engano! O Olam Ein Sof é um produto aqui do Brasil, mais precisamente de São Bernardo do Campo (SP), e capitaneado pelo casal Marcelo Miranda (violão e mandolin) e Fernanda Ferretti (voz, violão e percussão), que estão atuando desde 2001 e já têm na bagagem os álbuns "Immram" (04) e "Celtic Mithology" (05). Vale mencionar que este é um projeto que procura ir além da Música propriamente dita, envolvendo-se também com áreas artísticas, como dança, poesia e artes visuais.
5000 acessosÁlbuns: os vinte piores discos de todos os tempos5000 acessosSepultura: Derrick Green não era o cara certo, diz Max Cavalera

"Ethereal Dimensions" é seu mais novo disco e mantém todo o foco e coerência de sua proposta. Totalmente acústico e com influências que vão desde a música erudita à folclórica, o álbum pisa firme na cultura celta, no universo medieval, no ocultismo, nas filosofias orientais e, ainda, na ufologia. Tudo parece se transformar em inspiração para as canções intimistas e, como não poderia deixar de ser, transpiram todo um exotismo místico, tão bem representado por composições de bom gosto, como "Thule" e "Tiahuanaco".

Palavras do próprio Olam Ein Sof para definir objetivamente o mais novo disco: ‘... “Ethereal Dimensions” contém em suas canções uma passagem para uma nova dimensão, mostrando que a Terra vive em constante mutação e, assim, devemos estar conectados ao universo para entrar nela...’. Cantado nas línguas inglesa e portuguesa, o álbum é musicalmente o resultado desses anseios, que pode vir a ser limitado pela opção de se usar somente instrumentos como violão, bandolim, baixolão e umas poucas flautas. Entretanto, o pessoal convence e, guardadas as devidas proporções, remete a nomes como Blackmore's Night, Otyg e, em menor grau, ao Elane.

Em meio à forte tendência que a música folclórica adquiriu nos últimos tempos, o Olam Ein Sof pode ser considerado um representante veterano na cena. "Ethereal Dimensions" deve ser degustado em momentos relaxantes, preferencialmente em noites de chuva e acompanhado de um bom vinho.

O pessoal também já conseguiu ultrapassar nossas fronteiras verde-amarelas, tendo tocado por sete cidades da Colômbia, durante o ano passado, além de participar de programas de TV, rádio, internet, sempre com grande aceitação do público. Bem legal!

Contato:
http://www.olameinsof.com
http://www.myspace.com/olameinsof

Formação:
Fernanda Ferretti - voz, violão e percussão
Marcelo Miranda - violão e bandolim
David Suriá - baixolão

Olam Ein Sof - Ethereal Dimensions
(2010 / independente - nacional)

01. Ophir
02. Lunar Star
03. Among Worlds
04. Into The Mist Of The Lands Of Cramfer
05. Thule
06. Dança dos Elfos
07. Tiahuanaco
08. The Four Guardians
09. The Place That I Meet My Soul
10. Dark Moon

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Olam Ein Sof"

ÁlbunsÁlbuns
Os vinte piores discos de todos os tempos

SepulturaSepultura
Derrick Green não era o cara certo, diz Max Cavalera

Heavy MetalHeavy Metal
As vozes mais impressionantes segundo a Loudwire

5000 acessosSlipknot: Demissão de Joey Jordison foi a decisão mais difícil da carreira5000 acessosArnaldo Jr: Colecionador de ítens relacionados ao Metallica5000 acessosEm 10/08/1993: Euronymous é assassinado por Varg Vikernes2626 acessosSweet Home Alabama: O hino absoluto do Rock Sulista5000 acessosSepultura: as dez canções mais subestimadas da banda5000 acessosBob Dylan: é dele a "Maior Música de Todos os Tempos"

Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online