Asia: novo álbum com alguns lampejos do passado

Resenha - Omega - Asia

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Felipe Kahan Bonato
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Gosto de começar resenhas apresentando a banda, mas o ASIA sem dúvida dispensa tal formalidade. Apenas informo um dado curioso : o ASIA é aquela banda que tem uma de suas capas de disco como pôster no quarto do personagem central do filme "O Virgem de 40 anos", além de seu grande sucesso, "Heat of the Moment" na trilha, pelo que me lembro. Apesar dessa aparição, digo aos mais jovens - como eu - que a única explicação para isso é o sucesso que o grupo alcançou com tal canção na mocidade do personagem, porque de estranho o som deles não tem nada.

Nirvana: a história por trás da música "Smells Like Teen Spirit"Blaze Bayley: "é melhor ser ex do Iron que do A-HA"

Para esse lançamento de 2010, foi mantida a formação clássica - com a coexistência do outro Asia, que virou a banda GPS, do ex vocalista John Payne - e nesse quesito não há nenhuma surpresa, com um entrosamento ainda maior resultando em um trabalho talvez ligeiramente melhor do que seu antecessor "Phoenix", que já contava com tal line-up.

Em relação às faixas, "Finger of the Trigger" é uma boa abertura, animada e que tende mais ao hard rock. "Holy War" parece manter a mesma vivacidade, mas acaba sendo mais reflexiva. "Emily" e "Ever Yours" têm uma linda cadência, com ótima condução do vocalista, assim como em "I'm Still The Same". Já "Listen, Children" tem o conjunto de vozes e o jogo entre as cordas como diferenciais, enquanto "Light The Way" traz certa modernidade e acentua um pouco o lado prog da banda, presente também em "There Was a Time" e seu belo andamento. No sentido oposto ao contemporâneo, "I Believe" retoma um ASIA mais clássico.

Ouvindo na internet, também é excelente, embora diferente, a pegada mais blues de "Drop a Stone", lançada apenas na versão japonesa, o que considero um erro por ser tratar de uma faixa muito interessante.

No geral, um bom disco dos veteranos do ASIA. Ao ouvir "Omega" é clara a sensação de que as músicas nasceram organicamente e de modo prazeroso. Tudo é muito bem encaixado e fluido. Mais uma vez, embora soe datado, o ASIA continua fazendo muito bem seu rock tradicional, labiríntico e muito bem trabalhado, apesar de se mostrar menos perceptivelmente progressivo. "Omega" - e o ASIA em geral - é um CD para ser ouvido até mesmo por quem não gosta do rock mais pesado, pela suavidade e elegância dos instrumentos, mas é, principalmente, recomendado aos amantes desse AOR carismático dos britânicos.

Integrantes:
John Wetton - vocais, baixo
Steve Howe - guitarra
Geoff Downes - teclados
Carl Palmer - bateria

Faixas:
1. Finger on the Trigger
2. Through My Veins
3. Holy War
4. Ever Yours
5. Listen Children
6. End of the World
7. Light the Way
8. Emily
9. I'm Still the Same
10. There Was a Time
11. I Believe
12. Don't Wanna Lose You Now
Versão japonesa: Drop a Stone no lugar de Emily

Gravadora: Frontiers Records

Site oficial: originalasia.com




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Asia"


Para entender: o que é AOR?Para entender
O que é AOR?

Asia e Yes: Roger Dean processa James Cameron por AvatarAsia e Yes
Roger Dean processa James Cameron por Avatar

Asia: o nome de disco que gera duplo sentidoAsia
O nome de disco que gera duplo sentido


Nirvana: a história por trás da música Smells Like Teen SpiritNirvana
A história por trás da música "Smells Like Teen Spirit"

Blaze Bayley: é melhor ser ex do Iron que do A-HABlaze Bayley
"é melhor ser ex do Iron que do A-HA"

Zakk Wylde e Dave Grohl: A treta por causa de canções para OzzyZakk Wylde e Dave Grohl
A treta por causa de canções para Ozzy

Iron Maiden: curiosidades sobre o "The Number Of The Beast"Ôôôôôeeee: Sílvio Santos aprovou montagem com Steve HarrisAC/DC: Malcolm Young é "um cara impiedoso", diz Mick WallPantera: "Vulgar Display..." foi "inovador para o metal", diz Vinnie Paul

Sobre Felipe Kahan Bonato

Felipe Kahan Bonato: Nascido em 88, há mais de 10 anos - por enquanto - escuta praticamente qualquer subgênero de rock e metal, explorando principalmente bandas mais desconhecidas. Teve contato tardio com a guitarra, seu instrumento preferido, optando então em seguir a carreira de Engenheiro de Produção e em contribuir esporadicamente com resenhas no Whiplash.

Mais matérias de Felipe Kahan Bonato no Whiplash.Net.