Matérias Mais Lidas

imagemSteven Tyler dá entrada em clínica de reabilitação após sofrer recaída

imagemVital, o ex-Paralamas que virou nome de música e depois foi pro Heavy Metal

imagemEncontro entre Paul Di'Anno e Steve Harris resultou em "algo que será discutido"

imagemA opinião de Arnaldo Antunes sobre a competição interna que havia nos Titãs

imagemO dia que os membros do Black Sabbath foram amaldiçoados por uma seita satânica

imagemNick Mason relembra a época que o Pink Floyd desastrosamente tentou tocar reggae

imagemO que Adrian Smith descobriu ao retornar ao Iron Maiden

imagemRegis Tadeu explica porque Ximbinha é um dos melhores guitarristas do Brasil

imagemAs composições de Paul McCartney nos Beatles preferidas de John Lennon

imagemMark Tremonti, do Alter Bridge, revela que é grande fã de lendária banda de metal

imagemShavo Odadjian, baixista do System Of A Down, conta quais álbuns mudaram sua vida

imagemIntegrantes do Rush relembram a época que abriram shows para o Kiss, em 1975

imagemTodos os discos do Nightwish, do pior para o melhor, em lista da Metal Hammer

imagemNicko McBrain, do Iron Maiden, mostra o seu novo (e enorme) kit de bateria

imagemGene Simmons compartilha tweet com meme da ex-presidente Dilma Rousseff


Stamp

Oito Milímetros: músicas que são como um chute nas costelas

Resenha - Onde Mora a Justiça - Oito Milímetros

Por Marcos Garcia
Em 08/12/10

Nota: 9

Cada vez mais, vemos que a cena Punk Rock/Hardcore brasileira está se fortalecendo e novamente crescendo, voltando a ter o respeito e força de outrora. No início dos anos 80, quando ótimas bandas como GAROTOS PODRES, RATOS DE PORÃO, CÓLERA, INOCENTES, OLHO SECO e tantos outros nomes importantes, já bradavam críticas ácidas contra tudo que é alienante e exigindo mudanças sociais, davam suporte ao espírito Anarco-Punk e à ideologia anti-sistema, numa autêntica aula de como ser lúcido e engajado em causas que muitos dão as costas. Talvez seja a hora de muitos aprenderem com eles...

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Na safra destes, com muito a dizer em letras, mas com uma consistência sonora firme e digna de nota, e um som extremamente bem feito e energético, está a banda carioca de Hardcore OITO MILÍMETROS.

Este experiente quarteto (já foram opening act do SEPULTURA) mostra que está numa linha bem DEAD KENNEDYS e THE EXPLOITED, com alguns toques de D.R.I. fase ‘Dealing With It’ e de bandas de hardcore californianas. Com melodias bem sacadas, porém ainda mais agressivas, raivosas e muito personalizadas, a banda já está em seu quarto disco, centro desta resenha, ‘Onde Mora a Justiça’. E um aviso aos mais incautos: quem acredita que bandas como CHARLIE BROWN JR. e RAIMUNDOS são do estilo, peço que conheçam o trabalho dessa banda e vejam o que é o estilo em sua mais pura essência.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

A apresentação visual lembra em muito os primeiros discos de Hardcore da história, ou seja, é bem despojada, simples, mas extremamente funcional, com direito ao selo do Parental Advisory. Então, já sabem o que os aguarda. O lado sonoro é um autêntico soco na cara, pois é limpa e bem cuidada, já que cada instrumento pode ser ouvido em seu devido lugar. A sonoridade prioriza a agressividade de tal forma, que já pode ter uma ideia do que é um show desses rapazes!

O CD em si é uma verdadeira aula de Hardcore, com músicas que são um chute nas costelas, sem firulas desnecessárias. Destaques para a curta ‘Tijolada’, que merece o nome e vai causar caos nos shows, assim como ‘Queima de Arquivo’, ambas com levadas alucinantes. Outro ponto alto é ‘Censura’, uma música capaz de erguer os mortos, graças às levadas cheias de energia, com ótimas vocalizações; além de ‘Linha de Frente’, que é capaz de fazer velhos fãs destruírem os coturnos de tanto pogo, graças às ótimas guitarras.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Outro ponto forte é a ótima ‘Rio de Janeiro’, onde a bateria dá um belo molho à música, fora o hino ‘Sk8core’, que fala do hábito de andar de skate e curtir Hardcore, o que levou este que vos escreve a lembrar que a única manobra que aprendi andando de skate foi o ‘tombo’, e olhe lá. Temos ainda outro destaque em ‘Americanizado’, que lembra os primórdios do Hardcore inglês, bem como ‘Positividade’, que deve levar os fãs a loucura. ‘A.P.T.V’ é um pouco mais cadenciada que as outras, mas empolgante, assim como a ótima ‘Filho da Puta’, nesta, com a cozinha bem proeminente, especialmente o baixo agudo, marca do estilo. O ponto interessante é a presença de uma faixa bônus, que é a versão acústica (violão e voz apenas) de ‘A Arca de Noé’, muito interessante e legal.

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

Muito bom! A banda está de parabéns por fazer um som tão empolgante, e espero poder em breve estar em um de seus shows, pois atitude eles têm, além de uma sonzeira de cair o queixo.

Formação:

Alemão – Vocais
Fábio – Guitarra
Paulinho – Baixo
Baba – Bateria

Tracklist:

01. A Arca de Noé
02. Tijolada
03. Queima de Arquivo
04. Censura
05. Rio de Janeiro
06. Terrorismo
07. Linha de Frente
08. Onde Mora a Justiça?
09. Sk8core
10. Americanizado
11. Positividade
12. A.P.T.V.
13. Filho da Puta
14. A Arca de Noé (versão acústica)

Contatos:
http://www.myspace.com/oitomilimetros
http://www.oitomilimetros.com
http://[email protected]

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Sobre Marcos Garcia

Marcos Garcia é Mestrando em Geofísica na área de Clima Espacial, Bacharel e Licenciado em Física, professor, escritor e apreciador de todas as subdivisões de Metal, tendo sempre carinho pelas bandas mais jovens e desconhecidas do público, e acredita no Underground como forma de cultura e educação alternativas. Ainda possui seu próprio blog, o Metal Samsara, e encara a vida pela máxima de Buda "esqueça o passado, não pense no futuro, concentre-se apenas no presente".

Mais matérias de Marcos Garcia.