Broken Melody: metalzão moderno hiper bem feito

Resenha - Mirroring Identities - Broken Melody

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Marcos Garcia
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


A Itália é país cuja milenar história contribuiu com legados extremamente importantes para toda a humanidade, como as noções de Direito (que é a base legal de nossos dias e consta na ementa do curso superior em Direito), organização estatal, artes e ciências, já que o pai da Física Moderna é italiano, toscano de Pisa, Galileu Galilei.
87 acessosBroken Hope: sétimo álbum dos veteranos do death metal5000 acessosConfissões de uma groupie - a autobiografia de Pamela Miller

A cena metálica italiana gerou bandas ótimas em toda sua história de Metal, pois nomes como BULLDOZER, ELVENKING, ATHENA, RHAPSODY OF FIRE (antes RHAPSODY), são extremamente conhecidos e ovacionados pelos quatro cantos da Terra, e existem muitas outras nos mais variados estilos que ainda se encontram no underground, lutando por seu lugar ao sol. E uma dessas, com um trabalho que nos leva a crer que chegarão lá é, sem sombra de dúvidas, o BROKEN MELODY.

Adeptos de um Metalzão moderno hiper bem feito, melodioso e com várias incursões em outros subestilos, eles já estão chamando muita atenção na Europa, pincipalmente porque seu vocalista, Francesco Palmieri tem sido comparado a Corey Taylor (do SLIPKNOTe STONE SOUR) pela facilidade nas mudanças de tom e vozes, variando do vocal normal e melodioso para vozes roucas e agressivas. E seu novo CD, ‘Mirroring Identities’, os levará a um patamar ainda mais elevado.

Produções sonora e visual hiper caprichadas dão uma identidade única à banda, que responde à altura às expectativas dos mais exigentes, e como a banda parece estar pronta para desembarcar no Brasil em 2011, poderão comprovar o que digo.

O CD abre com a ótima ‘The Beast Within’, com grandes variações de andamento e cheia de forte emoção por parte de Francesco, que canta de forma esplendorosa, e a cozinha do baixista Gabriele Viviane e do batera Francesco Usai faz bonito. ‘The Lover of Innocence’ é um pouco mais cadenciada, com intervenções ótimas da dupla de guitarras formada por Roberto Ortu e Emanuele Ninu, que permitem à música ter belas e intrincadas melodias. Em ‘I Live Again’, vemos aquele Metal forte e melodioso que as bandas da nova geração tem feito, sem ser rápido, mas imensamente empolgante. ‘A Question to Your Heart’ é uma bela balada, com um refrão ótimo, onde a voz de Francesco se destaca. A próxima é a arrasa-quarteirão ‘Breaking the Chains’, uma pancada à lá MAIDEN/PRIEST, com belos solos de guitarra, assim como a longa ‘Dreamin’ of a New World’ é uma semi-balada bem climática, pesada (graças à cozinha rítmica) e cheia de nuances e momentos marcantes, com jeito de NWOBHM, sendo um dos grandes destaques do CD. ‘Return Denied’ volta à pancadaria, um autêntico hino Heavy Metal que, guardada as proporções, lembra em momentos elementos mais agressivos e melódicos que o NEVERMORE e bandas dessa linha usam, e que solo de guitarra e refrão ganchudo essa música tem!

‘Dark and Light’ é uma música que o título transparece bem a sensação que ela nos passa, pois apesar de ser uma balada, transpira forte emoção e nos lembra alguns momentos mais amenos do THUATA DE DANANN. ‘The Life of a Night’ é uma tijolada seca de granito na cara, cadenciada, que faz o ouvinte cantá-la junto com a banda, que faz bonito, e esta faixa é um verdadeiro hit para as pessoas de maior sensibilidade, especialmente porque a emoção do vocal de Francesco e os trabalhos das seis cordas lhe conferem uma identidade diferenciada. ‘Until the End’ é uma faixa mais pesada, provocante e com certa cadência, que quanto mais se ouve, mais se quer ouvir. Fechando com chave de ouro, temos ‘Until the End’, um tema bem pesado e emotivo, deixando o ouvinte atordoado com o que acaba de ouvir e o faz começar tudo de novo, pelo menos por mais três vezes, pois o BROKEN MELODY é altamente viciante.

Recomendo demais estes italianos, que graças à ZIV Produções do Brasil, que gerencia a banda por aqui, os veremos aqui ano que vem. Até lá, adquiram o CD, confiram o trabalho e vejam se não tenho razão, pois o BROKEN MELODY é, junto com o SCAR FOR LIFE de Portugal, duas das maiores revelações do Metal deste ano.

Tracklist:
01. The Beast Within
02. The Lover of Innocence
03. I Live Again
04. A Question to Your Heart
05. Breaking the Chains
06. Dreamin’ of a New World
07. Return Denied
08. Dark and Light
09. The Life of a Night
10. Until the End

Contatos:
http://www.myspace.com/brokenmelody01
http://www.myspace.com/zivproducoes

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

87 acessosBroken Hope: sétimo álbum dos veteranos do death metal0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Broken Hope"

Jeff HannemanJeff Hanneman
Novo dono de guitarras promete honrar instrumentos

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Broken Hope"

Pamela MillerPamela Miller
Uma controversa personagem dos bastidores do rock

MetallicaMetallica
Ulrich comenta os motivos da saída de Jason Newsted

Alfabeto do RockAlfabeto do Rock
As 15 melhores músicas de Metal

5000 acessosDanilo Gentili: O sertanejo tem mais atitude roqueira que o próprio roqueiro5000 acessosPower Metal: 10 álbuns essenciais do estilo5000 acessosAC/DC: isso sim é uma bela estrada para o inferno5000 acessosRadiohead: O que Lars Ulrich pensa da banda? E Kirk Hammett?5000 acessosMetal: como o mito do True levou tantas bandas a serem fake5000 acessosMetalcore: os dez trabalhos essenciais do estilo

Sobre Marcos Garcia

Marcos Garcia é Mestrando em Geofísica na área de Clima Espacial, Bacharel e Licenciado em Física, professor, escritor e apreciador de todas as subdivisões de Metal, tendo sempre carinho pelas bandas mais jovens e desconhecidas do público, e acredita no Underground como forma de cultura e educação alternativas. Ainda possui seu próprio blog, o Metal Samsara, e encara a vida pela máxima de Buda "esqueça o passado, não pense no futuro, concentre-se apenas no presente".

Mais matérias de Marcos Garcia no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online