Heathen: para os mais exigentes adeptos do Thrash Metal

Resenha - Evolution Of Chaos - Heathen

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

8


Sempre haverão bandas subestimadas em qualquer gênero musical e, em se tratando de Thrash Metal, certamente o Heathen aí se enquadra. Formado no longínquo ano de 1984, em meio à efervescente Bay Area californiana, estes norte-americanos liberaram apenas dois álbuns – "Breaking The Silence" (87) e "Victims Of Deception" (91) – considerados muito bons pela crítica e público. Mas algo não deu certo pelo caminho e o grupo se desfez logo a seguir.

O Heathen, óbvia e devidamente reformulado, liberou a "demo 2005", mas muito se protelou o lançamento de um novo álbum pelo simples fato de o mentor e guitarrista Lee Altus também estar tocando no Exodus desde 2005... Enfim, eis que estamos em 2010 e chega ao público "The Evolution Of Chaos", que, sem mudanças drásticas, certamente corresponderá às expectativas dos mais exigentes adeptos do Thrash Metal.

publicidade

Este terceiro trabalho mantém várias similaridades com seu antecessor, o já citado "Victims Of Deception", com aquele jeitão meio épico e progressivo. Enquanto Lee Altus realmente sabe o que faz – e bem feito – com riffs, solos e melodias interessantíssimas, seus parceiros manteem uma fortíssima seção rítmica, com o baixista debulhando para valer, e o vocalista David White explorando bem suas linhas, seja de forma agressiva ou mais limpa.

publicidade

Um dos grandes trunfos de "The Evolution Of Chaos" é que cada canção possui sua própria identidade. Mas é claro que, em um repertório com 10 composições distribuídas em 70 minutos, dificilmente poderia haver somente acertos. Há inúmeras seções que são verdadeiros labirintos instrumentais, mas que aos poucos se tornam cansativos, tendo como melhor exemplo "No Stone Unturned", cujos 11 minutos com um monte de variações incríveis não impedem que o dinamismo acabe se dissipando.

publicidade

Apesar de o Heathen não conseguir conter seu fluxo criativo nestas ocasiões, o repertório consegue se sustentar com folgas. Após a intro oriental executada pelo convidado Steve DiGiorgio, "Dying Season" e "Silent Nothingness" (conhecidas de sua última demo) possuem ferocidade áspera e grandes melodias, além de "Let's Red Tears Of Disgrace" ser uma fantástica mescla de Power com Thrash Metal, com vocalizações e trabalho de guitarras de muito bom gosto.

publicidade

Apesar de alguns exageros, "The Evolution Of Chaos" é um álbum monumental, digno da história do Heathen e com uma ilustração da capa que está entre as mais significativas de 2010, representando tão bem o ser humano enquanto sociedade. Para o Heathen, só falta o legítimo reconhecimento por parte daqueles que acham que o Thrash Metal se resume a Slayer, Metallica ou Megadeth. Há tanta coisa enterrada nesse underground aí, nem é preciso procurar muito. Enfim...

publicidade

Contato: www.myspace.com/heathenmetal

Formação:
David White - voz
Lee Altus - guitarra
Kragen Lum - guitarra
Jon Torres - baixo
Darren Minter - bateria

Heathen - The Evolution Of Chaos
(2010 / Mascot Records - importado)

01. Intro
02. Dying Season
03. Control By Chaos
04. No Stone Unturned
05. Arrows Of Agony
06. Fade Away 05:45
07. A Hero's Welcome 06:52
08. Undone
09. Bloodkult
10. Red Tears Of Disgrace
11. Silent Nothingness

publicidade


Outras resenhas de Evolution Of Chaos - Heathen

Heathen: o segundo escalão do thrash é pouco para eles




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Resenha - Empire Of The Blind - Heathen

Heathen: lançado "Empire of the Blind", quarto álbum da banda de thrash

Heathen: banda divulga "Empire of the Blind", faixa-título do próximo álbum


Jethro Tull: a fúria de Ian Anderson pra cima do Led ZeppelinJethro Tull
A fúria de Ian Anderson pra cima do Led Zeppelin

E-Farsas: Papa Francisco era fã do Black Sabbath?E-Farsas
Papa Francisco era fã do Black Sabbath?


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin